Fechar
Publicidade

Domingo, 31 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar tem leve recuo ante rivais após Fed elevar liquidez, mas sobe no trimestre



31/03/2020 | 18:44


O dólar recuou levemente ante outras moedas fortes nesta terça-feira, 31, com exceção do euro, após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciar novas medidas para aumentar a liquidez do sistema financeiro em meio à pandemia de coronavírus.

No fim da tarde em Nova York, o dólar tinha leve queda a 107,54 ienes, o euro caía a US$ 1,1035 e a libra registrava leve alta a US$ 1,2415. O índice DXY, que mede a variação dólar em relação a outras moedas principais, caiu 0,13%, a 99,048 pontos, mas subiu 2,20% no primeiro trimestre de 2020.

Depois de mostrar volatilidade no início da sessão, o dólar perdeu força com o anúncio do Federal Reserve de um novo programa de recompra de títulos voltado a outros bancos centrais. Nas últimas semanas, a autoridade monetária americana também estabeleceu linhas de swap cambial com outros pares para tentar suprir a demanda por liquidez em dólar. Hoje, além disso, o Fed adiou até setembro a implementação de uma nova regulação bancária.

"O desejo de manter dólares permanece elevado no final do que se espera ser um primeiro trimestre ruim, com as perspectivas ainda piores para o segundo trimestre", comenta o analista sênior de mercado Joe Manimbo, do Western Union.

Ao resumir os três primeiros meses do ano no mercado cambial, a diretora de estratégia de câmbio Kathy Lien, do BK Asset Management, diz que a busca pela segurança do dólar aumentou, "mas com a propagação do vírus nos EUA, o dólar devolveu alguns ganhos". "Os investidores se preocuparam com as perspectivas para a economia dos EUA e questionaram os esforços do governo Donald Trump para ajudar empresas e consumidores a sobreviver", ressalta Lien.

O especialista do banco americano destaca, ainda, que o euro perdeu força hoje após a divulgação da inflação da zona do euro em março. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da região desacelerou de 1,2% em fevereiro para 0,7% neste mês, em meio aos impactos do coronavírus.

Ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o dólar subia a 24,7428 pesos mexicanos e a 79,470 rublos russos, mas caía a 17,8828 rands sul-africanos, no fim da tarde em Nova York.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar tem leve recuo ante rivais após Fed elevar liquidez, mas sobe no trimestre


31/03/2020 | 18:44


O dólar recuou levemente ante outras moedas fortes nesta terça-feira, 31, com exceção do euro, após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciar novas medidas para aumentar a liquidez do sistema financeiro em meio à pandemia de coronavírus.

No fim da tarde em Nova York, o dólar tinha leve queda a 107,54 ienes, o euro caía a US$ 1,1035 e a libra registrava leve alta a US$ 1,2415. O índice DXY, que mede a variação dólar em relação a outras moedas principais, caiu 0,13%, a 99,048 pontos, mas subiu 2,20% no primeiro trimestre de 2020.

Depois de mostrar volatilidade no início da sessão, o dólar perdeu força com o anúncio do Federal Reserve de um novo programa de recompra de títulos voltado a outros bancos centrais. Nas últimas semanas, a autoridade monetária americana também estabeleceu linhas de swap cambial com outros pares para tentar suprir a demanda por liquidez em dólar. Hoje, além disso, o Fed adiou até setembro a implementação de uma nova regulação bancária.

"O desejo de manter dólares permanece elevado no final do que se espera ser um primeiro trimestre ruim, com as perspectivas ainda piores para o segundo trimestre", comenta o analista sênior de mercado Joe Manimbo, do Western Union.

Ao resumir os três primeiros meses do ano no mercado cambial, a diretora de estratégia de câmbio Kathy Lien, do BK Asset Management, diz que a busca pela segurança do dólar aumentou, "mas com a propagação do vírus nos EUA, o dólar devolveu alguns ganhos". "Os investidores se preocuparam com as perspectivas para a economia dos EUA e questionaram os esforços do governo Donald Trump para ajudar empresas e consumidores a sobreviver", ressalta Lien.

O especialista do banco americano destaca, ainda, que o euro perdeu força hoje após a divulgação da inflação da zona do euro em março. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da região desacelerou de 1,2% em fevereiro para 0,7% neste mês, em meio aos impactos do coronavírus.

Ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o dólar subia a 24,7428 pesos mexicanos e a 79,470 rublos russos, mas caía a 17,8828 rands sul-africanos, no fim da tarde em Nova York.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;