Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Atenção, CVM


Do Diário do Grande ABC

26/03/2020 | 23:59


O mercado brasileiro de ações nem havia se recuperado do abalo causado pela revelação de que erros contábeis macularam os últimos quatro balanços financeiros da maior agência de viagens do País, a andreense CVC, quando sismo similar atinge outra gigante regional, a são-caetanense Via Varejo. Em fato relevante publicado na madrugada de ontem, a dona da marca Casas Bahia informou que consultores independentes constataram evidências de fraudes que superaram o bilhão de reais. Não é preciso ser expert no assunto para suspeitar de que algo de muito errado ocorreu nos bastidores das companhias coincidentemente sediadas no Grande ABC.

Empresas com papéis negociados na B3, a bolsa de valores de São Paulo, CVC e Via Varejo devem satisfações à sociedade. Têm de abandonar a linguagem empolada e hermética que caracteriza seus comunicados ao mercado financeiro e explicar com clareza, de modo a serem compreendidas por todos, o que causou as irregularidades ora trazidas a público. Ser transparente é a única maneira de evitar o aprofundamento da crise de confiança e imagem que ambas enfrentam.

A CVC viu as repercussões de seus erros contábeis serem engolfadas por acontecimento ainda mais terrível, qual seja, o derretimento do mercado de viagens provocado pelo alastramento do novo coronavírus – hoje alçado à categoria de pandemia. Não muito diferente, diga-se, do momento vivido pela Casas Bahia. Fundada em São Caetano há 58 anos, a marca se vê na iminência de perder sua presença hegemônica na região com a chegada da Havan, cujo proprietário já divulgou maciço projeto para impor sua presença no Grande ABC.

A indicar a intensidade da fraude, a Via Varejo anunciou ontem o congelamento do plano de abrir de 70 a 90 lojas das suas marcas neste ano – além da Casas Bahia, comanda também o Ponto Frio. Protagonista do mercado, a companhia deve explicações. Que a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a quem cabe fiscalizar o mercado de ações no País, cumpra o papel que a sociedade espera dela. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;