Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Particularidades do reparo de alumínio em oficinas automotivas

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Para quem tem um carro que possui carroceria à base de alumínio,reparos em uma oficina pode ser um problema


Da Redação
Do Garagem360

08/05/2020 | 17:18


Para quem tem um automóvel que possui carroceria à base de alumínio, fazer determinados reparos em uma oficina pode ser um problema. A questão é relevante porque, cada vez mais, veremos esse material chegando às reparadoras.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Reparo de alumínio

Nos EUA, a Ford mudou do aço para o alumínio, a carroceria do seu veículo mais vendido, a picape F-150 – líder de vendas durante mais de 30 anos. Com isso, obteve uma redução de peso do modelo de mais de 300 quilos – quase 20% a menos que o peso original. Uma das maiores vantagens é que um veículo mais leve tem maior eficiência energética e, por isso, consome menos combustível.

A adoção do alumínio em um dos veículos mais vendidos dos EUA deve servir de alerta para as oficinas e seguradoras do Brasil: o alumínio vem para ficar. Mas a questão que fica é se as oficinas brasileiras estão preparadas para isso.

LEIA MAIS: Covid-19: São Paulo terá rodízio 24h e restringe circulação por placa par e ímpar; medida passa a valer segunda-feira
Combate à covid-19: durante pandemia, Jaguar Land Rover repara ventiladores hospitalares

“Devido ao desconhecimento tanto das características desse metal quanto da técnica apropriada para o trabalho, muitas oficinas têm encontrado dificuldades para reparar pequenas avarias no alumínio”, aponta Emerson Feliciano, gerente sênior de Pesquisa e Desenvolvimento do CESVI BRASIL.

“Por não saber como reparar, acabam optando pela substituição de peças. Essa troca desnecessária aumenta o custo do reparo, impactando a companhia de seguros”, completa Emerson.

Diferenças no reparo

De modo geral, o reparo feito em peças automotivas de alumínio é semelhante ao trabalho feito em peças de aço. Mas há algumas diferenças importantes, às quais as oficinas precisam ficar atentas para que o serviço seja bem executado.

Dentre as principais diferenças no reparo entre um material e o outro, é que o alumínio oferece uma resistência maior à corrosão e, quando estampado, tem uma dureza maior – essa característica pode ser sentida, principalmente, no trabalho com martelinho de ouro.

Quando as chapas de alumínio são desbastadas com esmerilhadeira, não soltam fagulhas – diferentemente do aço –, e por isso o reparador não tem uma noção exata se está desbastando material em excesso – o que exige mais do conhecimento do funileiro.

Além disso, por ter uma condutividade elétrica mais alta que o aço, o alumínio não pode ser trabalhado com as repuxadeiras convencionais. Aliás, as ferramentas que a oficina costuma usar para o reparo do aço não devem ser usadas no alumínio, já que isso pode provocar contaminação da peça.

Além disso, a soldagem do alumínio é mais complexa, sendo que esse metal, muitas vezes, é reparado com adesivo estrutural, o que demanda treinamento maior do operador.

Na substituição parcial, é comum o uso de rebites especiais para alumínio – além do adesivo estrutural. Mas, vale lembrar que os adesivos estruturais – desenvolvidos para substituir a solda convencional em algumas aplicações – têm como componente principal o poliuretano, ou epóxi, promovendo uma boa adesão às áreas que precisam ser coladas.

10 carros mais vendidos no mundo

Se o Chevrolet Onix domina as vendas no Brasil e na América do Sul, no mundo o Toyota Corolla segue firme no ranking de emplacamentos. É o que revela os dados da consultoria Focus2Move, cujas informações apontam que o modelo é o carro mais vendido no planeta em 2020 (até fevereiro).

Na galeria, confira quais são os 10 modelos mais vendidos neste ano.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Particularidades do reparo de alumínio em oficinas automotivas

Para quem tem um carro que possui carroceria à base de alumínio,reparos em uma oficina pode ser um problema

Da Redação
Do Garagem360

08/05/2020 | 17:18


Para quem tem um automóvel que possui carroceria à base de alumínio, fazer determinados reparos em uma oficina pode ser um problema. A questão é relevante porque, cada vez mais, veremos esse material chegando às reparadoras.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Reparo de alumínio

Nos EUA, a Ford mudou do aço para o alumínio, a carroceria do seu veículo mais vendido, a picape F-150 – líder de vendas durante mais de 30 anos. Com isso, obteve uma redução de peso do modelo de mais de 300 quilos – quase 20% a menos que o peso original. Uma das maiores vantagens é que um veículo mais leve tem maior eficiência energética e, por isso, consome menos combustível.

A adoção do alumínio em um dos veículos mais vendidos dos EUA deve servir de alerta para as oficinas e seguradoras do Brasil: o alumínio vem para ficar. Mas a questão que fica é se as oficinas brasileiras estão preparadas para isso.

LEIA MAIS: Covid-19: São Paulo terá rodízio 24h e restringe circulação por placa par e ímpar; medida passa a valer segunda-feira
Combate à covid-19: durante pandemia, Jaguar Land Rover repara ventiladores hospitalares

“Devido ao desconhecimento tanto das características desse metal quanto da técnica apropriada para o trabalho, muitas oficinas têm encontrado dificuldades para reparar pequenas avarias no alumínio”, aponta Emerson Feliciano, gerente sênior de Pesquisa e Desenvolvimento do CESVI BRASIL.

“Por não saber como reparar, acabam optando pela substituição de peças. Essa troca desnecessária aumenta o custo do reparo, impactando a companhia de seguros”, completa Emerson.

Diferenças no reparo

De modo geral, o reparo feito em peças automotivas de alumínio é semelhante ao trabalho feito em peças de aço. Mas há algumas diferenças importantes, às quais as oficinas precisam ficar atentas para que o serviço seja bem executado.

Dentre as principais diferenças no reparo entre um material e o outro, é que o alumínio oferece uma resistência maior à corrosão e, quando estampado, tem uma dureza maior – essa característica pode ser sentida, principalmente, no trabalho com martelinho de ouro.

Quando as chapas de alumínio são desbastadas com esmerilhadeira, não soltam fagulhas – diferentemente do aço –, e por isso o reparador não tem uma noção exata se está desbastando material em excesso – o que exige mais do conhecimento do funileiro.

Além disso, por ter uma condutividade elétrica mais alta que o aço, o alumínio não pode ser trabalhado com as repuxadeiras convencionais. Aliás, as ferramentas que a oficina costuma usar para o reparo do aço não devem ser usadas no alumínio, já que isso pode provocar contaminação da peça.

Além disso, a soldagem do alumínio é mais complexa, sendo que esse metal, muitas vezes, é reparado com adesivo estrutural, o que demanda treinamento maior do operador.

Na substituição parcial, é comum o uso de rebites especiais para alumínio – além do adesivo estrutural. Mas, vale lembrar que os adesivos estruturais – desenvolvidos para substituir a solda convencional em algumas aplicações – têm como componente principal o poliuretano, ou epóxi, promovendo uma boa adesão às áreas que precisam ser coladas.

10 carros mais vendidos no mundo

Se o Chevrolet Onix domina as vendas no Brasil e na América do Sul, no mundo o Toyota Corolla segue firme no ranking de emplacamentos. É o que revela os dados da consultoria Focus2Move, cujas informações apontam que o modelo é o carro mais vendido no planeta em 2020 (até fevereiro).

Na galeria, confira quais são os 10 modelos mais vendidos neste ano.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;