Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Setor de construção no Grande ABC registra alta do emprego em março


Adriana Mompean
Do Diário do Grande ABC

13/05/2004 | 22:02


Após duas quedas consecutivas, o Grande ABC registrou pela primeira vez em 2004 crescimento no nível de emprego na construção civil, com variação de 5,14% em março ante fevereiro, o que representou 838 vagas a mais, de acordo com dados divulgados nesta quinta pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e da GVconsult, com base em pesquisa do Ministério do Trabalho. Segundo o estudo do SindusCon, a região apresentou a melhor variação porcentual e de número de abertura de postos de trabalho no mês no Estado de São Paulo.

O primeiro trimestre de 2004, comparado com o mesmo período de 2003, revelou que o Grande ABC teve crescimento de 6,12% no nível de emprego, a maior variação positiva porcentual do Estado, segundo Eduardo Zaidan, vice-presidente do SindusCon-SP. “Os números demonstram que há vigor para a abertura de vagas no Grande ABC”, afirma. A variação nos últimos 12 meses na região foi de 11,86%, o que significou a abertura de 1.816 vagas.

O primeiro trimestre deste ano contabilizou na região 561 vagas de trabalho na construção civil, já que o Grande ABC apresentou quedas em janeiro e fevereiro, com 211 e 66 vagas a menos nestes meses, respectivamente.

Brasil – O nível de emprego na construção civil brasileira subiu pelo terceiro mês consecutivo, com a abertura de quase 7,8 mil vagas em março, um crescimento de 0,66% ante fevereiro. No primeiro trimestre do ano, foram criadas cerca de 25,5 mil postos de trabalho. Entretanto, na comparação com o primeiro trimestre de 2003, o emprego na construção civil brasileira teve queda de 0,53%, o equivalente a perda de 6,3 mil vagas. “A construção civil iniciou a recuperação de atividade e nível de emprego, mas o processo ainda é tímido”, afirma Zaidan. O vice-presidente do SindusCon acredita que um maior aquecimento aconteça a partir do segundo semestre, já que o setor trabalha com uma defasagem de cerca de seis meses em relação à economia como um todo. “É inegável que houve uma virada de tendência e que existe uma retomada em diversos setores da economia brasileira.”

Estado – Segundo Zaidan, o nível de emprego na construção civil paulista acompanhou a tendência brasileira. Os resultados de março ante fevereiro revelaram um aumento de 0,86%, ou três mil vagas a mais. Os resultados do primeiro trimestre do ano (abertura de 9 mil vagas) apresentaram queda de 0,43% se comparado com o mesmo período de 2003, o que corresponde a uma perda de 1.507 vagas.

O nível de emprego na Capital cresceu 0,38% em março ante fevereiro. Outras regiões do Estado que apresentaram crescimento de fevereiro para março foram: Sudeste (área de São José dos Campos) com 2,26%; Centro-Leste (área de Campinas) com 0,54%; Norte (área de Ribeirão Preto) com 1,98%; Baixada Santista e Litoral com 0,40%; Sudoeste (área de Sorocaba) com 0,46%; Centro-Oeste (área de Bauru) com 1%; e Noroeste (área de São José do Rio Preto) com 0,43%. O nível de emprego caiu somente na região Oeste (área de Presidente Prudente), que apresentou queda de 0,91%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;