Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Capital terá rodízio por 24 horas e dias alternados

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Veículos serão separados por placas pares e ímpares; prefeitos do Grande ABC cogitam aderir à restrição


Aline Melo
Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

07/05/2020 | 22:47


Na tentativa de aumentar o isolamento físico, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou ontem regras rigorosas para o rodízio a partir de segunda-feira. A restrição agora vale pelas 24 horas – inclusive aos fins de semana – e os automóveis com placa par (0, 2, 4, 6 e 8) só poderão circular em dias pares, e os de placar ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só são autorizados a rodar em dias ímpares. As prefeituras do Grande ABC estudam adotar medidas semelhantes (leia mais ao lado).

A medida exclui carros de polícia, do Exército e da área da saúde, assim como os carros dos profissionais que atuam na linha de frente do combate à Covid-19, que devem fazer cadastro junto à prefeitura para obter isenção. Os táxis também estarão livres e os motoristas de aplicativos terão de cumprir a nova regra. O mesmo vale aos funcionários de supermercados, pet shops, lotéricas, padarias, farmácias e outros funcionários de serviços essenciais. A circulação de motos está liberada. Quem descumprir a determinação pode ser multado em R$ 130,16, mais quatro pontos no prontuário da CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Covas também destacou a volta da restrição máxima para caminhões, excluindo os que sejam para abastecimentos ou ligados à saúde. Com isso, por causa das medidas, a partir de segunda-feira serão acrescentados 1.000 ônibus em circulação na rede municipal. “Questões extremas exigem medidas extremas, com isso anuncio o retorno do rodízio de forma mais restritiva. Não dá para deixar de tomar medidas como essa, com taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com mais de 80%”, anunciou o prefeito.

A medida vai interferir na rotina dos munícipes do Grande ABC. A técnica de enfermagem Fernanda Almeida Bregaida, 31 anos, mora em São Caetano e trabalha em hospital privado na Zona Sul de São Paulo. Ela avalia que a medida vai fazer com que as pessoas que saem sem necessidade fiquem em casa, mas deve piorar a rotina de quem precisa continuar trabalhando. “O número de pessoas que no dia de rodízio vão ter que optar pelo transporte público vai aumentar, o que vai gerar aglomeração em ônibus e Metrô”, opinou.

A medida também visa disponibilizar aos trabalhadores de serviços essenciais que recorrem em caso de multa. “Ficou vaga essa questão do cadastro. Não sabemos se vai ser efetivo. Com relação às multas, imagina ter que trabalhar todos os dias e levar multas diárias?”, questionou.
Já a enfermeira Letícia Abbade, 24 anos, reside em Santo André e trabalha no hospital de campanha do Pacaembu, em São Paulo. Ela utiliza o carro para trabalhar todos os dias e, em média, leva cerca de 30 minutos para chegar ao estádio. Quando era o dia do rodízio do seu veículo, optava em utilizar o carro da mãe. “A medida pode prejudicar, não só nossa chegada ao trabalho, mas, sim, em relação ao nosso cansaço, pois evito o vale- transporte para chegar em casa mais rápido e conseguir descansar”, comenta Abbade.

Na jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas de folga, a enfermeira avalia que no transporte público o risco de contaminação é maior. “Se pegar o transporte público, demoro mais para chegar em casa”, finaliza. 


Prefeitos do Grande ABC cogitam aderir à restrição

 O presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), avaliou como “responsável” a decisão do novo esquema do rodízio de veículos adotado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), na Capital. “Isso é fruto do momento e vamos colocar este assunto em assembleia na próxima reunião de prefeitos (marcada para acontecer na segunda-feira)”, declarou Maranhão.
 

 “É notório que a gente tinha adesão maior ao isolamento antes e temos visto grande descaso, principalmente neste momento, em que estamos em estado crítico da pandemia”, avaliou o líder do colegiado, que afirmou que vai discutir com os demais prefeitos a adoção de medida semelhante em todo o Grande ABC.

 Questionadas individualmente pelo Diário, algumas administrações municipais informaram que há possibilidade de copiar o esquema do rodízio da Capital, como, por exemplo, São Caetano. “Foi uma decisão corajosa do Bruno. Por que não implantá-la também no Grande ABC? É algo que pode ser estudado como alternativa para aumentar o isolamento da população”, declarou o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB). 


Em Santo André, a medida também será avaliada. De acordo com o prefeito Paulo Serra (PSDB), a iniciativa só poderá entrar em vigor em conjunto com as demais seis cidades. “Esta pauta deve ser levada para a reunião no Consórcio. Se isso fosse adotado individualmente, traria confusão e desinformação aos munícipes. Então, será uma discussão com o colegiado”, destaca o tucano. 

Paulo Serra avalia como positiva a medida adotada pela Capital. “Acredito que vai reforçar o isolamento social, pois, lamentavelmente, nos deparamos com número muito alto de casos em todo Estado”, pontuou o prefeito.

Já a Prefeitura de São Bernardo informou que está estimulando o uso do transporte individual. “Não acarretou em problemas com aglomerações no trânsito, o que demonstra a conscientização e colaboração da população”, destaca a administração, em nota. “No momento, a Prefeitura não irá implantar nenhum mecanismo de rodízio e, caso esta determinação seja necessária, a mesma será discutida em âmbito regional”, prosseguiu o Paço. 

