Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Caetano fecha cerco aos assintomáticos

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeitura vai aumentar testes, monitorar temperatura de pedestres e realizar inquérito epidemiológico em parceria com o Instituto de Pesquisa da USCS


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

23/05/2020 | 23:05


A Prefeitura de São Caetano dá início no sábado, dia 30, a série de ações que visam identificar o maior número possível de pessoas que estejam contaminadas com a Covid-19, mas não apresentem sintomas, os chamados pacientes assintomáticos. As iniciativas se organizam em três eixos: monitoramento da temperatura dos pedestres, testagem de moradores de cortiços e um inquérito epidemiológico que, em 45 dias, vai dar à administração mapeamento muito próximo da realidade sobre a pandemia no município.

O prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) explicou que todas as medidas somam investimentos em torno de R$ 4 milhões e o principal objetivo é quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus na cidade. “Todas essas medidas vão nos ajudar a enfrentar a pandemia. O resultado do inquérito epidemiológico vai nos apontar onde procurar pelos pacientes”, citou.

A primeira ação a ser executada será em parceria com o Inpes/USCS (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano). Nos dias 30 e 31 de maio e 1º de junho serão testadas 860 pessoas, sorteadas de forma aleatória, e será feita investigação sobre hábitos, medidas de isolamento e possíveis sintomas apresentados. A cada 15 dias, outras 860 pessoas serão testadas para que, ao fim de 45 dias, o inquérito epidemiológico forneça dados que não só vão demonstrar o avanço da pandemia, como permitir que a Prefeitura pense em ações para a saída da quarentena.

“No Rio Grande do Sul identificaram que para cada caso confirmado, havia 15 outras pessoas contaminadas. Não sabemos qual vai ser o número de São Caetano, mas se for dez, 12, isso multiplica os 851 casos (até 21 de março) e nos dá de 8.510 a 10.212 pacientes infectados”, explicou o diretor do Inpes , Leandro Prearo.

“Também será possível identificar se em alguma região existe surto da doença e poderá ser pensada medidas para aquela localidade”, concluiu.
A partir de 2 de junho entram em funcionamento câmeras que têm a capacidade de detectar a temperatura das pessoas. Os equipamentos serão instalados em quatro pontos da cidade, que concentram maior fluxo de pedestres. “Uma vez identificada, a pessoa será abordada pelos técnicos da Prefeitura, convidado a realizar a medição da temperatura corporal e fazer o teste. A lógica é a mesma das barreiras sanitárias que estamos fazendo com motoristas, mas, dessa vez, será com os pedestres”, destaca Auricchio.

Em 8 de junho terá início os testes na população que mora em cortiços da cidade. No dia 2 as equipes de saúde da família vão informar os moradores das habitações coletivas sobre as testagens. Serão analisadas de 12 mil a 15 mil pessoas. Para os munícipes que estiverem infectados será oferecida a possibilidade de passar o período de isolamento em centro de referência de acolhimento e isolamento social que está sendo construído junto ao hospital de campanha dentro do Hospital São Caetano. “Um andar inteiro está sendo adaptado, com estrutura de hotelaria, para até 100 pessoas simultaneamente”, completou o prefeito (leia mais abaixo).

Todos os testes que serão realizados são do tipo rápido que identifica dois tipos de anticorpos, o IGM, que surge com a infecção e se mantem enquanto a doença está ativa, e o IGG, que daria a proteção contra novas contaminações, indicando que o paciente já está curado. 

Centro de acolhimento poderá receber 100 pessoas

A Prefeitura de São Caetano está montando, no Hospital São Caetano, centro de referência de acolhimento e isolamento social. A estrutura, que vai ocupar um andar inteiro do equipamento, será destinada para atender moradores que estejam contaminados pela Covid-19, mas não tenham condições de fazer o isolamento físico de maneira adequada.

Segundo o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), o centro terá capacidade de receber até 100 pessoas de maneira simultânea, por período de 14 dias. “Ficarão separados homens e mulheres, mas terão toda estrutura, lazer, alimentação e o que for necessário”, explicou.

O centro deve atender, principalmente, moradores de cortiços, que são habitações comunitárias. A administração começa a testar essa população em 8 de junho. Devem ser realizados de 12 mil a 15 mil exames. “Vamos definir uma idade de corte, para determinar as pessoas que podem ser atendidas pelo centro. Lembrando que a adesão ao acolhimento será voluntária e não obrigatória”, destacou o prefeito.

Médico patologista clínico e gestor do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica, Alex Galoro elogia as iniciativas da administração e destaca a importância das informações que serão produzidas, tanto com o aumento no número de testes, quanto com os dados oriundos do questionário epidemiológico.
“É importante que os testes identifiquem os dois tipos de anticorpos, tanto o IGM, que aparece no início da infecção e indica que o paciente ainda transmite a doença, quanto o IGG, que surge quando a pessoa já está curada, mas indica que ela teve contato com o vírus”, detalhou. “Identificar os assintomáticos é a principal forma de quebrar a cadeia de transmissão”, completou.

