Fechar
Publicidade

Domingo, 9 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mudança em plantões é positiva, diz delegado

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Estado reduziu investigadores plantonistas em Diadema; prefeito atribuiu decisão ao governador


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/05/2020 | 23:30


Delegado responsável pela delegacia seccional de Diadema, Guerdson Ferreira (foto) rebateu as declarações do prefeito Lauro Michels (PV) e negou que o remanejamento de investigadores plantonistas na cidade representará em redução desses profissionais. Segundo ele, as mudanças permitirão otimizar a “elucidação de crimes”.

No sábado, Lauro criticou o governador João Doria (PSDB), em entrevista ao Diário, por autorizar a redução no número de delegados plantonistas na cidade de cinco para um.

“De modo algum houve prejuízo para o munícipe. Os delegados não foram retirados, mas apenas remanejados para elucidação de crimes, que é um serviço muito mais relevante do que o mero registro de uma ocorrência”, explicou Ferreira, ao confirmar, porém, que apenas um delegado ficará responsável pelo plantão de dois DPs (1º, no Centro; e 3º, no Taboão) – o plantonista coordenará os trabalhos nos dois distritos a partir do equipamento no bairro Taboão.

Ferreira destacou que os plantões continuam atendendo “da mesma forma, com dois (departamentos abertos)”, mas que ficarão sob responsabilidade de um mesmo delegado. E que os demais investigadores serão incumbidos de dar andamento às ocorrências registradas na delegacia eletrônica, além da DDM (Delegacia da Mulher). No mês passado, como forma de evitar aglomerações nas delegacias durante a pandemia de Covid-19, o Palácio dos Bandeirantes ampliou a possibilidade de registro virtual de crimes que antes só poderiam ser feitos presencialmente. É possível notificar, por exemplo, roubo ou furto a residência; roubo ou furto a estabelecimento comercial; crimes contra o consumidor; roubo ou furto de carga; ameaça e estelionato: www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br. As exceções são ocorrências que dependem de coleta imediata de provas, como homicídios, latrocínios, estupros e violência doméstica.

O delegado rebateu ainda as críticas do prefeito direcionadas a Doria. “Essas decisões não partem do governador. Ele logicamente toma conhecimento, mas essas questões são administrativas e partem da própria Polícia Civil. Imagina se o governador iria tomar uma decisão de polícia. Isso não chega nem a nível de secretaria”, contestou o delegado, que disse ter explicado as mudanças ao próprio prefeito. “Eu acho que é meio desnecessário explicar esse tipo de coisa. É muito óbvio, e muito claro. É como você ter uma empregada. Você não vai ensiná-la a varrer o chão.”

Lauro, ao Diário, havia contestado a decisão do governo paulista ao levar em consideração a área territorial da cidade – possui 30 quilômetros quadrados –, mas que ignora o contingente populacional. “E onde Diadema é uma cidade pequena? Apesar de estarmos em uma área menor, temos mais de 400 mil habitantes (420,9 mil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Doria não conhece nossa cidade, não tem noção do que está fazendo. Não tenho o que fazer. Vou lamentar.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mudança em plantões é positiva, diz delegado

Estado reduziu investigadores plantonistas em Diadema; prefeito atribuiu decisão ao governador

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/05/2020 | 23:30


Delegado responsável pela delegacia seccional de Diadema, Guerdson Ferreira (foto) rebateu as declarações do prefeito Lauro Michels (PV) e negou que o remanejamento de investigadores plantonistas na cidade representará em redução desses profissionais. Segundo ele, as mudanças permitirão otimizar a “elucidação de crimes”.

No sábado, Lauro criticou o governador João Doria (PSDB), em entrevista ao Diário, por autorizar a redução no número de delegados plantonistas na cidade de cinco para um.

“De modo algum houve prejuízo para o munícipe. Os delegados não foram retirados, mas apenas remanejados para elucidação de crimes, que é um serviço muito mais relevante do que o mero registro de uma ocorrência”, explicou Ferreira, ao confirmar, porém, que apenas um delegado ficará responsável pelo plantão de dois DPs (1º, no Centro; e 3º, no Taboão) – o plantonista coordenará os trabalhos nos dois distritos a partir do equipamento no bairro Taboão.

Ferreira destacou que os plantões continuam atendendo “da mesma forma, com dois (departamentos abertos)”, mas que ficarão sob responsabilidade de um mesmo delegado. E que os demais investigadores serão incumbidos de dar andamento às ocorrências registradas na delegacia eletrônica, além da DDM (Delegacia da Mulher). No mês passado, como forma de evitar aglomerações nas delegacias durante a pandemia de Covid-19, o Palácio dos Bandeirantes ampliou a possibilidade de registro virtual de crimes que antes só poderiam ser feitos presencialmente. É possível notificar, por exemplo, roubo ou furto a residência; roubo ou furto a estabelecimento comercial; crimes contra o consumidor; roubo ou furto de carga; ameaça e estelionato: www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br. As exceções são ocorrências que dependem de coleta imediata de provas, como homicídios, latrocínios, estupros e violência doméstica.

O delegado rebateu ainda as críticas do prefeito direcionadas a Doria. “Essas decisões não partem do governador. Ele logicamente toma conhecimento, mas essas questões são administrativas e partem da própria Polícia Civil. Imagina se o governador iria tomar uma decisão de polícia. Isso não chega nem a nível de secretaria”, contestou o delegado, que disse ter explicado as mudanças ao próprio prefeito. “Eu acho que é meio desnecessário explicar esse tipo de coisa. É muito óbvio, e muito claro. É como você ter uma empregada. Você não vai ensiná-la a varrer o chão.”

Lauro, ao Diário, havia contestado a decisão do governo paulista ao levar em consideração a área territorial da cidade – possui 30 quilômetros quadrados –, mas que ignora o contingente populacional. “E onde Diadema é uma cidade pequena? Apesar de estarmos em uma área menor, temos mais de 400 mil habitantes (420,9 mil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Doria não conhece nossa cidade, não tem noção do que está fazendo. Não tenho o que fazer. Vou lamentar.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;