Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 14 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Os atiradores. O desfile. E novas lembranças

Sidnei Sauerbronn, o Sidão de Santo André, revela que é leitor da coluna Memória, o que para nós é uma honra, já que ele é autor do livro “Esquina 65”


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

25/04/2008 | 00:00


Sidnei Sauerbronn, o Sidão de Santo André, revela que é leitor da coluna Memória, o que para nós é uma honra, já que ele é autor do livro “Esquina 65” (das Ruas Campos Sales e Cesário Motta), que a Memória considerou o mais perfeito do gênero lançado no Grande ABC em 2007.

No texto que se segue, Sidão dá prosseguimento às reflexões em torno da foto dos atiradores que desfilaram em Santo André em 1962 e cuja imagem foi perpetuada no cenário do histórico Nosso Bar. Vainer de Oliveira (dono da foto), Domingos Moretti (das primeiras reflexões) e Sidnei Sauerbronn: três andreenses e muitas histórias.

UM CHAFARIZ

Texto: Sidnei Sauerbronn - Sidão

t Havia notado (na foto) a presença do Nosso Bar e confesso que divaguei sobre aquela esquina. Mas o texto do Moretti me fez ir mais longe. Levou-me a uma experiência.

Trabalhei na Rhodia como ele, entre 1964 e1969, e percorri o mesmo trajeto. Saía da Vila Gabrilli, na Rua Campos Sales, caminhava até a Rua Coronel Oliveira Lima e seguia pelo mesmo caminho por ele apontado, a mesma vivência.

As porteiras da estrada de ferro viraram cancelas. Quando elas estavam abaixadas para que a composição de trens passasse, as filas de pedestres se formavam. Algumas eram longas, com aglomerado de gente dos dois lados.

As cancelas abaixadas significavam um atraso de minutos no relógio de ponto da empresa. Era subir correndo para a passarela e estar do outro lado suado e pronto.

Essas mesmas porteiras me recordam como fiquei sabendo do golpe militar de 1964. Estavam ali naquele dia, muitos soldados de sentinela. Quando cheguei na Rhodia, o setor de gerência administrativo era uma euforia só.

Se seguíssemos a banda que está na foto (Rua Bernardino de Campos), em frente à entrada principal da estação, depararíamos com um chafariz, um tanque em que os cavalos matavam a sede. Nessa época os táxis faziam concorrência com as charretes puxadas a cavalo.

                               

NOTAS DA COLUNA

1 - O chafariz apontado por Sidnei Sauerbronn, ou o bebedouro dos animais, foi inaugurado em 1947 pelo prefeito Alfredo Maluf, num ato folclórico já relatado pela coluna e que vale repetir. Rodeado de populares e colaboradores, o prefeito foi criativo.

 Com as mãos em concha, apanhou um bocado da água, bebeu e declarou divertido: “Está inaugurada esta m...”.

2 - Cancelas ou porteiras? As duas formas se entrelaçam quando se fala da passagem de nível da estação ferroviária de Santo André. Vejam a foto. Ela é dos anos 1930. Para proteção dos pedestres, quando da passagem dos trens, o que ali havia eram porteiras mesmo. As cancelas vieram já no tempo dos nossos cronistas e memorialistas, Vainer, Moretti e Sidão. Mas a herança do tempo “porteiras”, ah, esta sobrevive, com certeza, até os dias atuais.

3 - Humberto Moura lembra que o Nosso Bar foi um dos primeiros a servir pizza em Santo André, ao lado de estabelecimentos como os restaurantes Balderi e Anchieta. Um testemunho importante, o de Moura, que nos leva à cidade de Santo André de 1940, 1941...

DIARIO HÁ 30 ANOS

Terça-feira, 25 de abril de 1978

FEI - Direção suspende as aulas por tempo indeterminado. Quatro mil alunos fazem depósito em juízo das mensalidades.

ETNIA - Comunidade sírio-libanesa do Grande ABC homenageou ontem, com um jantar no Moinho São Jorge, Dom Elias IV, patriarca da Igreja Ortodoxa Antioquina para todo o Oriente.

HOJE

Dia do Amor e Dia do Contabilista.

SANTOS DO DIA

Calista, Evódio e Marcos (evangelista).

DO JAPÃO AO BRASIL, 100 ANOS DE HISTÓRIA

Tiojium Metolina e Alessandra Metolina. Pai e filha. Membros da comissão do centenário da imigração japonesa ao Brasil. Integram a Associação Nipo-Brasileira de Mauá.

Tiojium (Guararapes, SP, 14/5/1951). Empresário no ramo de transportes. Seus pais chegaram do Japão em 1918. Ele viveu em Guararapes, São Paulo, Santo André e São Caetano. Está em Mauá desde 1975. É casado com Teruko Moromizato Metolina. O casal tem três filhos: Josileine, Alessandra e Anderson.

