Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Corrida pelo estoque de GLP gera atraso de 3 dias na entrega das distribuidoras



07/04/2020 | 18:32


A reposição do GLP na rede revendedora para consumo residencial está atrasada em três dias por conta da corrida da população para estocar o produto, informou o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito do Petróleo (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello.

Com mais procura do que as distribuidoras estavam programadas a atender, ou seja, com mais demanda do que oferta, o preço do produto se mantém estável, apesar de a Petrobras ter baixado o valor nas refinarias, que são o primeiro elo da cadeia fornecedora.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) registrou uma estabilização do preço médio. Mas, em alguns Estados, o preço está disparando.

Em Mato Grosso, o botijão chega a ser vendido a R$ 150, segundo levantamento da agência.

Bandeira de Mello diz que parte da população correu para estocar o GLP nos primeiros dias de isolamento por conta do coronavírus, o que teve efeito no mercado.

Ele argumenta que, com isso, uma minoria de revendedores está se aproveitando da escassez do produto para elevar o preço. "As distribuidoras estão entregando tudo que foi programado, mas não programaram a antecipação de compras", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Corrida pelo estoque de GLP gera atraso de 3 dias na entrega das distribuidoras


07/04/2020 | 18:32


A reposição do GLP na rede revendedora para consumo residencial está atrasada em três dias por conta da corrida da população para estocar o produto, informou o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito do Petróleo (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello.

Com mais procura do que as distribuidoras estavam programadas a atender, ou seja, com mais demanda do que oferta, o preço do produto se mantém estável, apesar de a Petrobras ter baixado o valor nas refinarias, que são o primeiro elo da cadeia fornecedora.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) registrou uma estabilização do preço médio. Mas, em alguns Estados, o preço está disparando.

Em Mato Grosso, o botijão chega a ser vendido a R$ 150, segundo levantamento da agência.

Bandeira de Mello diz que parte da população correu para estocar o GLP nos primeiros dias de isolamento por conta do coronavírus, o que teve efeito no mercado.

Ele argumenta que, com isso, uma minoria de revendedores está se aproveitando da escassez do produto para elevar o preço. "As distribuidoras estão entregando tudo que foi programado, mas não programaram a antecipação de compras", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;