Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Voluntários do Grande ABC vão produzir 18 mil máscaras

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Material será doado para asilos, hospitais e unidades de saúde públicas de toda a região


Aline Melo
Do Do Diário do Grande ABC

09/04/2020 | 00:01


Quando o comércio de Santo André precisou fechar as portas para ajudar no combate à pandemia da Covid-19, a empresária Brenda Ruppi Gazze, 26 anos, teve de interromper as atividades das duas lojas da confecção da família, a Monovia, que existe há 29 anos. Com maquinário totalmente parado, ela decidiu produzir 18 mil máscaras para doação.

“Uma tia comentou que as máscaras já estavam faltando nos hospitais, e a gente, com as máquinas de costura paradas, precisava fazer alguma coisa”, relembrou. Brenda conseguiu entrar em contato com um vendedor de tecidos que doou material suficiente para produção de 18 mil máscaras e agora os voluntários trabalham o mais rápido que podem para preparar o material.

Com o modelo da máscara em mãos, produzido pela modelista da confecção, Brenda fez uma postagem na rede social da sua marca contando da sua ideia e dizendo que precisava de ajuda. “Tomou uma proporção enorme, várias pessoas entrando em contato com a gente”, relatou. “Tenho aprendido muito com essa experiência, me sinto muito grata e tenho acreditado mais no ser humano”, completou.

Já foram produzidas 8.000 máscaras. Os 52 costureiros voluntários estão usando a própria linha e, além do tecido, Brenda fornece o metal (que fica sobre o nariz) e os elásticos.

Umas da voluntárias na linha de produção é a artista têxtil Crica Campos, 29. A jovem fabrica bonecos, bordados, quadros e arte têxtil em geral no Agulha Pop. Por meio das redes sociais ela soube da iniciativa de Brenda e resolveu participar. Já produziu 200 máscaras e inicia outra leva de 200 unidades esta semana. Como conhece um pouco de costura e sabe que alguns processos podem ser demorados, conseguiu mobilizar muitos outros voluntários que também estão colaborando. “Tenho o hábito de fazer trabalho voluntário sempre que possível e em um momento como este que estamos passando, tendo a oportunidade de contribuir na minha cidade, com algo que faço todos os dias (costurar), e com o material disponível, não tinha como não ajudar”, relatou. Crica faz apelo a quem puder se unir nesta empreitada. “Se você pode ajudar, ajude. Não perca tempo. Inclusive, ajude ficando em casa se for possível”, completou.

“Estou muito feliz por poder colaborar de alguma forma, mas sei que isso é só a ponta do iceberg. Precisamos de uma conscientização e mobilização geral e acho que é o momento de parar para pensar, pois nada será como antes. Ou, pelo menos, não deveria ser. Momento de deixar o individualismo de lado e pensar no coletivo”, finalizou a artista.

Todo o material vai ser doado para hospitais e unidades de saúde públicas da região. Algumas já estão destinadas para os hospitais de campanha que estão sendo construídos em Santo André.

Quem quiser ajudar confeccionando máscaras ou doando material pode entrar em contato com a Brenda pelo telefone 99267-0205.

Em Diadema, Fundo Social de Solidariedade arrecada tecidos

O Fundo Social de Solidariedade de Diadema está arrecadando tecidos para a confecção de máscaras caseiras. As alunas do curso de corte e costura da entidade já iniciaram a produção dos itens, que serão distribuídos à população.

“Recebemos uma doação de tecidos da empresa Prensas Schuler e da HJ Têxtil. A Schuler também disponibilizou espaços e máquinas para que as nossas costureiras iniciem a produção. É muito importante esta parceria e a doação de tecidos, porque as máscaras serão entregues para os moradores”, explicou a primeira-dama e presidente do Fundo Social, Caroline Rocha.

A doação dos tecidos pode ser feita em dois endereços via drive-thru, ou seja, a pessoa nem precisa sair do carro. Os postos de recolhimento são os mesmos onde estão sendo feitas doações de alimentos, itens de higiene e limpeza.

O Ministério da Saúde e a OMS (Organização Mundial da Saúde) estão recomendando o uso de máscara a todas as pessoas que precisam sair de casa. Os pontos de doações funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, em dois endereços: Rua Almirante Barroso, 111, Vila Santa Dirce; e na Fundação Florestan Fernandes, na Rua Manoel da Nóbrega, 1.149, no Centro.

