Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 24 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

São Caetano repassa verba do esporte para a saúde

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Beto Vidoski anuncia que cidade não terá Jogos Escolares e está fora dos Regionais e Abertos


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

20/04/2020 | 23:55


A pandemia do novo coronavírus vem causando adaptações em diversos setores e não foi diferente com o esporte em São Caetano. Com exclusividade ao Diário, o vice-prefeito Beto Vidoski (PSDB) anunciou que a cidade não vai disputar os Jogos Regionais e Abertos – competições que têm suas disputas em xeque por causa da situação causada pela Covid-19 –, e também suspendeu a realização dos Jogos Escolares. Só estas atitudes já vão fazer com que o município economize R$ 1,1 milhão. Este valor, somado à quantia reservada no Fundo de Apoio ao Esporte (cerca de R$ 2,080 milhões), serão repassados à Saúde, totalizando aproximadamente R$ 3,2 milhões.

Além disso, a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude anunciou a implantação de teto salarial a atletas, treinadores e demais integrantes de comissões técnicas em R$ 5.000, em medida que impacta nos vencimentos do ginasta medalhista olímpico Arthur Zanetti e de seu técnico, Marcos Goto (juntos, ambos terão redução de R$ 20 mil mensais com a adaptação). Procurados, competidor e orientador não quiseram falar sobre o assunto.

Outras decisões tomadas pela pasta e pela administração, inclusive publicadas no Diário Oficial, envolveram gastos que eram destinados a aluguéis de equipamentos e verbas relativas a competições, como taxas de participação e arbitragem, hospedagem, transporte e alimentação. No total, a economia com estes cortes representa entre R$ 250 mil e R$ 300 mil mensais, 30% dos R$ 900 mil repassados a oito entidades da cidade que realizam todo o desenvolvimento esportivo municipal. Tal situação já está em vigor, mas não tem previsão ou prazo de término.

O prefeito (José Auricchio Júnior-PSDB) nos pediu uma força-tarefa para poupar recursos. O secretário da Fazenda (Jefferson Cirne da Costa) nos procurou para que fizéssemos o máximo esforço, então, foi conversado com as entidades e acordado. São Caetano é uma das maiores pagadoras de salários de atletas do Brasil e estamos apenas adequando a arrecadação financeira, enquanto outras cidades estão pensando em cortar 100% do esporte”, explicou Beto Vidoski, que deixou a pasta há alguns dias – o servidor Marco Aurélio Astolfi assumiu em seu lugar.

Além de auxiliar a Saúde, as medidas têm como motivo não ter problemas com a prestação de contas. “O esporte da cidade é gerido, desde 2017, por oito entidades esportivas que se credenciaram para fazer a gestão. Nossa preocupação é a prestação de contas das entidades junto ao Tribunal, depois. Fizemos reunião com departamento jurídico da Prefeitura, recebemos as orientações necessárias, entramos em contato com as entidades e elas entenderam que seria prudente criarmos normativa para todas”, complementou Beto Vidoski. “Cada um cortando um pouco não vai faltar nada para ninguém”, encerrou o vice-prefeito são-caetanense.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano repassa verba do esporte para a saúde

Beto Vidoski anuncia que cidade não terá Jogos Escolares e está fora dos Regionais e Abertos

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

20/04/2020 | 23:55


A pandemia do novo coronavírus vem causando adaptações em diversos setores e não foi diferente com o esporte em São Caetano. Com exclusividade ao Diário, o vice-prefeito Beto Vidoski (PSDB) anunciou que a cidade não vai disputar os Jogos Regionais e Abertos – competições que têm suas disputas em xeque por causa da situação causada pela Covid-19 –, e também suspendeu a realização dos Jogos Escolares. Só estas atitudes já vão fazer com que o município economize R$ 1,1 milhão. Este valor, somado à quantia reservada no Fundo de Apoio ao Esporte (cerca de R$ 2,080 milhões), serão repassados à Saúde, totalizando aproximadamente R$ 3,2 milhões.

Além disso, a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude anunciou a implantação de teto salarial a atletas, treinadores e demais integrantes de comissões técnicas em R$ 5.000, em medida que impacta nos vencimentos do ginasta medalhista olímpico Arthur Zanetti e de seu técnico, Marcos Goto (juntos, ambos terão redução de R$ 20 mil mensais com a adaptação). Procurados, competidor e orientador não quiseram falar sobre o assunto.

Outras decisões tomadas pela pasta e pela administração, inclusive publicadas no Diário Oficial, envolveram gastos que eram destinados a aluguéis de equipamentos e verbas relativas a competições, como taxas de participação e arbitragem, hospedagem, transporte e alimentação. No total, a economia com estes cortes representa entre R$ 250 mil e R$ 300 mil mensais, 30% dos R$ 900 mil repassados a oito entidades da cidade que realizam todo o desenvolvimento esportivo municipal. Tal situação já está em vigor, mas não tem previsão ou prazo de término.

O prefeito (José Auricchio Júnior-PSDB) nos pediu uma força-tarefa para poupar recursos. O secretário da Fazenda (Jefferson Cirne da Costa) nos procurou para que fizéssemos o máximo esforço, então, foi conversado com as entidades e acordado. São Caetano é uma das maiores pagadoras de salários de atletas do Brasil e estamos apenas adequando a arrecadação financeira, enquanto outras cidades estão pensando em cortar 100% do esporte”, explicou Beto Vidoski, que deixou a pasta há alguns dias – o servidor Marco Aurélio Astolfi assumiu em seu lugar.

Além de auxiliar a Saúde, as medidas têm como motivo não ter problemas com a prestação de contas. “O esporte da cidade é gerido, desde 2017, por oito entidades esportivas que se credenciaram para fazer a gestão. Nossa preocupação é a prestação de contas das entidades junto ao Tribunal, depois. Fizemos reunião com departamento jurídico da Prefeitura, recebemos as orientações necessárias, entramos em contato com as entidades e elas entenderam que seria prudente criarmos normativa para todas”, complementou Beto Vidoski. “Cada um cortando um pouco não vai faltar nada para ninguém”, encerrou o vice-prefeito são-caetanense.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;