Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Maia reitera que momento exige união de todos e não divergências



07/04/2020 | 10:35


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse na manhã desta terça-feira, 7, que é momento de união com o Executivo e não de divergências. "O momento é de focar no principal é saber como vamos salvar vidas, garantir empregos e recursos para empresas e para os mais vulneráveis. Olhar menos para as diferenças", destacou.

Maia participou de uma "live" nesta manhã promovida pela Necton Investimentos, com o tema "Orçamento e saúde fiscal de longo prazo: desafios estruturais". No final do evento, ele falou que é preciso ouvir o ministro da Saúde, Henrique Mandetta. "É preciso ter previsibilidade", cobrou, dizendo que o governo federal tem de ter celeridade na execução das medidas, como os repasses de recursos.

E em meio a tudo isso, é preciso, na opinião do deputado, cumprir a determinação das autoridades de Saúde de quarentena. "Vamos cumprir o que diz Mandetta e OMS. Se é isolamento, é isolamento", afirmou.

China

O presidente da Câmara utilizou a teleconferência para, mais uma vez, criticar o governo federal e um dos recentes episódios de desgaste nas relações com a China, após as críticas feitas pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Durante uma 'live' com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, o ministro disse que considera alta a probabilidade de uma nova epidemia surgir na China porque eles comem tudo o que o sol ilumina e não são como os brasileiros, que criam porco no chiqueiro.

"Não entendo como, num momento de crise, um parente do presidente usa um ministro para atacar a China", disse Maia no evento da Necton.

Maia voltou a falar da importância da reforma tributária e de outros projetos, mas frisou que o momento é de foco na crise do coronavírus. "O momento agora é de dar tranquilidade às pessoas", disse. "Vamos construir pontes para o diálogo e retomar a agenda reformista".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maia reitera que momento exige união de todos e não divergências


07/04/2020 | 10:35


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse na manhã desta terça-feira, 7, que é momento de união com o Executivo e não de divergências. "O momento é de focar no principal é saber como vamos salvar vidas, garantir empregos e recursos para empresas e para os mais vulneráveis. Olhar menos para as diferenças", destacou.

Maia participou de uma "live" nesta manhã promovida pela Necton Investimentos, com o tema "Orçamento e saúde fiscal de longo prazo: desafios estruturais". No final do evento, ele falou que é preciso ouvir o ministro da Saúde, Henrique Mandetta. "É preciso ter previsibilidade", cobrou, dizendo que o governo federal tem de ter celeridade na execução das medidas, como os repasses de recursos.

E em meio a tudo isso, é preciso, na opinião do deputado, cumprir a determinação das autoridades de Saúde de quarentena. "Vamos cumprir o que diz Mandetta e OMS. Se é isolamento, é isolamento", afirmou.

China

O presidente da Câmara utilizou a teleconferência para, mais uma vez, criticar o governo federal e um dos recentes episódios de desgaste nas relações com a China, após as críticas feitas pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Durante uma 'live' com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, o ministro disse que considera alta a probabilidade de uma nova epidemia surgir na China porque eles comem tudo o que o sol ilumina e não são como os brasileiros, que criam porco no chiqueiro.

"Não entendo como, num momento de crise, um parente do presidente usa um ministro para atacar a China", disse Maia no evento da Necton.

Maia voltou a falar da importância da reforma tributária e de outros projetos, mas frisou que o momento é de foco na crise do coronavírus. "O momento agora é de dar tranquilidade às pessoas", disse. "Vamos construir pontes para o diálogo e retomar a agenda reformista".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;