Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Anistia Internacional exige investigação sobre morte de brasileiro


Da AFP

26/07/2005 | 14:07


A organização de defesa dos direitos, Anistia Internacional, exigiu nesta terça-feira uma "investigação exaustiva" sobre as circunstâncias da morte "trágica" do brasileiro Jean Charles de Menezes.

"A investigação deve ser rápida, exaustiva, independente e imparcial", disse a organização, cuja sede está situada na capital inglesa. ”Esta investigação deve determinar com certeza se a morte do eletricista brasileiro, de 27 anos, ocorreu em uma ação lícita".

A organização reconhece, contudo, que a morte do brasileiro aconteceu em circunstâncias de "segurança reforçada".

Jean Charles foi morto com oito tiros, em uma estação de metrô ao sul de Londres, por policiais à paisana que pensaram que fosse um camicase, no dia seguinte à segunda série de atentados praticados na capital britânica.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Anistia Internacional exige investigação sobre morte de brasileiro

Da AFP

26/07/2005 | 14:07


A organização de defesa dos direitos, Anistia Internacional, exigiu nesta terça-feira uma "investigação exaustiva" sobre as circunstâncias da morte "trágica" do brasileiro Jean Charles de Menezes.

"A investigação deve ser rápida, exaustiva, independente e imparcial", disse a organização, cuja sede está situada na capital inglesa. ”Esta investigação deve determinar com certeza se a morte do eletricista brasileiro, de 27 anos, ocorreu em uma ação lícita".

A organização reconhece, contudo, que a morte do brasileiro aconteceu em circunstâncias de "segurança reforçada".

Jean Charles foi morto com oito tiros, em uma estação de metrô ao sul de Londres, por policiais à paisana que pensaram que fosse um camicase, no dia seguinte à segunda série de atentados praticados na capital britânica.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;