Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Mito ou verdade? Quais truques funcionam quando o assunto é celular

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação, com assessoria
Do 33Giga

01/04/2020 | 19:48


Não é incomum encontrar alguém apostando em truques bem conhecidos para salvar um celular, como colocá-lo no arroz. Mas, o que realmente funciona e o que é apenas um mito? Para responder a essas questões famosas, o técnico e sócio da assistência técnica Smartech, Fernando Menezes, deu algumas explicações. Confira!

Leia mais:
Guia de Compras: Por que é tão difícil escolher smartphone no Brasil?
Descubra 5 utilidades para seu smartphone antigo

Os aparelhos à prova d’água podem ficar completamente submersos

Mito. Quando um smartphone é vendido como “à prova d’água”, é preciso tomar cuidado. Os aparelhos com classificação IP67 e IP68 são os que possuem resistência máxima, mas têm tempo limite e profundidade específica de submersão – e, ainda assim, as marcas recomendam que isso seja evitado.

“Existem diversos níveis de proteção. Quanto maior os dois números que acompanham a sigla IP, maior a resistência. O primeiro dígito se refere à poeira, podendo de ir 0 a 6. O segundo dígito se refere à água, indo de 0 a 8. No nível máximo de proteção, o aparelho pode ficar submerso por até 30 minutos numa profundidade de 1,5 metro”, explica Fernando.

Película de vidro trincada prejudica o aparelho

Verdade. Segundo Fernando, quando a película do celular trinca ou fica estilhaçada, o ideal é removê-la rapidamente e colocar uma nova. “Quando está danificada, ela não oferece mais nenhum tipo de proteção. Muito pelo contrário. Ela pode estragar também a tela do aparelho com os estilhaços do vidro e interferir no funcionamento do touch. Além de ter grandes chances de machucar o dono do celular.”

Reduzir o brilho da tela economiza bateria

Mito. Ao contrário do que você possa acreditar, a função de ajuste de brilho da tela não foi pensada para economizar a bateria do aparelho. “A economia gerada pela redução do brilho praticamente não impacta na bateria em si. Essa função é basicamente para o conforto do usuário”, explica Fernando.

Deixar o aparelho na tomada a noite inteira não danifica a bateria

Verdade. Não é aconselhado, mas deixar o celular conectado na tomada durante a noite não vai danificar a bateria do aparelho. “Assim que o celular completa 100% de carga, ele deixa de receber energia”, aponta o técnico da Smartech.

Colocar o celular no arroz após o aparelho cair na água enxuga o líquido

Mito. Apesar do arroz ser um ótimo absorvente natural quando está cru, ele não é capaz de enxugar toda a água do aparelho. “O ideal é levar o celular diretamente para uma assistência técnica, para fazer a desoxidação. Se não for possível logo no momento do ocorrido, o indicado é desligá-lo, tirar a bateria e os cartões, e retirar o excesso de líquido usando um pano ou algo parecido”, diz Fernando.

Carregar o aparelho apenas com o cabo USB demora mais

Verdade. Além de demorar mais para dar a carga, essa opção de carregamento ainda pode danificar a bateria. “As correntes existentes entre duas entradas USB possuem alta oscilação, isso pode fazer com que o aparelho fique superaquecido, o que pode diminuir a vida útil da bateria. A melhor opção é sempre usar o carregador na tomada, que fornece uma corrente mais estável e não danifica o aparelho”, afirma o técnico da Smartech.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Por falar em celular, confira no álbum especial do 33Giga a evolução do aparelho:



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mito ou verdade? Quais truques funcionam quando o assunto é celular

Da Redação, com assessoria
Do 33Giga

01/04/2020 | 19:48


Não é incomum encontrar alguém apostando em truques bem conhecidos para salvar um celular, como colocá-lo no arroz. Mas, o que realmente funciona e o que é apenas um mito? Para responder a essas questões famosas, o técnico e sócio da assistência técnica Smartech, Fernando Menezes, deu algumas explicações. Confira!

Leia mais:
Guia de Compras: Por que é tão difícil escolher smartphone no Brasil?
Descubra 5 utilidades para seu smartphone antigo

Os aparelhos à prova d’água podem ficar completamente submersos

Mito. Quando um smartphone é vendido como “à prova d’água”, é preciso tomar cuidado. Os aparelhos com classificação IP67 e IP68 são os que possuem resistência máxima, mas têm tempo limite e profundidade específica de submersão – e, ainda assim, as marcas recomendam que isso seja evitado.

“Existem diversos níveis de proteção. Quanto maior os dois números que acompanham a sigla IP, maior a resistência. O primeiro dígito se refere à poeira, podendo de ir 0 a 6. O segundo dígito se refere à água, indo de 0 a 8. No nível máximo de proteção, o aparelho pode ficar submerso por até 30 minutos numa profundidade de 1,5 metro”, explica Fernando.

Película de vidro trincada prejudica o aparelho

Verdade. Segundo Fernando, quando a película do celular trinca ou fica estilhaçada, o ideal é removê-la rapidamente e colocar uma nova. “Quando está danificada, ela não oferece mais nenhum tipo de proteção. Muito pelo contrário. Ela pode estragar também a tela do aparelho com os estilhaços do vidro e interferir no funcionamento do touch. Além de ter grandes chances de machucar o dono do celular.”

Reduzir o brilho da tela economiza bateria

Mito. Ao contrário do que você possa acreditar, a função de ajuste de brilho da tela não foi pensada para economizar a bateria do aparelho. “A economia gerada pela redução do brilho praticamente não impacta na bateria em si. Essa função é basicamente para o conforto do usuário”, explica Fernando.

Deixar o aparelho na tomada a noite inteira não danifica a bateria

Verdade. Não é aconselhado, mas deixar o celular conectado na tomada durante a noite não vai danificar a bateria do aparelho. “Assim que o celular completa 100% de carga, ele deixa de receber energia”, aponta o técnico da Smartech.

Colocar o celular no arroz após o aparelho cair na água enxuga o líquido

Mito. Apesar do arroz ser um ótimo absorvente natural quando está cru, ele não é capaz de enxugar toda a água do aparelho. “O ideal é levar o celular diretamente para uma assistência técnica, para fazer a desoxidação. Se não for possível logo no momento do ocorrido, o indicado é desligá-lo, tirar a bateria e os cartões, e retirar o excesso de líquido usando um pano ou algo parecido”, diz Fernando.

Carregar o aparelho apenas com o cabo USB demora mais

Verdade. Além de demorar mais para dar a carga, essa opção de carregamento ainda pode danificar a bateria. “As correntes existentes entre duas entradas USB possuem alta oscilação, isso pode fazer com que o aparelho fique superaquecido, o que pode diminuir a vida útil da bateria. A melhor opção é sempre usar o carregador na tomada, que fornece uma corrente mais estável e não danifica o aparelho”, afirma o técnico da Smartech.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Por falar em celular, confira no álbum especial do 33Giga a evolução do aparelho:

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;