Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Trump: estamos em um período difícil na relação com a China

Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


08/05/2020 | 11:14


O presidente americano, Donald Trump, afirmou na manhã desta sexta-feira, 8, que os Estados Unidos passam por um "período difícil" na relação com a China. As duas maiores economias do mundo estão vivendo dias de tensão diplomática após Washington ter elevado o tom contra o país asiático, responsabilizando-o pela pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista à Fox News, Trump disse que ainda não decidiu o que fazer com a China, mas não descartou a possibilidade de romper o acordo comercial firmado com Pequim em janeiro. "A China fez uma coisa terrível, mas pode não ter sido propósito", ponderou, contudo, o líder da Casa Branca.

Trump ainda afirmou que tomará uma decisão definitiva sobre o financiamento à Organização Mundial da Saúde (OMS) eme breve. O envio de verbas dos EUA à entidade foi suspenso após Trump acusá-la de "sinocentrismo".

Sobre o relatório de empregos americano, o payroll, divulgado durante a entrevista e que apontou o fechamento de 20,5 milhões de vagas nos EUA apenas em abril, Trump disse que o número já era esperado. "Todos os empregos perdidos devem ser recuperados muito em breve", afirmou à emissora, dizendo ainda que o terceiro trimestre será de transição no país, e o quarto, de recuperação. "Teremos um ano fantástico para a economia em 2021".

O presidente americano defendeu o relaxamento da quarentena e disse que alguns Estados do país devem reabrir a economia ainda mais rápido do que se pensa. "As pessoas querem voltar a trabalhar, e não estão pedindo muito. Não podemos fechar o nosso país por dois anos", declarou. "Nossa economia está reabrindo, mas temos respiradores para vencer o coronavírus", completou. O republicano ainda disse que deve fazer o teste de anticorpos para coronavírus em breve.

Sem detalhar, Trump também afirmou que "não há muito o que fazer" sobre a Venezuela.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Trump: estamos em um período difícil na relação com a China


08/05/2020 | 11:14


O presidente americano, Donald Trump, afirmou na manhã desta sexta-feira, 8, que os Estados Unidos passam por um "período difícil" na relação com a China. As duas maiores economias do mundo estão vivendo dias de tensão diplomática após Washington ter elevado o tom contra o país asiático, responsabilizando-o pela pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista à Fox News, Trump disse que ainda não decidiu o que fazer com a China, mas não descartou a possibilidade de romper o acordo comercial firmado com Pequim em janeiro. "A China fez uma coisa terrível, mas pode não ter sido propósito", ponderou, contudo, o líder da Casa Branca.

Trump ainda afirmou que tomará uma decisão definitiva sobre o financiamento à Organização Mundial da Saúde (OMS) eme breve. O envio de verbas dos EUA à entidade foi suspenso após Trump acusá-la de "sinocentrismo".

Sobre o relatório de empregos americano, o payroll, divulgado durante a entrevista e que apontou o fechamento de 20,5 milhões de vagas nos EUA apenas em abril, Trump disse que o número já era esperado. "Todos os empregos perdidos devem ser recuperados muito em breve", afirmou à emissora, dizendo ainda que o terceiro trimestre será de transição no país, e o quarto, de recuperação. "Teremos um ano fantástico para a economia em 2021".

O presidente americano defendeu o relaxamento da quarentena e disse que alguns Estados do país devem reabrir a economia ainda mais rápido do que se pensa. "As pessoas querem voltar a trabalhar, e não estão pedindo muito. Não podemos fechar o nosso país por dois anos", declarou. "Nossa economia está reabrindo, mas temos respiradores para vencer o coronavírus", completou. O republicano ainda disse que deve fazer o teste de anticorpos para coronavírus em breve.

Sem detalhar, Trump também afirmou que "não há muito o que fazer" sobre a Venezuela.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;