Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 7 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Caixa prorrogará prazo de pagamento de financiamento habitacional, diz Bolsonaro

Fernando Frazão/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


14/05/2020 | 10:37


O presidente da República, Jair Bolsonaro, informou nesta quinta-feira, 14, que, após conversa com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o banco deverá prorrogar o prazo de carência para o pagamento de financiamentos de moradias. "Vi uma notícia na mídia agora e liguei para o Pedro Guimarães, da Caixa, para saber se era verdadeira. Era mais grave do que eu tinha lido: 2 milhões e 300 mil clientes da Caixa Econômica, que pagam casa própria, pediram para pausar o crédito", relatou na saída do Palácio da Alvorada, em conversa com jornalistas no período da manhã.

Segundo o presidente, "como regra, a Caixa permitiu atraso por até dois meses", mas logo depois resolveu prorrogar por mais um mês esse prazo. No entanto, segundo pontuou o presidente, o período de três meses ainda poderia ser insuficiente para parte da população.

"Nessa prorrogação os 2,3 milhões, de um universo de 5 milhões, ou seja, o pessoal não têm dinheiro para pagar prestação da casa própria", disse ele, anunciando logo em seguida uma nova ampliação de prazo.

"Pedro Guimarães, conversei com ele agora, em comum acordo, e ele diz que vai aumentar para quatro meses. Porque não adianta apenas prorrogar se o elemento que perdeu o emprego teve salário reduzido e não tem como pagar a prestação da casa própria", afirmou Bolsonaro.

O presidente disse ainda que "o que está sobrando de dinheiro para ele (cidadão comum) está sendo para a comida".

Nesta quinta-feira, Bolsonaro fez um forte apelo para que governadores reconsiderem as medidas de restrição por causa da pandemia do novo coronavírus. "Tem que reabrir. Nós vamos morrer de fome. A fome mata", argumentou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caixa prorrogará prazo de pagamento de financiamento habitacional, diz Bolsonaro


14/05/2020 | 10:37


O presidente da República, Jair Bolsonaro, informou nesta quinta-feira, 14, que, após conversa com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o banco deverá prorrogar o prazo de carência para o pagamento de financiamentos de moradias. "Vi uma notícia na mídia agora e liguei para o Pedro Guimarães, da Caixa, para saber se era verdadeira. Era mais grave do que eu tinha lido: 2 milhões e 300 mil clientes da Caixa Econômica, que pagam casa própria, pediram para pausar o crédito", relatou na saída do Palácio da Alvorada, em conversa com jornalistas no período da manhã.

Segundo o presidente, "como regra, a Caixa permitiu atraso por até dois meses", mas logo depois resolveu prorrogar por mais um mês esse prazo. No entanto, segundo pontuou o presidente, o período de três meses ainda poderia ser insuficiente para parte da população.

"Nessa prorrogação os 2,3 milhões, de um universo de 5 milhões, ou seja, o pessoal não têm dinheiro para pagar prestação da casa própria", disse ele, anunciando logo em seguida uma nova ampliação de prazo.

"Pedro Guimarães, conversei com ele agora, em comum acordo, e ele diz que vai aumentar para quatro meses. Porque não adianta apenas prorrogar se o elemento que perdeu o emprego teve salário reduzido e não tem como pagar a prestação da casa própria", afirmou Bolsonaro.

O presidente disse ainda que "o que está sobrando de dinheiro para ele (cidadão comum) está sendo para a comida".

Nesta quinta-feira, Bolsonaro fez um forte apelo para que governadores reconsiderem as medidas de restrição por causa da pandemia do novo coronavírus. "Tem que reabrir. Nós vamos morrer de fome. A fome mata", argumentou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;