Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Osmar Terra volta a dizer que 'quarentena está quebrando o País'

José Cruz/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da AE

28/04/2020 | 15:05


Apesar de o Ministério da Saúde, cientistas de todo o mundo, médicos e governos terem comprovado que o isolamento social é a melhor medida preventiva para segurar a explosão da pandemia e exatamente no dia em que o Brasil deve superar o número oficial de mortos anunciados pela China, com mais de 4.600 vítimas fatais do coronavírus, o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra voltou a criticar nesta terça-feira, 28, as quarentenas em vigor no País.

Numa rede social, Terra voltou a dizer que o isolamento social não tem ajudado a segurar o aumento explosivo de pacientes de covid-19 em hospitais. "Para que era mesmo a quarentena imposta pelos governadores? P achatar a curva de progressão do coronavírus? Pois é..não aconteceu.A quarentena não reduziu um caso da doença e está quebrando o país, inutilmente! Vejam progressão da curva no Brasil em 45 dias. Parece achatada? Não".

Na segunda, 27, já sob a gestão do ministro Nelson Teich, o próprio Ministério da Saúde reafirmou que a medida é necessária para manter o controle da situação.

Isolado dentro do próprio governo, Osmar Terra tem insistido em suas teorias, as quais, dia após dia, são esvaziadas pelos fatos. Três semanas atrás, no dia 9 de abril, foi flagrado pela CNN em uma conversa com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na qual dizia que o coronavírus deve fazer "entre 3 mil e 4 mil mortos", o que classificou como "menos do que uma gripe sazonal".

Ontem, o Brasil registrou 4.543 mortes e 66.501 casos confirmados em todas as unidades federativas, de acordo com o Ministério da Saúde. Mais de 300 mortes têm sido registradas diariamente e o próprio governo admite que o pico da doença ainda não chegou nas maiores cidades do País.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Osmar Terra volta a dizer que 'quarentena está quebrando o País'

Da AE

28/04/2020 | 15:05


Apesar de o Ministério da Saúde, cientistas de todo o mundo, médicos e governos terem comprovado que o isolamento social é a melhor medida preventiva para segurar a explosão da pandemia e exatamente no dia em que o Brasil deve superar o número oficial de mortos anunciados pela China, com mais de 4.600 vítimas fatais do coronavírus, o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra voltou a criticar nesta terça-feira, 28, as quarentenas em vigor no País.

Numa rede social, Terra voltou a dizer que o isolamento social não tem ajudado a segurar o aumento explosivo de pacientes de covid-19 em hospitais. "Para que era mesmo a quarentena imposta pelos governadores? P achatar a curva de progressão do coronavírus? Pois é..não aconteceu.A quarentena não reduziu um caso da doença e está quebrando o país, inutilmente! Vejam progressão da curva no Brasil em 45 dias. Parece achatada? Não".

Na segunda, 27, já sob a gestão do ministro Nelson Teich, o próprio Ministério da Saúde reafirmou que a medida é necessária para manter o controle da situação.

Isolado dentro do próprio governo, Osmar Terra tem insistido em suas teorias, as quais, dia após dia, são esvaziadas pelos fatos. Três semanas atrás, no dia 9 de abril, foi flagrado pela CNN em uma conversa com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na qual dizia que o coronavírus deve fazer "entre 3 mil e 4 mil mortos", o que classificou como "menos do que uma gripe sazonal".

Ontem, o Brasil registrou 4.543 mortes e 66.501 casos confirmados em todas as unidades federativas, de acordo com o Ministério da Saúde. Mais de 300 mortes têm sido registradas diariamente e o próprio governo admite que o pico da doença ainda não chegou nas maiores cidades do País.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;