Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Com queda de renda e aumento do desemprego, Bom Prato vira alternativa

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Unidade de campanha, montada no Assunção, em São Bernardo, atrai novo perfil de público


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

15/05/2020 | 00:18


A crise causada pela pandemia do coronavírus tem afetado munícipes de diversas regiões nas sete cidades. Com autorização do governo federal para a redução da jornada de trabalho e, consequentemente, do salário, além do aumento do desemprego causado pelo fechamento temporário dos estabelecimentos comerciais, muitos moradores tiveram queda nas receitas e viram como alternativa buscar refeições – no valor de R$ 1 – nas unidades do Bom Prato no Grande ABC. São três opções: os restaurantes na região central de Santo André e São Bernardo, além do equipamento provisório montado no bairro Assunção, em São Bernardo, inaugurado na segunda-feira.

Nas três unidades as filas começam a se formar bem antes do horário de início das refeições. Os equipamentos centrais de Santo André e São Bernardo ofereceram café da manhã, das 7h às 9h, almoço, das 10h às 15h, e jantar, das 17h30 às 19h30. Já o equipamento provisório funciona apenas no almoço. Normalmente, o público-alvo era pessoas em situação de rua, mas usuários ouvidos pela equipe do Diário estavam recorrendo ao serviço pela primeira vez para garantir a alimentação.

A aposentada Valda Souza Santos, 61 anos, já conhecia a unidade do Centro, mas nunca tinha feito refeição no local. Por morar há 15 anos no bairro Assunção, se interessou em buscar marmita, que sai em conta, já que a alimentação é subsidiada pelo governo do Estado. “Fui ao mercado comprar coisas mais essenciais para a casa e, na volta, já parei direto aqui, assim, não gasto com itens de um almoço”, comenta. 

O casal Luzia Antônia Moura, 56, e Maurício Galeão, 53, também mora no bairro, há 20 anos, e após Maurício ter perdido o emprego, precisou refazer o orçamento. “Pensamos em buscar alguns dias da semana a refeição aqui. É uma opção barata e de qualidade”, ressalta Luzia. 

O barbeiro Lúcio Benício, 35, foi pegar a refeição pela primeira vez para a sogra, que é idosa e hipertensa. “Moramos aqui perto, minha mulher trabalha o dia inteiro e consigo me adaptar para vir buscar refeições todos os dias”, conta.


DEMANDA ALTA
A inclusão de um terceiro local para a retirada das refeições – desde o início da pandemia os salões estão fechados e as unidades apenas entregam marmitas – teve como objetivo descentralizar o atendimento que era feito pelo equipamento do Centro de São Bernardo.

Mas a procura por refeições no Bom Prato de campanha, no Assunção, é maior do que a esperada pela Prefeitura de São Bernardo. Os alimentos servidos ali são produzidos na unidade do Centro e a expectativa era fornecer 600 marmitas no almoço. No entanto, antes do meio-dia já não há mais estoque, mesmo com a limitação de apenas uma porção por pessoa, a não ser que o munícipe apresente algum laudo médico de quem precisa retirar mais de uma refeição. 

Por meio de nota, a Prefeitura de São Bernardo prometeu avaliar a possibilidade de aumentar a oferta, já que o local tem capacidade para isso. “A unidade do Bom Prato de campanha, instalada no bairro Assunção, trabalha nesta primeira semana, em caráter experimental, com uma cota diária de 600 refeições. O local tem capacidade para ofertar até 800 refeições, conforme a demanda. O aumento da oferta será avaliado de acordo com o desempenho ao longo desta semana.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com queda de renda e aumento do desemprego, Bom Prato vira alternativa

Unidade de campanha, montada no Assunção, em São Bernardo, atrai novo perfil de público

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

15/05/2020 | 00:18


A crise causada pela pandemia do coronavírus tem afetado munícipes de diversas regiões nas sete cidades. Com autorização do governo federal para a redução da jornada de trabalho e, consequentemente, do salário, além do aumento do desemprego causado pelo fechamento temporário dos estabelecimentos comerciais, muitos moradores tiveram queda nas receitas e viram como alternativa buscar refeições – no valor de R$ 1 – nas unidades do Bom Prato no Grande ABC. São três opções: os restaurantes na região central de Santo André e São Bernardo, além do equipamento provisório montado no bairro Assunção, em São Bernardo, inaugurado na segunda-feira.

Nas três unidades as filas começam a se formar bem antes do horário de início das refeições. Os equipamentos centrais de Santo André e São Bernardo ofereceram café da manhã, das 7h às 9h, almoço, das 10h às 15h, e jantar, das 17h30 às 19h30. Já o equipamento provisório funciona apenas no almoço. Normalmente, o público-alvo era pessoas em situação de rua, mas usuários ouvidos pela equipe do Diário estavam recorrendo ao serviço pela primeira vez para garantir a alimentação.

A aposentada Valda Souza Santos, 61 anos, já conhecia a unidade do Centro, mas nunca tinha feito refeição no local. Por morar há 15 anos no bairro Assunção, se interessou em buscar marmita, que sai em conta, já que a alimentação é subsidiada pelo governo do Estado. “Fui ao mercado comprar coisas mais essenciais para a casa e, na volta, já parei direto aqui, assim, não gasto com itens de um almoço”, comenta. 

O casal Luzia Antônia Moura, 56, e Maurício Galeão, 53, também mora no bairro, há 20 anos, e após Maurício ter perdido o emprego, precisou refazer o orçamento. “Pensamos em buscar alguns dias da semana a refeição aqui. É uma opção barata e de qualidade”, ressalta Luzia. 

O barbeiro Lúcio Benício, 35, foi pegar a refeição pela primeira vez para a sogra, que é idosa e hipertensa. “Moramos aqui perto, minha mulher trabalha o dia inteiro e consigo me adaptar para vir buscar refeições todos os dias”, conta.


DEMANDA ALTA
A inclusão de um terceiro local para a retirada das refeições – desde o início da pandemia os salões estão fechados e as unidades apenas entregam marmitas – teve como objetivo descentralizar o atendimento que era feito pelo equipamento do Centro de São Bernardo.

Mas a procura por refeições no Bom Prato de campanha, no Assunção, é maior do que a esperada pela Prefeitura de São Bernardo. Os alimentos servidos ali são produzidos na unidade do Centro e a expectativa era fornecer 600 marmitas no almoço. No entanto, antes do meio-dia já não há mais estoque, mesmo com a limitação de apenas uma porção por pessoa, a não ser que o munícipe apresente algum laudo médico de quem precisa retirar mais de uma refeição. 

Por meio de nota, a Prefeitura de São Bernardo prometeu avaliar a possibilidade de aumentar a oferta, já que o local tem capacidade para isso. “A unidade do Bom Prato de campanha, instalada no bairro Assunção, trabalha nesta primeira semana, em caráter experimental, com uma cota diária de 600 refeições. O local tem capacidade para ofertar até 800 refeições, conforme a demanda. O aumento da oferta será avaliado de acordo com o desempenho ao longo desta semana.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;