Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Trabalhadores são dispensados em S.Bernardo

Funcionários fazem limpeza em escolas da cidade, que estão fechadas por causa da Covid-19


Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

09/04/2020 | 00:01


Funcionários da Guima ConSeCo, empresa de terceirização de serviços com sede na Capital, serão dispensados em São Bernardo. Na prática seriam 180 trabalhadores com contratos suspensos, segundo informação anônima feita ao Diário. Questionada, a Prefeitura confirmou as dispensas, sem mencionar a quantidades de funcionários.

Segundo a administração informou, em nota, “as demissões estão ocorrendo exclusivamente junto aos funcionários de empresa terceirizada responsável pela limpeza de escolas, uma vez que as unidades municipais estão fechadas e não há necessidade de prestação do serviço neste período.”

A Prefeitura afirmou ainda que, quando as aulas foram retomadas, esses funcionários serão imediatamente recontratados. “O contrato foi suspenso com o objetivo de destinar recursos para a saúde e demais serviços voltados à contenção da Covid-19.”

Quanto aos funcionários que operam em unidades de saúde e hospitais, a Prefeitura esclareceu que está em processo de contratação para abertura do novo Hospital de Urgência, no Centro.

Também questionado pelo Diário, o Siemaco (Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviço de Asseio e Conservação, Limpeza Urbana e Manutenção em Áreas Verdes Públicas e Privadas) ABC informou que até agora não tem conhecimento sobre demissões em massa pela referida empresa. 

Ainda segundo o sindicato, a empresa Guima tem realizado transferências dos profissionais que atuam na educação, por exemplo, a setores ligados à saúde. Para finalizar, o Siemaco afirmou que decisões unilaterais do governo federal têm dificultado e excluído as ações dos sindicatos, principalmente porque as entidades não podem tomar qualquer decisão deliberativa sem prévia aprovação dos trabalhadores. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Trabalhadores são dispensados em S.Bernardo

Funcionários fazem limpeza em escolas da cidade, que estão fechadas por causa da Covid-19

Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

09/04/2020 | 00:01


Funcionários da Guima ConSeCo, empresa de terceirização de serviços com sede na Capital, serão dispensados em São Bernardo. Na prática seriam 180 trabalhadores com contratos suspensos, segundo informação anônima feita ao Diário. Questionada, a Prefeitura confirmou as dispensas, sem mencionar a quantidades de funcionários.

Segundo a administração informou, em nota, “as demissões estão ocorrendo exclusivamente junto aos funcionários de empresa terceirizada responsável pela limpeza de escolas, uma vez que as unidades municipais estão fechadas e não há necessidade de prestação do serviço neste período.”

A Prefeitura afirmou ainda que, quando as aulas foram retomadas, esses funcionários serão imediatamente recontratados. “O contrato foi suspenso com o objetivo de destinar recursos para a saúde e demais serviços voltados à contenção da Covid-19.”

Quanto aos funcionários que operam em unidades de saúde e hospitais, a Prefeitura esclareceu que está em processo de contratação para abertura do novo Hospital de Urgência, no Centro.

Também questionado pelo Diário, o Siemaco (Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviço de Asseio e Conservação, Limpeza Urbana e Manutenção em Áreas Verdes Públicas e Privadas) ABC informou que até agora não tem conhecimento sobre demissões em massa pela referida empresa. 

Ainda segundo o sindicato, a empresa Guima tem realizado transferências dos profissionais que atuam na educação, por exemplo, a setores ligados à saúde. Para finalizar, o Siemaco afirmou que decisões unilaterais do governo federal têm dificultado e excluído as ações dos sindicatos, principalmente porque as entidades não podem tomar qualquer decisão deliberativa sem prévia aprovação dos trabalhadores. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;