Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

China exige que EUA retirem sanções a fornecedores de tecnologia



25/05/2020 | 08:42


A China exigiu nesta segunda-feira que os EUA retirem sanções impostas a exportações de empresas chinesas, no último lance de um conflito bilateral cada vez mais grave que gira em torno de tecnologia, segurança e direitos humanos.

O Ministério de Relações Exteriores chinês acusou o governo americano de interferir em assuntos da China, ao incluir numa lista negra de exportações oito empresas com suposta participação na repressão de minorias na região de Xinjiang.

Washington também impôs controles de acesso à tecnologia americana para 24 empresas e entidades ligadas ao governo chinês, suspeitas de obterem bens para possíveis usos militares.

Segundo Zhao Lijian, porta-voz do ministério chinês, os EUA "violaram normas básicas das relações internacionais" e "prejudicaram os interesses da China".

As medidas, anunciadas na sexta-feira, ampliam uma campanha dos EUA contra empresas chinesas - incluindo a gigante de tecnologia Huawei -, que Washington classifica como "ameaças à segurança". Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

China exige que EUA retirem sanções a fornecedores de tecnologia


25/05/2020 | 08:42


A China exigiu nesta segunda-feira que os EUA retirem sanções impostas a exportações de empresas chinesas, no último lance de um conflito bilateral cada vez mais grave que gira em torno de tecnologia, segurança e direitos humanos.

O Ministério de Relações Exteriores chinês acusou o governo americano de interferir em assuntos da China, ao incluir numa lista negra de exportações oito empresas com suposta participação na repressão de minorias na região de Xinjiang.

Washington também impôs controles de acesso à tecnologia americana para 24 empresas e entidades ligadas ao governo chinês, suspeitas de obterem bens para possíveis usos militares.

Segundo Zhao Lijian, porta-voz do ministério chinês, os EUA "violaram normas básicas das relações internacionais" e "prejudicaram os interesses da China".

As medidas, anunciadas na sexta-feira, ampliam uma campanha dos EUA contra empresas chinesas - incluindo a gigante de tecnologia Huawei -, que Washington classifica como "ameaças à segurança". Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;