Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Corpos de pacientes com suspeita de Covid-19 são trocados em Sto.André

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Situação ocorreu no Centro Hospitalar Municipal; Prefeitura reconheceu erro e prefeito determinou abertura de sindicância


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

10/04/2020 | 07:00


O CHM (Centro Hospitalar Municipal de Santo André) trocou o corpo de Amir Martins da Silva, 92 anos, com o de Francisco Carlos da Silva, 54. Os dois pacientes estavam internados e morreram no mesmo dia, na quarta-feira. Familiares da idosa descobriram o erro após enterro com caixão lacrado, já que foram informados de que a senhora tinha morrido em decorrência de complicações pela Covid-19, sem saber que estavam sepultando outra pessoa.

De acordo com familiares, logo após o enterro, o próprio hospital ligou para os parentes, notificando que o atestado de óbito dela confirmava a morte por broncopneumonia, e que o corpo levado era de um homem, suspeito de contaminação pelo novo coronavírus.

De acordo com familiares, há 15 dias, Amir caiu e quebrou o fêmur, sendo encaminhada para internação no CHM. Seu estado de saúde teria piorado nos últimos dias. O enterro da idosa foi realizado na manhã de ontem no Cemitério São Luiz, na Capital, mesmo local onde o corpo de Francisco havia sido enterrado por engano. O atestado de óbito de Amir apontou morte por choque séptico, broncopneumonia e hipertireoidismo.

A troca só foi percebida quando a filha de Francisco foi ao hospital realizar a liberação do corpo e notou, durante reconhecimento de cadáver, que tratava-se de uma mulher. As duas famílias registraram boletim de ocorrência no 1º DP (Centro) contra o hospital. A delegada Viviane Costa Rios exigiu a exumação do corpo de Francisco, que era asmático e já tinha se submetido a um transplante.

A exumação vai atrasar o sepultamento do homem. A família quer trazer o corpo para ser enterrado em Santo André. Foram feitos exames para detecção do novo coronavírus nos dois casos, mas os resultados ainda não ficaram prontos.

(colaborou Aline Melo)
 

Prefeito exige que apuração sobre ocorrido seja imediata

A Prefeitura de Santo André emitiu nota em que lamenta o ocorrido e reconhece o erro: “Lamentavelmente as informações procedem. Se não bastassem a dor da perda e a tristeza de nem poder se despedirem dos corpos de uma maneira digna, os familiares ainda tiveram que passar por um constrangimento dessa natureza. Isso é inconcebível!”, relatou o comunicado. Segundo a administração, o prefeito Paulo Serra (PSDB) exigiu apuração imediata de tudo o que ocorreu. “Que Deus conforte essas famílias e amigos próximos. A diretoria do hospital acolheu as duas famílias”, concluiu o comunicado.

O prefeito também enviou nota se solidarizando com os familiares das duas pessoas que morreram no CHM (Centro Hospitalar Municipal). “Lamentamos profundamente o ocorrido e abrimos sindicância para identificar o que ocorreu e tomar todas as providências necessárias. A Prefeitura está oferecendo todo o apoio legal, jurídico e emocional às famílias”, escreveu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Corpos de pacientes com suspeita de Covid-19 são trocados em Sto.André

Situação ocorreu no Centro Hospitalar Municipal; Prefeitura reconheceu erro e prefeito determinou abertura de sindicância

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

10/04/2020 | 07:00


O CHM (Centro Hospitalar Municipal de Santo André) trocou o corpo de Amir Martins da Silva, 92 anos, com o de Francisco Carlos da Silva, 54. Os dois pacientes estavam internados e morreram no mesmo dia, na quarta-feira. Familiares da idosa descobriram o erro após enterro com caixão lacrado, já que foram informados de que a senhora tinha morrido em decorrência de complicações pela Covid-19, sem saber que estavam sepultando outra pessoa.

De acordo com familiares, logo após o enterro, o próprio hospital ligou para os parentes, notificando que o atestado de óbito dela confirmava a morte por broncopneumonia, e que o corpo levado era de um homem, suspeito de contaminação pelo novo coronavírus.

De acordo com familiares, há 15 dias, Amir caiu e quebrou o fêmur, sendo encaminhada para internação no CHM. Seu estado de saúde teria piorado nos últimos dias. O enterro da idosa foi realizado na manhã de ontem no Cemitério São Luiz, na Capital, mesmo local onde o corpo de Francisco havia sido enterrado por engano. O atestado de óbito de Amir apontou morte por choque séptico, broncopneumonia e hipertireoidismo.

A troca só foi percebida quando a filha de Francisco foi ao hospital realizar a liberação do corpo e notou, durante reconhecimento de cadáver, que tratava-se de uma mulher. As duas famílias registraram boletim de ocorrência no 1º DP (Centro) contra o hospital. A delegada Viviane Costa Rios exigiu a exumação do corpo de Francisco, que era asmático e já tinha se submetido a um transplante.

A exumação vai atrasar o sepultamento do homem. A família quer trazer o corpo para ser enterrado em Santo André. Foram feitos exames para detecção do novo coronavírus nos dois casos, mas os resultados ainda não ficaram prontos.

(colaborou Aline Melo)
 

Prefeito exige que apuração sobre ocorrido seja imediata

A Prefeitura de Santo André emitiu nota em que lamenta o ocorrido e reconhece o erro: “Lamentavelmente as informações procedem. Se não bastassem a dor da perda e a tristeza de nem poder se despedirem dos corpos de uma maneira digna, os familiares ainda tiveram que passar por um constrangimento dessa natureza. Isso é inconcebível!”, relatou o comunicado. Segundo a administração, o prefeito Paulo Serra (PSDB) exigiu apuração imediata de tudo o que ocorreu. “Que Deus conforte essas famílias e amigos próximos. A diretoria do hospital acolheu as duas famílias”, concluiu o comunicado.

O prefeito também enviou nota se solidarizando com os familiares das duas pessoas que morreram no CHM (Centro Hospitalar Municipal). “Lamentamos profundamente o ocorrido e abrimos sindicância para identificar o que ocorreu e tomar todas as providências necessárias. A Prefeitura está oferecendo todo o apoio legal, jurídico e emocional às famílias”, escreveu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;