Teruko Moromizato Metolina (Misato, Okinawa, 30/4/1949). Empresária no ramo de transportes. Sua família viveu na Argentina e chegou ao Brasil, e à Mauá, em 1957.

Ademir Medici é jornalista e autor de livros sobre a memória do Grande ABC

FALECIMENTOS

SANTO ANDRÉ

EUZIRA DOMINICHELE REZENDE, 73. Dia 22. Cemitério Vila Pires.

MARIA THEREZA THOMAZ, 91. Dia 22. Cemitério Assunção.

VALDELICE BORGES DE SOUZA, 43. Dia 22. Cemitério Curuçá.

NATHÁLIA ALVES DA SILVA, 83. Dia 22. Cemitério Vila Pires.

SILVIA MOREIRA XAVIER, 56. Anteontem. Cemitério Santo André.

MARGARIDA BASSANI SILVESTRE, 80. Anteontem. Cemitério Curuçá.

CLAUDILDA WAMPEL PERCHASECA, 93. Anteontem. Cemitério Humaitá.

CARLOS ROBERTO DE ARRUDA, 51. Anteontem. Cemitério Curuçá.

DIMAS SILVA, 50. Anteontem. Cemitério Camilópolis.

ADARCIA CURTARELLO, 72. Ontem. Cemitério Municipal, Diadema.

ANTÔNIO DE SOUZA GÓIS, 63. Ontem. Cemitério Vila Euclides.

WALLACE ADABO DA SILVA, 16. Anteontem. Cemitério Curuçá.

CATHARINA BAIARDI ARELARO, 86. Anteontem. Cemitério Humaitá.

VALMIRO ALVES BRASILEIRO, 77. Anteontem. Cemitério Curuçá.

ISMERALDO GOMES VALADÃO, 24. Ontem. Cemitério Municipal, Diadema.

SÃO BERNARDO 

CARLOS CAPASSI, 81. Anteontem. Cemitério Vila Euclides.

SILVANA MARIA FONSECA DO NASCIMENTO POLICARPO, 41. Anteontem. Cemitério Municipal, Diadema.

WALTER GOMES DE OLIVEIRA, 73. Anteontem. Cemitério Jardim da Colina.

MARIA DE LIMA MORENO, 82. Anteontem. Cemitério Vila Pires, Santo André.

PEDRO PEREIRA NIZ, 56. Anteontem. Cemitério Luisilandia/MG.

SERAFINA DE JESUS PIMENTEL TOGNOLO, 80. Anteontem. Cemitério Curuçá.

ANDRELINO DA SILVA, 81. Ontem. Cemitério Vila Euclides.

THEREZINHA PEDROSA DARDES, 71. Ontem. Cemitério Vila Alpina, Capital.

ELISANGELA MASCARENHAS DE LIMA, 26. Ontem. Cemitério Paulicéia.

GERARDA DUARTE DE MATOS, 78. Ontem. Cemitério Jacunda/PA.

ELZO ROSA, 53. Ontem. Cemitério Bairro dos Casa.

ILDA DE CARVALHO GUIMARÃES, 95. Ontem. Cemitério Vila Euclides.

ARMINDO SILVA, 76. Ontem. Cemitério Jardim da Colina.

AFISIO DOS MARCOS, 75. Ontem. Cemitério Memorial Phoenix, Santo André.

JOSÉ ROBERTO BADARO, 42. Ontem. Cemitério Curuçá, Santo André.

SÃO CAETANO

GILDÁSIO RODRIGUES DOS SANTOS, 73. Anteontem. Cemitério Cerâmica.

MÁRIO DAZOPI, 84. Dia 22. Cemitério das Lágrimas.

JOÃO GONÇALVES DE LIMA, 73. Anteontem. Cemitério das Lágrimas.

WALDEMAR CAPASSI, 61. Anteontem. Cemitério das Lágrimas.

CARLOS ROGATTO, 72. Anteontem. Cemitério das Lágrimas.

DIADEMA

ANTÔNIO TENÓRIO, 43. Anteontem. Cemitério Municipal.

ALESSANDRA AUGUSTA DA SILVA, 31. Anteontem. Cemitério Municipal.

MARCOS PASTOR DE OLIVEIRA, 26. Anteontem. Cemitério Municipal.

LURDES DE CASTRO, 82. Ontem. Cemitério Municipal.

MAUÁ

JACIRA CELESTINA DA SILVA GARCIA, 56. Anteontem. Cemitério Santa Lídia.

BENEDITO APARECIDO DIAS DA SILVA, 48. Anteontem. Cemitério Santa Lídia.

RIBEIRÃO PIRES

ARNALDO DA COSTA, 74. Anteontem. Cemitério São José.

