Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Tornado destrói 22 casas e fere 15 pessoas no Rio Grande do Sul



31/08/2005 | 00:07


Um tornado destruiu 22 casas e arrancou o telhado de outras 60 no final da noite de segunda-feira em Muitos Capões, município do Noroeste do Rio Grande do Sul, a 290 quilômetros de Porto Alegre. A queda de paredes, postes e árvores feriu 15 pessoas, que foram encaminhadas ao Hospital Nossa Senhora da Oliveira, em Vacaria, a 35 quilômetros. Ainda permanecem internados Anísio Antunes Moreira, 62 anos, em observação, e Ilda de Campos, 61.

A prefeita Mara Barcellos disse que os prédios da câmara de vereadores, da garagem municipal, do banco Sicredi e do Clube União Capoense foram parcialmente destruídos. O vento de até 110 quilômetros por hora arrastou por cerca de 20 metros os restos das casas destruídas e arrancou o telhado de pelo menos outras 60 residências. Na seqüência, uma chuva de granizo piorou a situação.

Cerca de 300 pessoas - 10% da população do município - ficaram desabrigadas e foram encaminhadas a casas de parentes e amigos. O trabalho dos bombeiros de Vacaria e de voluntários foi prejudicado pela chuva que prosseguiu por todo o dia com raras interrupções. O encontro de frentes frias com ar quente e instável pode gerar tornados, ventos que giram em forma de cone com velocidades de até 500 quilômetros por hora.

Ao contrário dos furacões, que têm até centenas de quilômetros de diâmetro, os tornados tem circunferência de dezenas a centenas de metros e se desfazem rapidamente.

O Rio Grande do Sul já foi atingido por tornados de intensidade semelhante em outubro de 2001, em Viamão, em julho de 2001, em Bom Jesus, em julho de 2003, em São Francisco de Paula, e em dezembro de 2003, em Antônio Prado. Os três primeiros mataram uma pessoa cada. O último matou quatro crianças e um adulto.

Além do tornado de Muitos Capões, a ventania e chuvas de granizo provocaram estragos em outros 17 municípios do Estado desde segunda-feira. Bagé, na zona Sul, e Carazinho, no Norte, tiveram várias casas destelhadas. A Defesa Civil calcula que cerca de 1,5 mil pessoas tenham sido de alguma maneira prejudicadas pelo mau tempo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tornado destrói 22 casas e fere 15 pessoas no Rio Grande do Sul


31/08/2005 | 00:07


Um tornado destruiu 22 casas e arrancou o telhado de outras 60 no final da noite de segunda-feira em Muitos Capões, município do Noroeste do Rio Grande do Sul, a 290 quilômetros de Porto Alegre. A queda de paredes, postes e árvores feriu 15 pessoas, que foram encaminhadas ao Hospital Nossa Senhora da Oliveira, em Vacaria, a 35 quilômetros. Ainda permanecem internados Anísio Antunes Moreira, 62 anos, em observação, e Ilda de Campos, 61.

A prefeita Mara Barcellos disse que os prédios da câmara de vereadores, da garagem municipal, do banco Sicredi e do Clube União Capoense foram parcialmente destruídos. O vento de até 110 quilômetros por hora arrastou por cerca de 20 metros os restos das casas destruídas e arrancou o telhado de pelo menos outras 60 residências. Na seqüência, uma chuva de granizo piorou a situação.

Cerca de 300 pessoas - 10% da população do município - ficaram desabrigadas e foram encaminhadas a casas de parentes e amigos. O trabalho dos bombeiros de Vacaria e de voluntários foi prejudicado pela chuva que prosseguiu por todo o dia com raras interrupções. O encontro de frentes frias com ar quente e instável pode gerar tornados, ventos que giram em forma de cone com velocidades de até 500 quilômetros por hora.

Ao contrário dos furacões, que têm até centenas de quilômetros de diâmetro, os tornados tem circunferência de dezenas a centenas de metros e se desfazem rapidamente.

O Rio Grande do Sul já foi atingido por tornados de intensidade semelhante em outubro de 2001, em Viamão, em julho de 2001, em Bom Jesus, em julho de 2003, em São Francisco de Paula, e em dezembro de 2003, em Antônio Prado. Os três primeiros mataram uma pessoa cada. O último matou quatro crianças e um adulto.

Além do tornado de Muitos Capões, a ventania e chuvas de granizo provocaram estragos em outros 17 municípios do Estado desde segunda-feira. Bagé, na zona Sul, e Carazinho, no Norte, tiveram várias casas destelhadas. A Defesa Civil calcula que cerca de 1,5 mil pessoas tenham sido de alguma maneira prejudicadas pelo mau tempo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;