Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Disney dispensa funcionários de parques por tempo indeterminado

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Segundo comunicado, empresa viu-se forçada a decisão diante da incerteza de quando negócios serão retomados


Paulo Basso Jr.
Do Rota de Férias

14/04/2020 | 13:18


Sem previsão de reabertura dos parques por conta da quarentena provocada pelo covid-19, a Disney comunicou os funcionários não sindicalizados da divisão da empresa nos Estados Unidos que, a partir de 19 de abril, eles entrarão em licença não remunerada. A medida é legal diante das leis trabalhistas do país.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Até essa data, os empregados dos parques da Disney continuarão recebendo normalmente, a despeito de os complexos da Califórnia (Disneyland) e de Orlando (Disney World) estarem fechados desde 15 de março. Durante o período de licença, a Disney manterá os planos de saúde e os benefícios de investimento em educação oferecidos aos funcionários.

Segundo o comunicado, a “empresa viu-se forçada a essa difícil decisão diante da incerteza de quando os negócios serão retomados”. Ao entrar em licença, os empregados poderão se aplicar ao plano de compensação de US$ 600 por semana ofertado pelo governo americano, que faz parte de um pacote de estímulo econômico estimado em US$ 2 trilhões. Além disso, terão acesso ao seguro desemprego estadual.

De acordo com a rede americana CNBC News, a divisão Disney Parks, Experiences and Products conta com 177 mil empregados, dos quais 43 mil foram atingidos pela medida. Ainda segundo o meio de comunicação, o setor de parques temáticos representou 37% da receita de US$ 69,6 bilhões arrecadada pela Disney em 2019.

Novas atrações da Disney podem atrasar

A Disney ainda não anunciou se as atrações com inaugurações previstas para o verão americano, como a área dos Vingadores (Avengers Campus) no parque California Adventure, em Anaheim, seguirão o cronograma estipulado. Estima-se que haverá dificuldade para cumprir prazos, mas ainda não foi informado se os funcionários que estão à frente dos projetos estão operando normalmente.

Além disso, a empresa comunicou que as pessoas que adquiriram ingressos anuais dos parques (geralmente, quem mora na Flórida ou na Califórnia) terão o acesso aos complexos prorrogado na mesma quantidade de dias em que eles permanecerão fechados. Até o momento, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que os americanos deverão permanecer em casa até 30 de abril.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Disney dispensa funcionários de parques por tempo indeterminado

Segundo comunicado, empresa viu-se forçada a decisão diante da incerteza de quando negócios serão retomados

Paulo Basso Jr.
Do Rota de Férias

14/04/2020 | 13:18


Sem previsão de reabertura dos parques por conta da quarentena provocada pelo covid-19, a Disney comunicou os funcionários não sindicalizados da divisão da empresa nos Estados Unidos que, a partir de 19 de abril, eles entrarão em licença não remunerada. A medida é legal diante das leis trabalhistas do país.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Até essa data, os empregados dos parques da Disney continuarão recebendo normalmente, a despeito de os complexos da Califórnia (Disneyland) e de Orlando (Disney World) estarem fechados desde 15 de março. Durante o período de licença, a Disney manterá os planos de saúde e os benefícios de investimento em educação oferecidos aos funcionários.

Segundo o comunicado, a “empresa viu-se forçada a essa difícil decisão diante da incerteza de quando os negócios serão retomados”. Ao entrar em licença, os empregados poderão se aplicar ao plano de compensação de US$ 600 por semana ofertado pelo governo americano, que faz parte de um pacote de estímulo econômico estimado em US$ 2 trilhões. Além disso, terão acesso ao seguro desemprego estadual.

De acordo com a rede americana CNBC News, a divisão Disney Parks, Experiences and Products conta com 177 mil empregados, dos quais 43 mil foram atingidos pela medida. Ainda segundo o meio de comunicação, o setor de parques temáticos representou 37% da receita de US$ 69,6 bilhões arrecadada pela Disney em 2019.

Novas atrações da Disney podem atrasar

A Disney ainda não anunciou se as atrações com inaugurações previstas para o verão americano, como a área dos Vingadores (Avengers Campus) no parque California Adventure, em Anaheim, seguirão o cronograma estipulado. Estima-se que haverá dificuldade para cumprir prazos, mas ainda não foi informado se os funcionários que estão à frente dos projetos estão operando normalmente.

Além disso, a empresa comunicou que as pessoas que adquiriram ingressos anuais dos parques (geralmente, quem mora na Flórida ou na Califórnia) terão o acesso aos complexos prorrogado na mesma quantidade de dias em que eles permanecerão fechados. Até o momento, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que os americanos deverão permanecer em casa até 30 de abril.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;