Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Doença ultrapassa marca de 1 milhão de casos confirmados no mundo

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Grande ABC contabiliza 151 pacientes que testaram positivo; mortes sobem para oito


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

02/04/2020 | 23:10


No dia em que o mundo ultrapassou a marca de 1 milhão de casos confirmados da Covid-19 (segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde – e outros órgãos internacionais, 1,013,157 de pacientes testaram positivo), o Grande ABC chegou a 151 moradores com o novo coronavírus, ontem. Entre eles, uma criança de 2 anos, residente de Ribeirão Pires e que está internada em hospital da Capital – a Prefeitura não deu mais detalhes do caso ou se a paciente tem alguma comorbidade.

Exceção feita a Rio Grande da Serra, as outras seis cidades da região registraram aumento no número de infectados com a doença que, na quarta-feira, eram 140. Agora são 50 confirmados em Santo André, 43 em São Bernardo, 36 em São Caetano, 11 em Mauá, cinco em Ribeirão Pires, quatro em Diadema e duas em Rio Grande da Serra.

Além disso, o número de mortos pela Covid-19 aumentou. Ontem, São Caetano comunicou o segundo óbito no município, de um senhor, 89 anos, que estava internado no Hospital São Luiz. Assim, o Grande ABC registra oito vítimas fatais (há ainda informadas quatro em São Bernardo e duas em Santo André).

Por outro lado, o secretário do Meio Ambiente de São Bernardo, José Carlos Pagliuca, está curado do novo coronavírus. Ele foi o primeiro integrante do governo a ser infectado pela Covid-19. Depois cumprir o período de quarentena, o chefe da Pasta diz estar 100%.

“Tive apenas sintomas leves e, depois de 20 dias de testar positivo, cumprindo a quarentena, os médicos dão alta. Me sinto bem”, garante o secretário. Segundo ele, continuará em casa, já que todos os funcionários da Prefeitura estão em home office. “Só irei para a secretaria se houver necessidade de assinar algum documento.”

Além disso, o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais divulgaram os mais recentes números e o País já tem 7.910 pacientes confirmados com o novo coronavírus, sendo 3.506 em São Paulo. O Brasil contabiliza ainda 324 mortes, 208 em território paulista.

Sem entrar em detalhes, o Ministério da Saúde revelou que o primeiro caso da Covid-19 no Brasil é de janeiro. A internação teria ocorrido por volta do dia 23 daquele mês e foi importado de outro país. A confirmação do teste, porém, só saiu em 26 de fevereiro. (colaborou Miriam Gimenes)

Estado cria serviço para agilizar testes

Agilizar os testes e disponibilizar o quanto antes o resultado dos exames do novo coronavírus são imenso desafio que o governo do Estado de São Paulo espera resolver com a criação de plataforma de laboratórios, divulgada ontem. O serviço será coordenado pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas.

Com a nova rede, haverá prioridade para os resultados de testes relativos a mortes por Covid-19 e aos pacientes graves internados. A ideia é fazer mutirão para zerar a fila para a realização dos exames. “Estamos definindo alguns eixos de ação. O primeiro é diagnosticar as amostras que estão aguardando, fazer mutirão para que elas sejam rapidamente analisadas e os casos, lançados no sistema. Isso tudo dentro de fluxo que inclua a participação dos municípios. Esperamos zerar essa fila de testes o mais rápido possível”, explicou Covas.

Integram a plataforma o Instituto Adolfo Lutz (central e regionais), Instituto Butantan, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Hemocentro de Ribeirão Preto, Laboratório de Análises Clínicas e Patologia do Hospital das Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e o Hemocentro de Botucatu. Com isso, a capacidade de realização de exames será de até dez mil por dia.

Se houver necessidade, o turno do Instituto Adolfo Lutz poderá ser dobrado para a realização dos testes. Os laboratórios da rede privada poderão ser integrados à plataforma de laboratórios mediante credenciamento da Secretaria de Estado da Saúde.

