Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Beatriz Ceschim
Do Rota de Férias

30/04/2020 | 13:18


Com milhares de mortos por dia, os Estados Unidos tem sofrido muito com a pandemia do coronavírus. De acordo com informações da Universidade Johns Hopkins, o país já registrou quase 50 mil óbitos desde o começo das contaminações.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

No quarto episódio da série Covid-19 pelo mundo, o diretor de gerenciamento de riscos Seth T. Giovanetti, de 46 anos, e o estudante Artemis Tilton, 21, contam como está a realidade em Denver, no Colorado.

Covid-19 pelo mundo: Denver

Arquivo Pessoal
Artemis Tilton

“Fechamos nossas fronteiras. As pessoas surtaram no começo e ficamos sem papel higiênico por um mês”, conta Artemis Tilton. O estudante de ilustração explica que uma parte dos moradores ficou apavorada no começo do isolamento social, em meados de março. “Os alarmistas enlouqueceram, o que levou à escassez de recursos”, afirma.

Conforme o tempo foi passando porém, muitos cidadãos começaram a ignorar a quarentena em Denver, de acordo com Artemis. “As pessoas não estão levando muito bem a situação, por aqui”, relata. “Além disso, tenho escutado tiros durante a noite e muito mais ambulâncias passando”.

De toda a forma, a pandemia do novo coronavírus não alterou muito a rotina do estudante. “As aulas na faculdade foram interrompidas, mas sou introvertido, então não saia tanto assim de casa, mesmo”, explica.

Já para Seth T. Giovanetti, é estranho ver Denver muito quieta. “A cidade costuma ser muito agitada, com muitos bares, cervejarias e restaurantes. Nesses dias, tudo está vazio e só vemos alguns carros e algumas pessoas estão andando pelas ruas e calçadas”, comenta  Segundo o diretor de gerenciamento de risco, os pequenos estabelecimentos estão sofrendo por causa da crise, mas o delivery tem ajudado muito algumas empresas.

Arquivo Pessoal
Seth T. Giovanetti

Sobre sua rotina durante a quarentena, Seth, que já trabalhava em home office, aponta algumas mudanças significativas em relação ao período de normalidade. “Temos assistido muito mais TV, o que é ruim, e temos lido muitos livros, o que é ótimo, mas pelo menos encontramos outras coisas para ocupar a mente”, declara.

Mesmo se mantendo positivo, o morador de Denver menciona como é frustrante não ter liberdade para sair de casa e ir aonde quiser. “Alguns dias nos esforçamos, porque somos impedidos de fazer o que normalmente faríamos. Mas pelo menos podemos sair para passear com os cachorros, o que é ótimo para eles. Fora que é um dos poucos métodos que usamos para praticar exercícios diários”, diz.

A expectativa agora é que a pandemia do covid-19 desperte mais consciência e faça com que as pessoas deem mais valor à vida. “O surto nos tornou mais conscientes de nossos comportamentos diários e como interagimos uns com os outros, o que nos fez procurar maneiras diferentes de nos conectarmos”, afirma Seth.

Enquanto permanece isolado, o morador de Denver acredita que a experiência pode ser aproveitada para fazer reflexões, principalmente a respeito das muitas coisas que os americanos acreditavam ser garantidas no país. “Tudo o que aconteceu deve realmente mudar a maneira como algumas pessoas veem suas vidas. E espero que, em diversos aspectos, para melhor”.

Fã de futebol e beisebol, Seth também fala sobre seus hobbies. “A única coisa que espero é que o esporte volte ao normal em algum momento, mesmo que de forma modificada”, comenta . Para o americano, essas atividades aproximam as pessoas e criam uma sensação de normalidade, mesmo se que os jogos não sejam mais como antes.

Seth e Artemis têm em comum a ideia de que muita coisa mudará daqui para frente. “As pessoas serão muito mais cuidadosas em relação às interações com os outros”, diz o diretor de gerenciamento de risco. Ele acha que os abraços e apertos de mão não serão  mais tão comuns. Já o estudante acredita que uma das maiores diferenças após a pandemia será o aumento da frequência com que as pessoas lavam suas mãos, principalmente, com o intuito de impedir uma segunda onda de contaminações.