Galoro afirmou que centros como esse que São Caetano está construindo também foi ofertado em outros países e que têm papel fundamental na contenção da contaminação. “Cada pessoa, em média, transmite para outras três. Pode ser menos, se o isolamento for feito de forma adequada, ou pode ser mais, se o paciente sequer sabe que está contaminado. Por isso são tão importantes as medidas de distanciamento físico”, concluiu.
Galoro explicou que uma vez contaminado, em cerca de três dias o indivíduo já pode estar transmitindo a Covid para outras pessoas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Caetano fecha cerco aos assintomáticos

Prefeitura vai aumentar testes, monitorar temperatura de pedestres e realizar inquérito epidemiológico em parceria com o Instituto de Pesquisa da USCS

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

23/05/2020 | 23:05


A Prefeitura de São Caetano dá início no sábado, dia 30, a série de ações que visam identificar o maior número possível de pessoas que estejam contaminadas com a Covid-19, mas não apresentem sintomas, os chamados pacientes assintomáticos. As iniciativas se organizam em três eixos: monitoramento da temperatura dos pedestres, testagem de moradores de cortiços e um inquérito epidemiológico que, em 45 dias, vai dar à administração mapeamento muito próximo da realidade sobre a pandemia no município.

O prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) explicou que todas as medidas somam investimentos em torno de R$ 4 milhões e o principal objetivo é quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus na cidade. “Todas essas medidas vão nos ajudar a enfrentar a pandemia. O resultado do inquérito epidemiológico vai nos apontar onde procurar pelos pacientes”, citou.

A primeira ação a ser executada será em parceria com o Inpes/USCS (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano). Nos dias 30 e 31 de maio e 1º de junho serão testadas 860 pessoas, sorteadas de forma aleatória, e será feita investigação sobre hábitos, medidas de isolamento e possíveis sintomas apresentados. A cada 15 dias, outras 860 pessoas serão testadas para que, ao fim de 45 dias, o inquérito epidemiológico forneça dados que não só vão demonstrar o avanço da pandemia, como permitir que a Prefeitura pense em ações para a saída da quarentena.

“No Rio Grande do Sul identificaram que para cada caso confirmado, havia 15 outras pessoas contaminadas. Não sabemos qual vai ser o número de São Caetano, mas se for dez, 12, isso multiplica os 851 casos (até 21 de março) e nos dá de 8.510 a 10.212 pacientes infectados”, explicou o diretor do Inpes , Leandro Prearo.

“Também será possível identificar se em alguma região existe surto da doença e poderá ser pensada medidas para aquela localidade”, concluiu.
A partir de 2 de junho entram em funcionamento câmeras que têm a capacidade de detectar a temperatura das pessoas. Os equipamentos serão instalados em quatro pontos da cidade, que concentram maior fluxo de pedestres. “Uma vez identificada, a pessoa será abordada pelos técnicos da Prefeitura, convidado a realizar a medição da temperatura corporal e fazer o teste. A lógica é a mesma das barreiras sanitárias que estamos fazendo com motoristas, mas, dessa vez, será com os pedestres”, destaca Auricchio.

Em 8 de junho terá início os testes na população que mora em cortiços da cidade. No dia 2 as equipes de saúde da família vão informar os moradores das habitações coletivas sobre as testagens. Serão analisadas de 12 mil a 15 mil pessoas. Para os munícipes que estiverem infectados será oferecida a possibilidade de passar o período de isolamento em centro de referência de acolhimento e isolamento social que está sendo construído junto ao hospital de campanha dentro do Hospital São Caetano. “Um andar inteiro está sendo adaptado, com estrutura de hotelaria, para até 100 pessoas simultaneamente”, completou o prefeito (leia mais abaixo).

Todos os testes que serão realizados são do tipo rápido que identifica dois tipos de anticorpos, o IGM, que surge com a infecção e se mantem enquanto a doença está ativa, e o IGG, que daria a proteção contra novas contaminações, indicando que o paciente já está curado. 

Centro de acolhimento poderá receber 100 pessoas

A Prefeitura de São Caetano está montando, no Hospital São Caetano, centro de referência de acolhimento e isolamento social. A estrutura, que vai ocupar um andar inteiro do equipamento, será destinada para atender moradores que estejam contaminados pela Covid-19, mas não tenham condições de fazer o isolamento físico de maneira adequada.

Segundo o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), o centro terá capacidade de receber até 100 pessoas de maneira simultânea, por período de 14 dias. “Ficarão separados homens e mulheres, mas terão toda estrutura, lazer, alimentação e o que for necessário”, explicou.

O centro deve atender, principalmente, moradores de cortiços, que são habitações comunitárias. A administração começa a testar essa população em 8 de junho. Devem ser realizados de 12 mil a 15 mil exames. “Vamos definir uma idade de corte, para determinar as pessoas que podem ser atendidas pelo centro. Lembrando que a adesão ao acolhimento será voluntária e não obrigatória”, destacou o prefeito.

Médico patologista clínico e gestor do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica, Alex Galoro elogia as iniciativas da administração e destaca a importância das informações que serão produzidas, tanto com o aumento no número de testes, quanto com os dados oriundos do questionário epidemiológico.
“É importante que os testes identifiquem os dois tipos de anticorpos, tanto o IGM, que aparece no início da infecção e indica que o paciente ainda transmite a doença, quanto o IGG, que surge quando a pessoa já está curada, mas indica que ela teve contato com o vírus”, detalhou. “Identificar os assintomáticos é a principal forma de quebrar a cadeia de transmissão”, completou.

Galoro afirmou que centros como esse que São Caetano está construindo também foi ofertado em outros países e que têm papel fundamental na contenção da contaminação. “Cada pessoa, em média, transmite para outras três. Pode ser menos, se o isolamento for feito de forma adequada, ou pode ser mais, se o paciente sequer sabe que está contaminado. Por isso são tão importantes as medidas de distanciamento físico”, concluiu.
Galoro explicou que uma vez contaminado, em cerca de três dias o indivíduo já pode estar transmitindo a Covid para outras pessoas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;