ACETATO
O produtor cultural José Luis de Freitas, 35 anos, está fabricando máscaras de acetato, reutilizáveis, elaboradas em impressoras 3D, também para serem doadas a hospitais da cidade. O jovem, morador de Diadema, precisa de ajuda tanto de quem possa imprimir os utensílios em suas impressoras quanto de quem possa contribuir com a doação das matérias-primas: folhas de acetato, elásticos e filamentos. Mais informações pelo telefone (11) 97337-5859.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Voluntários do Grande ABC vão produzir 18 mil máscaras

Material será doado para asilos, hospitais e unidades de saúde públicas de toda a região

Aline Melo
Do Do Diário do Grande ABC

09/04/2020 | 00:01


Quando o comércio de Santo André precisou fechar as portas para ajudar no combate à pandemia da Covid-19, a empresária Brenda Ruppi Gazze, 26 anos, teve de interromper as atividades das duas lojas da confecção da família, a Monovia, que existe há 29 anos. Com maquinário totalmente parado, ela decidiu produzir 18 mil máscaras para doação.

“Uma tia comentou que as máscaras já estavam faltando nos hospitais, e a gente, com as máquinas de costura paradas, precisava fazer alguma coisa”, relembrou. Brenda conseguiu entrar em contato com um vendedor de tecidos que doou material suficiente para produção de 18 mil máscaras e agora os voluntários trabalham o mais rápido que podem para preparar o material.

Com o modelo da máscara em mãos, produzido pela modelista da confecção, Brenda fez uma postagem na rede social da sua marca contando da sua ideia e dizendo que precisava de ajuda. “Tomou uma proporção enorme, várias pessoas entrando em contato com a gente”, relatou. “Tenho aprendido muito com essa experiência, me sinto muito grata e tenho acreditado mais no ser humano”, completou.

Já foram produzidas 8.000 máscaras. Os 52 costureiros voluntários estão usando a própria linha e, além do tecido, Brenda fornece o metal (que fica sobre o nariz) e os elásticos.

Umas da voluntárias na linha de produção é a artista têxtil Crica Campos, 29. A jovem fabrica bonecos, bordados, quadros e arte têxtil em geral no Agulha Pop. Por meio das redes sociais ela soube da iniciativa de Brenda e resolveu participar. Já produziu 200 máscaras e inicia outra leva de 200 unidades esta semana. Como conhece um pouco de costura e sabe que alguns processos podem ser demorados, conseguiu mobilizar muitos outros voluntários que também estão colaborando. “Tenho o hábito de fazer trabalho voluntário sempre que possível e em um momento como este que estamos passando, tendo a oportunidade de contribuir na minha cidade, com algo que faço todos os dias (costurar), e com o material disponível, não tinha como não ajudar”, relatou. Crica faz apelo a quem puder se unir nesta empreitada. “Se você pode ajudar, ajude. Não perca tempo. Inclusive, ajude ficando em casa se for possível”, completou.

“Estou muito feliz por poder colaborar de alguma forma, mas sei que isso é só a ponta do iceberg. Precisamos de uma conscientização e mobilização geral e acho que é o momento de parar para pensar, pois nada será como antes. Ou, pelo menos, não deveria ser. Momento de deixar o individualismo de lado e pensar no coletivo”, finalizou a artista.

Todo o material vai ser doado para hospitais e unidades de saúde públicas da região. Algumas já estão destinadas para os hospitais de campanha que estão sendo construídos em Santo André.

Quem quiser ajudar confeccionando máscaras ou doando material pode entrar em contato com a Brenda pelo telefone 99267-0205.

Em Diadema, Fundo Social de Solidariedade arrecada tecidos

O Fundo Social de Solidariedade de Diadema está arrecadando tecidos para a confecção de máscaras caseiras. As alunas do curso de corte e costura da entidade já iniciaram a produção dos itens, que serão distribuídos à população.

“Recebemos uma doação de tecidos da empresa Prensas Schuler e da HJ Têxtil. A Schuler também disponibilizou espaços e máquinas para que as nossas costureiras iniciem a produção. É muito importante esta parceria e a doação de tecidos, porque as máscaras serão entregues para os moradores”, explicou a primeira-dama e presidente do Fundo Social, Caroline Rocha.

A doação dos tecidos pode ser feita em dois endereços via drive-thru, ou seja, a pessoa nem precisa sair do carro. Os postos de recolhimento são os mesmos onde estão sendo feitas doações de alimentos, itens de higiene e limpeza.

O Ministério da Saúde e a OMS (Organização Mundial da Saúde) estão recomendando o uso de máscara a todas as pessoas que precisam sair de casa. Os pontos de doações funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, em dois endereços: Rua Almirante Barroso, 111, Vila Santa Dirce; e na Fundação Florestan Fernandes, na Rua Manoel da Nóbrega, 1.149, no Centro.

ACETATO
O produtor cultural José Luis de Freitas, 35 anos, está fabricando máscaras de acetato, reutilizáveis, elaboradas em impressoras 3D, também para serem doadas a hospitais da cidade. O jovem, morador de Diadema, precisa de ajuda tanto de quem possa imprimir os utensílios em suas impressoras quanto de quem possa contribuir com a doação das matérias-primas: folhas de acetato, elásticos e filamentos. Mais informações pelo telefone (11) 97337-5859.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;