“Espero que Denver retorne rapidamente ao normal quando chegar a hora”, afirma Seth. Segundo ele, apesar de ser um município grande, existe uma mentalidade de comunidade pequena na capital do Colorado, em que todos apoiam, principalmente, os pequenos negócios. “Por cont adisso, acredito que retornaremos ao normal mais rápido do que a maior parte das cidades norte-americanas”, finaliza.

Covid-19 pelo mundo: série de entrevistas 

O Rota de Férias e o Busca Voluntária estão conversando com pessoas de todo o planeta para saber como o coronavírus está afetando a realidade de suas cidades. Confira os outros capítulos da série:

Capítulo 1: COVID-19 PELO MUNDO: ADVOGADA RELATA O DIA A DIA NA CIDADE DO MÉXICO
Capítulo 2: COVID-19 PELO MUNDO: BRASILEIRA CONTA COMO ESTÁ A VIDA EM SANTIAGO
Capítulo 3: COVID-19 PELO MUNDO: “ESTAMOS MELHORANDO AOS POUCOS”, DIZ MORADOR DE BRÉSCIA

  • Crédito: mrminibike from Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver - https://is.gd/yasHgD
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver - https://is.gd/yasHgD
  • Crédito: David Mark from Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver - https://is.gd/yasHgD
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Crédito: Caio Silva on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: brasileira conta sobre a realidade na capital do Chile - https://is.gd/VvvjQv
  • Crédito: Jeffrey Eisen on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: brasileira conta sobre a realidade na capital do Chile - https://is.gd/VvvjQv
  • Crédito: Ximena Nahmias on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: brasileira conta sobre a realidade na capital do Chile - https://is.gd/VvvjQv
  • Crédito: Photo by Andrea Leopardi on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Crédito: Photo by Guillermo Pérez on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver

Beatriz Ceschim
Do Rota de Férias

30/04/2020 | 13:18


Com milhares de mortos por dia, os Estados Unidos tem sofrido muito com a pandemia do coronavírus. De acordo com informações da Universidade Johns Hopkins, o país já registrou quase 50 mil óbitos desde o começo das contaminações.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

No quarto episódio da série Covid-19 pelo mundo, o diretor de gerenciamento de riscos Seth T. Giovanetti, de 46 anos, e o estudante Artemis Tilton, 21, contam como está a realidade em Denver, no Colorado.

Covid-19 pelo mundo: Denver

Arquivo Pessoal
Artemis Tilton

“Fechamos nossas fronteiras. As pessoas surtaram no começo e ficamos sem papel higiênico por um mês”, conta Artemis Tilton. O estudante de ilustração explica que uma parte dos moradores ficou apavorada no começo do isolamento social, em meados de março. “Os alarmistas enlouqueceram, o que levou à escassez de recursos”, afirma.

Conforme o tempo foi passando porém, muitos cidadãos começaram a ignorar a quarentena em Denver, de acordo com Artemis. “As pessoas não estão levando muito bem a situação, por aqui”, relata. “Além disso, tenho escutado tiros durante a noite e muito mais ambulâncias passando”.

De toda a forma, a pandemia do novo coronavírus não alterou muito a rotina do estudante. “As aulas na faculdade foram interrompidas, mas sou introvertido, então não saia tanto assim de casa, mesmo”, explica.

Já para Seth T. Giovanetti, é estranho ver Denver muito quieta. “A cidade costuma ser muito agitada, com muitos bares, cervejarias e restaurantes. Nesses dias, tudo está vazio e só vemos alguns carros e algumas pessoas estão andando pelas ruas e calçadas”, comenta  Segundo o diretor de gerenciamento de risco, os pequenos estabelecimentos estão sofrendo por causa da crise, mas o delivery tem ajudado muito algumas empresas.