GRINÁURIA MARIA DA SILVA, 65. Anteontem. Cemitério São José.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Os atiradores. O desfile. E novas lembranças

Sidnei Sauerbronn, o Sidão de Santo André, revela que é leitor da coluna Memória, o que para nós é uma honra, já que ele é autor do livro “Esquina 65”

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

25/04/2008 | 00:00


Sidnei Sauerbronn, o Sidão de Santo André, revela que é leitor da coluna Memória, o que para nós é uma honra, já que ele é autor do livro “Esquina 65” (das Ruas Campos Sales e Cesário Motta), que a Memória considerou o mais perfeito do gênero lançado no Grande ABC em 2007.

No texto que se segue, Sidão dá prosseguimento às reflexões em torno da foto dos atiradores que desfilaram em Santo André em 1962 e cuja imagem foi perpetuada no cenário do histórico Nosso Bar. Vainer de Oliveira (dono da foto), Domingos Moretti (das primeiras reflexões) e Sidnei Sauerbronn: três andreenses e muitas histórias.

UM CHAFARIZ

Texto: Sidnei Sauerbronn - Sidão

t Havia notado (na foto) a presença do Nosso Bar e confesso que divaguei sobre aquela esquina. Mas o texto do Moretti me fez ir mais longe. Levou-me a uma experiência.

Trabalhei na Rhodia como ele, entre 1964 e1969, e percorri o mesmo trajeto. Saía da Vila Gabrilli, na Rua Campos Sales, caminhava até a Rua Coronel Oliveira Lima e seguia pelo mesmo caminho por ele apontado, a mesma vivência.

As porteiras da estrada de ferro viraram cancelas. Quando elas estavam abaixadas para que a composição de trens passasse, as filas de pedestres se formavam. Algumas eram longas, com aglomerado de gente dos dois lados.

As cancelas abaixadas significavam um atraso de minutos no relógio de ponto da empresa. Era subir correndo para a passarela e estar do outro lado suado e pronto.

Essas mesmas porteiras me recordam como fiquei sabendo do golpe militar de 1964. Estavam ali naquele dia, muitos soldados de sentinela. Quando cheguei na Rhodia, o setor de gerência administrativo era uma euforia só.

Se seguíssemos a banda que está na foto (Rua Bernardino de Campos), em frente à entrada principal da estação, depararíamos com um chafariz, um tanque em que os cavalos matavam a sede. Nessa época os táxis faziam concorrência com as charretes puxadas a cavalo.

                               

NOTAS DA COLUNA

1 - O chafariz apontado por Sidnei Sauerbronn, ou o bebedouro dos animais, foi inaugurado em 1947 pelo prefeito Alfredo Maluf, num ato folclórico já relatado pela coluna e que vale repetir. Rodeado de populares e colaboradores, o prefeito foi criativo.

 Com as mãos em concha, apanhou um bocado da água, bebeu e declarou divertido: “Está inaugurada esta m...”.

2 - Cancelas ou porteiras? As duas formas se entrelaçam quando se fala da passagem de nível da estação ferroviária de Santo André. Vejam a foto. Ela é dos anos 1930. Para proteção dos pedestres, quando da passagem dos trens, o que ali havia eram porteiras mesmo. As cancelas vieram já no tempo dos nossos cronistas e memorialistas, Vainer, Moretti e Sidão. Mas a herança do tempo “porteiras”, ah, esta sobrevive, com certeza, até os dias atuais.

3 - Humberto Moura lembra que o Nosso Bar foi um dos primeiros a servir pizza em Santo André, ao lado de estabelecimentos como os restaurantes Balderi e Anchieta. Um testemunho importante, o de Moura, que nos leva à cidade de Santo André de 1940, 1941...

DIARIO HÁ 30 ANOS

Terça-feira, 25 de abril de 1978

FEI - Direção suspende as aulas por tempo indeterminado. Quatro mil alunos fazem depósito em juízo das mensalidades.

ETNIA - Comunidade sírio-libanesa do Grande ABC homenageou ontem, com um jantar no Moinho São Jorge, Dom Elias IV, patriarca da Igreja Ortodoxa Antioquina para todo o Oriente.

HOJE

Dia do Amor e Dia do Contabilista.

SANTOS DO DIA

Calista, Evódio e Marcos (evangelista).

DO JAPÃO AO BRASIL, 100 ANOS DE HISTÓRIA

Tiojium Metolina e Alessandra Metolina. Pai e filha. Membros da comissão do centenário da imigração japonesa ao Brasil. Integram a Associação Nipo-Brasileira de Mauá.

Tiojium (Guararapes, SP, 14/5/1951). Empresário no ramo de transportes. Seus pais chegaram do Japão em 1918. Ele viveu em Guararapes, São Paulo, Santo André e São Caetano. Está em Mauá desde 1975. É casado com Teruko Moromizato Metolina. O casal tem três filhos: Josileine, Alessandra e Anderson.