(da Redação)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Doença ultrapassa marca de 1 milhão de casos confirmados no mundo

Grande ABC contabiliza 151 pacientes que testaram positivo; mortes sobem para oito

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

02/04/2020 | 23:10


No dia em que o mundo ultrapassou a marca de 1 milhão de casos confirmados da Covid-19 (segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde – e outros órgãos internacionais, 1,013,157 de pacientes testaram positivo), o Grande ABC chegou a 151 moradores com o novo coronavírus, ontem. Entre eles, uma criança de 2 anos, residente de Ribeirão Pires e que está internada em hospital da Capital – a Prefeitura não deu mais detalhes do caso ou se a paciente tem alguma comorbidade.

Exceção feita a Rio Grande da Serra, as outras seis cidades da região registraram aumento no número de infectados com a doença que, na quarta-feira, eram 140. Agora são 50 confirmados em Santo André, 43 em São Bernardo, 36 em São Caetano, 11 em Mauá, cinco em Ribeirão Pires, quatro em Diadema e duas em Rio Grande da Serra.

Além disso, o número de mortos pela Covid-19 aumentou. Ontem, São Caetano comunicou o segundo óbito no município, de um senhor, 89 anos, que estava internado no Hospital São Luiz. Assim, o Grande ABC registra oito vítimas fatais (há ainda informadas quatro em São Bernardo e duas em Santo André).

Por outro lado, o secretário do Meio Ambiente de São Bernardo, José Carlos Pagliuca, está curado do novo coronavírus. Ele foi o primeiro integrante do governo a ser infectado pela Covid-19. Depois cumprir o período de quarentena, o chefe da Pasta diz estar 100%.

“Tive apenas sintomas leves e, depois de 20 dias de testar positivo, cumprindo a quarentena, os médicos dão alta. Me sinto bem”, garante o secretário. Segundo ele, continuará em casa, já que todos os funcionários da Prefeitura estão em home office. “Só irei para a secretaria se houver necessidade de assinar algum documento.”

Além disso, o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais divulgaram os mais recentes números e o País já tem 7.910 pacientes confirmados com o novo coronavírus, sendo 3.506 em São Paulo. O Brasil contabiliza ainda 324 mortes, 208 em território paulista.

Sem entrar em detalhes, o Ministério da Saúde revelou que o primeiro caso da Covid-19 no Brasil é de janeiro. A internação teria ocorrido por volta do dia 23 daquele mês e foi importado de outro país. A confirmação do teste, porém, só saiu em 26 de fevereiro. (colaborou Miriam Gimenes)

Estado cria serviço para agilizar testes

Agilizar os testes e disponibilizar o quanto antes o resultado dos exames do novo coronavírus são imenso desafio que o governo do Estado de São Paulo espera resolver com a criação de plataforma de laboratórios, divulgada ontem. O serviço será coordenado pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas.

Com a nova rede, haverá prioridade para os resultados de testes relativos a mortes por Covid-19 e aos pacientes graves internados. A ideia é fazer mutirão para zerar a fila para a realização dos exames. “Estamos definindo alguns eixos de ação. O primeiro é diagnosticar as amostras que estão aguardando, fazer mutirão para que elas sejam rapidamente analisadas e os casos, lançados no sistema. Isso tudo dentro de fluxo que inclua a participação dos municípios. Esperamos zerar essa fila de testes o mais rápido possível”, explicou Covas.

Integram a plataforma o Instituto Adolfo Lutz (central e regionais), Instituto Butantan, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Hemocentro de Ribeirão Preto, Laboratório de Análises Clínicas e Patologia do Hospital das Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e o Hemocentro de Botucatu. Com isso, a capacidade de realização de exames será de até dez mil por dia.

Se houver necessidade, o turno do Instituto Adolfo Lutz poderá ser dobrado para a realização dos testes. Os laboratórios da rede privada poderão ser integrados à plataforma de laboratórios mediante credenciamento da Secretaria de Estado da Saúde.

(da Redação)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;