Arquivo Pessoal
Seth T. Giovanetti

Sobre sua rotina durante a quarentena, Seth, que já trabalhava em home office, aponta algumas mudanças significativas em relação ao período de normalidade. “Temos assistido muito mais TV, o que é ruim, e temos lido muitos livros, o que é ótimo, mas pelo menos encontramos outras coisas para ocupar a mente”, declara.

Mesmo se mantendo positivo, o morador de Denver menciona como é frustrante não ter liberdade para sair de casa e ir aonde quiser. “Alguns dias nos esforçamos, porque somos impedidos de fazer o que normalmente faríamos. Mas pelo menos podemos sair para passear com os cachorros, o que é ótimo para eles. Fora que é um dos poucos métodos que usamos para praticar exercícios diários”, diz.

A expectativa agora é que a pandemia do covid-19 desperte mais consciência e faça com que as pessoas deem mais valor à vida. “O surto nos tornou mais conscientes de nossos comportamentos diários e como interagimos uns com os outros, o que nos fez procurar maneiras diferentes de nos conectarmos”, afirma Seth.

Enquanto permanece isolado, o morador de Denver acredita que a experiência pode ser aproveitada para fazer reflexões, principalmente a respeito das muitas coisas que os americanos acreditavam ser garantidas no país. “Tudo o que aconteceu deve realmente mudar a maneira como algumas pessoas veem suas vidas. E espero que, em diversos aspectos, para melhor”.

Fã de futebol e beisebol, Seth também fala sobre seus hobbies. “A única coisa que espero é que o esporte volte ao normal em algum momento, mesmo que de forma modificada”, comenta . Para o americano, essas atividades aproximam as pessoas e criam uma sensação de normalidade, mesmo se que os jogos não sejam mais como antes.

Seth e Artemis têm em comum a ideia de que muita coisa mudará daqui para frente. “As pessoas serão muito mais cuidadosas em relação às interações com os outros”, diz o diretor de gerenciamento de risco. Ele acha que os abraços e apertos de mão não serão  mais tão comuns. Já o estudante acredita que uma das maiores diferenças após a pandemia será o aumento da frequência com que as pessoas lavam suas mãos, principalmente, com o intuito de impedir uma segunda onda de contaminações.

“Espero que Denver retorne rapidamente ao normal quando chegar a hora”, afirma Seth. Segundo ele, apesar de ser um município grande, existe uma mentalidade de comunidade pequena na capital do Colorado, em que todos apoiam, principalmente, os pequenos negócios. “Por cont adisso, acredito que retornaremos ao normal mais rápido do que a maior parte das cidades norte-americanas”, finaliza.

Covid-19 pelo mundo: série de entrevistas 

O Rota de Férias e o Busca Voluntária estão conversando com pessoas de todo o planeta para saber como o coronavírus está afetando a realidade de suas cidades. Confira os outros capítulos da série:

Capítulo 1: COVID-19 PELO MUNDO: ADVOGADA RELATA O DIA A DIA NA CIDADE DO MÉXICO
Capítulo 2: COVID-19 PELO MUNDO: BRASILEIRA CONTA COMO ESTÁ A VIDA EM SANTIAGO
Capítulo 3: COVID-19 PELO MUNDO: “ESTAMOS MELHORANDO AOS POUCOS”, DIZ MORADOR DE BRÉSCIA

  • Crédito: mrminibike from Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver - https://is.gd/yasHgD
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver - https://is.gd/yasHgD
  • Crédito: David Mark from Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: americanos contam como está a vida em Denver - https://is.gd/yasHgD
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Crédito: Caio Silva on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: brasileira conta sobre a realidade na capital do Chile - https://is.gd/VvvjQv
  • Crédito: Jeffrey Eisen on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: brasileira conta sobre a realidade na capital do Chile - https://is.gd/VvvjQv
  • Crédito: Ximena Nahmias on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: brasileira conta sobre a realidade na capital do Chile - https://is.gd/VvvjQv
  • Crédito: Photo by Andrea Leopardi on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Crédito: Photo by Guillermo Pérez on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Crédito: Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;