Diadema destacou que aguarda o decreto estadual para verificar as possíveis medidas a serem tomadas pelo município. Mauá não comentou o assunto. Em Ribeirão Pires, a administração destacou que terá mais informações sobre novas ações apenas hoje. AM/YA


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Capital terá rodízio por 24 horas e dias alternados

Veículos serão separados por placas pares e ímpares; prefeitos do Grande ABC cogitam aderir à restrição

Aline Melo
Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

07/05/2020 | 22:47


Na tentativa de aumentar o isolamento físico, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou ontem regras rigorosas para o rodízio a partir de segunda-feira. A restrição agora vale pelas 24 horas – inclusive aos fins de semana – e os automóveis com placa par (0, 2, 4, 6 e 8) só poderão circular em dias pares, e os de placar ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só são autorizados a rodar em dias ímpares. As prefeituras do Grande ABC estudam adotar medidas semelhantes (leia mais ao lado).

A medida exclui carros de polícia, do Exército e da área da saúde, assim como os carros dos profissionais que atuam na linha de frente do combate à Covid-19, que devem fazer cadastro junto à prefeitura para obter isenção. Os táxis também estarão livres e os motoristas de aplicativos terão de cumprir a nova regra. O mesmo vale aos funcionários de supermercados, pet shops, lotéricas, padarias, farmácias e outros funcionários de serviços essenciais. A circulação de motos está liberada. Quem descumprir a determinação pode ser multado em R$ 130,16, mais quatro pontos no prontuário da CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Covas também destacou a volta da restrição máxima para caminhões, excluindo os que sejam para abastecimentos ou ligados à saúde. Com isso, por causa das medidas, a partir de segunda-feira serão acrescentados 1.000 ônibus em circulação na rede municipal. “Questões extremas exigem medidas extremas, com isso anuncio o retorno do rodízio de forma mais restritiva. Não dá para deixar de tomar medidas como essa, com taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com mais de 80%”, anunciou o prefeito.

A medida vai interferir na rotina dos munícipes do Grande ABC. A técnica de enfermagem Fernanda Almeida Bregaida, 31 anos, mora em São Caetano e trabalha em hospital privado na Zona Sul de São Paulo. Ela avalia que a medida vai fazer com que as pessoas que saem sem necessidade fiquem em casa, mas deve piorar a rotina de quem precisa continuar trabalhando. “O número de pessoas que no dia de rodízio vão ter que optar pelo transporte público vai aumentar, o que vai gerar aglomeração em ônibus e Metrô”, opinou.

A medida também visa disponibilizar aos trabalhadores de serviços essenciais que recorrem em caso de multa. “Ficou vaga essa questão do cadastro. Não sabemos se vai ser efetivo. Com relação às multas, imagina ter que trabalhar todos os dias e levar multas diárias?”, questionou.
Já a enfermeira Letícia Abbade, 24 anos, reside em Santo André e trabalha no hospital de campanha do Pacaembu, em São Paulo. Ela utiliza o carro para trabalhar todos os dias e, em média, leva cerca de 30 minutos para chegar ao estádio. Quando era o dia do rodízio do seu veículo, optava em utilizar o carro da mãe. “A medida pode prejudicar, não só nossa chegada ao trabalho, mas, sim, em relação ao nosso cansaço, pois evito o vale- transporte para chegar em casa mais rápido e conseguir descansar”, comenta Abbade.

Na jornada de 12 horas trabalhadas por 36 horas de folga, a enfermeira avalia que no transporte público o risco de contaminação é maior. “Se pegar o transporte público, demoro mais para chegar em casa”, finaliza. 


Prefeitos do Grande ABC cogitam aderir à restrição

 O presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), avaliou como “responsável” a decisão do novo esquema do rodízio de veículos adotado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), na Capital. “Isso é fruto do momento e vamos colocar este assunto em assembleia na próxima reunião de prefeitos (marcada para acontecer na segunda-feira)”, declarou Maranhão.
 

 “É notório que a gente tinha adesão maior ao isolamento antes e temos visto grande descaso, principalmente neste momento, em que estamos em estado crítico da pandemia”, avaliou o líder do colegiado, que afirmou que vai discutir com os demais prefeitos a adoção de medida semelhante em todo o Grande ABC.

 Questionadas individualmente pelo Diário, algumas administrações municipais informaram que há possibilidade de copiar o esquema do rodízio da Capital, como, por exemplo, São Caetano. “Foi uma decisão corajosa do Bruno. Por que não implantá-la também no Grande ABC? É algo que pode ser estudado como alternativa para aumentar o isolamento da população”, declarou o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB). 


Em Santo André, a medida também será avaliada. De acordo com o prefeito Paulo Serra (PSDB), a iniciativa só poderá entrar em vigor em conjunto com as demais seis cidades. “Esta pauta deve ser levada para a reunião no Consórcio. Se isso fosse adotado individualmente, traria confusão e desinformação aos munícipes. Então, será uma discussão com o colegiado”, destaca o tucano. 

Paulo Serra avalia como positiva a medida adotada pela Capital. “Acredito que vai reforçar o isolamento social, pois, lamentavelmente, nos deparamos com número muito alto de casos em todo Estado”, pontuou o prefeito.

Já a Prefeitura de São Bernardo informou que está estimulando o uso do transporte individual. “Não acarretou em problemas com aglomerações no trânsito, o que demonstra a conscientização e colaboração da população”, destaca a administração, em nota. “No momento, a Prefeitura não irá implantar nenhum mecanismo de rodízio e, caso esta determinação seja necessária, a mesma será discutida em âmbito regional”, prosseguiu o Paço. 

Diadema destacou que aguarda o decreto estadual para verificar as possíveis medidas a serem tomadas pelo município. Mauá não comentou o assunto. Em Ribeirão Pires, a administração destacou que terá mais informações sobre novas ações apenas hoje. AM/YA

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;