Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ciesp pesquisa responsabilidade social em S.Bernardo


Andrea Catão
Do Diário do Grande ABC

12/05/2004 | 00:26


O Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) vai aplicar a Pesquisa de Responsabilidade Social a cerca de 600 indústrias com sede em São Bernardo para obter não só informações sobre a atuação destas no setor, mas dar um futuro suporte para a promoção de mudanças administrativas com vistas ao desenvolvimento econômico e social. As indústrias têm até o dia 15 de junho para entregar a pesquisa, que deve ser divulgada no mês de setembro.

O estudo solicitado pelo Ciesp tem como parceiros o Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) e o Sesi (Serviço Social da Indústria). O mapeamento busca conhecer a fundo quais as indústrias que hoje já aplicam os conceitos de responsabilidade social e também as que têm interesse em mudar a forma de trabalho.

Não se trata de assistencialismo, segundo o diretor local do Sesi, Vamberto Martinez. Ele disse que as empresas têm de atrelar o processo industrial aos benefícios que oferecem aos funcionários, aos seus familiares, à comunidade local em que a empresa está inserida e pensar em todos os outros aspectos que indiretamente favorecem o coletivo. "Não é apenas oferecer um bom plano de saúde aos funcionários, creche no interior da empresa ou distribuir cestas básicas para os carentes. Responsabilidade social é um conceito mais amplo."

Ele citou como exemplo a empresa que usa em seu processo industrial água de reúso. Nesse caso, a indústria economiza água potável e gera benefícios a um conjunto maior de pessoas. "A questão ambiental é uma das mais importantes. Hoje, as empresas brasileiras que mais exportam têm essa preocupação, porque é uma exigência do mercado externo. Muitos empresários podem protelar a promoção dessas mudanças por achar que os custos são altos. Mas esse investimento vai gerar bons resultados a longo prazo", afirmou.

O coordenador do Núcleo de Responsabilidade Social do Ciesp e industrial da Basf, Vitor Seravalli, disse que a pesquisa vai auxiliar as indústrias a elaborar um planejamento estratégico que impulsione o desenvolvimento econômico e social do município. "Pensamos além das ações sociais propriamente ditas. Algumas empresas já promovem um trabalho de educação, treinamento e profissionalização de seus funcionários e também da comunidade local, promovendo o desenvolvimento. Existem outras, no entanto, que têm esse interesse, mas falta fôlego. Ao conhecer a realidade de cada uma delas é possível unir as idéias semelhantes e difundir esse conceito (de responsabilidade social)."

As indústrias têm até o dia 15 de junho para responder às 50 questões elaboradas pela FEI, que vai tabular a pesquisa. A fórmula tem como base um estudo realizado no ano passado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), que ouviu pouco mais de 500 empresas em todo o Estado. O Ciesp, porém, espera que pelo menos 20% das empresas de São Bernardo respondam à pesquisa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ciesp pesquisa responsabilidade social em S.Bernardo

Andrea Catão
Do Diário do Grande ABC

12/05/2004 | 00:26


O Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) vai aplicar a Pesquisa de Responsabilidade Social a cerca de 600 indústrias com sede em São Bernardo para obter não só informações sobre a atuação destas no setor, mas dar um futuro suporte para a promoção de mudanças administrativas com vistas ao desenvolvimento econômico e social. As indústrias têm até o dia 15 de junho para entregar a pesquisa, que deve ser divulgada no mês de setembro.

O estudo solicitado pelo Ciesp tem como parceiros o Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) e o Sesi (Serviço Social da Indústria). O mapeamento busca conhecer a fundo quais as indústrias que hoje já aplicam os conceitos de responsabilidade social e também as que têm interesse em mudar a forma de trabalho.

Não se trata de assistencialismo, segundo o diretor local do Sesi, Vamberto Martinez. Ele disse que as empresas têm de atrelar o processo industrial aos benefícios que oferecem aos funcionários, aos seus familiares, à comunidade local em que a empresa está inserida e pensar em todos os outros aspectos que indiretamente favorecem o coletivo. "Não é apenas oferecer um bom plano de saúde aos funcionários, creche no interior da empresa ou distribuir cestas básicas para os carentes. Responsabilidade social é um conceito mais amplo."

Ele citou como exemplo a empresa que usa em seu processo industrial água de reúso. Nesse caso, a indústria economiza água potável e gera benefícios a um conjunto maior de pessoas. "A questão ambiental é uma das mais importantes. Hoje, as empresas brasileiras que mais exportam têm essa preocupação, porque é uma exigência do mercado externo. Muitos empresários podem protelar a promoção dessas mudanças por achar que os custos são altos. Mas esse investimento vai gerar bons resultados a longo prazo", afirmou.

O coordenador do Núcleo de Responsabilidade Social do Ciesp e industrial da Basf, Vitor Seravalli, disse que a pesquisa vai auxiliar as indústrias a elaborar um planejamento estratégico que impulsione o desenvolvimento econômico e social do município. "Pensamos além das ações sociais propriamente ditas. Algumas empresas já promovem um trabalho de educação, treinamento e profissionalização de seus funcionários e também da comunidade local, promovendo o desenvolvimento. Existem outras, no entanto, que têm esse interesse, mas falta fôlego. Ao conhecer a realidade de cada uma delas é possível unir as idéias semelhantes e difundir esse conceito (de responsabilidade social)."

As indústrias têm até o dia 15 de junho para responder às 50 questões elaboradas pela FEI, que vai tabular a pesquisa. A fórmula tem como base um estudo realizado no ano passado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), que ouviu pouco mais de 500 empresas em todo o Estado. O Ciesp, porém, espera que pelo menos 20% das empresas de São Bernardo respondam à pesquisa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;