Teruko Moromizato Metolina (Misato, Okinawa, 30/4/1949). Empresária no ramo de transportes. Sua família viveu na Argentina e chegou ao Brasil, e à Mauá, em 1957.

Ademir Medici é jornalista e autor de livros sobre a memória do Grande ABC

FALECIMENTOS

SANTO ANDRÉ

EUZIRA DOMINICHELE REZENDE, 73. Dia 22. Cemitério Vila Pires.

MARIA THEREZA THOMAZ, 91. Dia 22. Cemitério Assunção.

VALDELICE BORGES DE SOUZA, 43. Dia 22. Cemitério Curuçá.

NATHÁLIA ALVES DA SILVA, 83. Dia 22. Cemitério Vila Pires.

SILVIA MOREIRA XAVIER, 56. Anteontem. Cemitério Santo André.

MARGARIDA BASSANI SILVESTRE, 80. Anteontem. Cemitério Curuçá.

CLAUDILDA WAMPEL PERCHASECA, 93. Anteontem. Cemitério Humaitá.

CARLOS ROBERTO DE ARRUDA, 51. Anteontem. Cemitério Curuçá.

DIMAS SILVA, 50. Anteontem. Cemitério Camilópolis.

ADARCIA CURTARELLO, 72. Ontem. Cemitério Municipal, Diadema.

ANTÔNIO DE SOUZA GÓIS, 63. Ontem. Cemitério Vila Euclides.

WALLACE ADABO DA SILVA, 16. Anteontem. Cemitério Curuçá.

CATHARINA BAIARDI ARELARO, 86. Anteontem. Cemitério Humaitá.

VALMIRO ALVES BRASILEIRO, 77. Anteontem. Cemitério Curuçá.

ISMERALDO GOMES VALADÃO, 24. Ontem. Cemitério Municipal, Diadema.

SÃO BERNARDO 

CARLOS CAPASSI, 81. Anteontem. Cemitério Vila Euclides.

SILVANA MARIA FONSECA DO NASCIMENTO POLICARPO, 41. Anteontem. Cemitério Municipal, Diadema.

WALTER GOMES DE OLIVEIRA, 73. Anteontem. Cemitério Jardim da Colina.

MARIA DE LIMA MORENO, 82. Anteontem. Cemitério Vila Pires, Santo André.

PEDRO PEREIRA NIZ, 56. Anteontem. Cemitério Luisilandia/MG.

SERAFINA DE JESUS PIMENTEL TOGNOLO, 80. Anteontem. Cemitério Curuçá.

ANDRELINO DA SILVA, 81. Ontem. Cemitério Vila Euclides.

THEREZINHA PEDROSA DARDES, 71. Ontem. Cemitério Vila Alpina, Capital.

ELISANGELA MASCARENHAS DE LIMA, 26. Ontem. Cemitério Paulicéia.

GERARDA DUARTE DE MATOS, 78. Ontem. Cemitério Jacunda/PA.

ELZO ROSA, 53. Ontem. Cemitério Bairro dos Casa.

ILDA DE CARVALHO GUIMARÃES, 95. Ontem. Cemitério Vila Euclides.

ARMINDO SILVA, 76. Ontem. Cemitério Jardim da Colina.

AFISIO DOS MARCOS, 75. Ontem. Cemitério Memorial Phoenix, Santo André.

JOSÉ ROBERTO BADARO, 42. Ontem. Cemitério Curuçá, Santo André.

SÃO CAETANO

GILDÁSIO RODRIGUES DOS SANTOS, 73. Anteontem. Cemitério Cerâmica.

MÁRIO DAZOPI, 84. Dia 22. Cemitério das Lágrimas.

JOÃO GONÇALVES DE LIMA, 73. Anteontem. Cemitério das Lágrimas.

WALDEMAR CAPASSI, 61. Anteontem. Cemitério das Lágrimas.

CARLOS ROGATTO, 72. Anteontem. Cemitério das Lágrimas.

DIADEMA

ANTÔNIO TENÓRIO, 43. Anteontem. Cemitério Municipal.

ALESSANDRA AUGUSTA DA SILVA, 31. Anteontem. Cemitério Municipal.

MARCOS PASTOR DE OLIVEIRA, 26. Anteontem. Cemitério Municipal.

LURDES DE CASTRO, 82. Ontem. Cemitério Municipal.

MAUÁ

JACIRA CELESTINA DA SILVA GARCIA, 56. Anteontem. Cemitério Santa Lídia.

BENEDITO APARECIDO DIAS DA SILVA, 48. Anteontem. Cemitério Santa Lídia.

RIBEIRÃO PIRES

ARNALDO DA COSTA, 74. Anteontem. Cemitério São José.

GRINÁURIA MARIA DA SILVA, 65. Anteontem. Cemitério São José.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;