Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 14 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Leonardo lança DVD sem hits da carreira


Cristiane Bomfim
Do Diário do Grande ABC

26/05/2009 | 07:00


Com previsão de lançamento para o fim de julho, o DVD "Ao Vivo" do cantor Leonardo não trará grandes hits da carreira, como "Pense em Mim", "Talismã" e "Entre Tapas e Beijos". A escolha do repertório, feita pelos fãs, desde a época em que ele formava dupla com o irmão Leandro, surpreendeu o sertanejo.

"É o lado B da minha carreira. Eu fui gravar o DVD meio chateado porque a gente faz os shows em cima dessas músicas que foram sucessos. Eu fiquei com um pouco de medo de que o trabalho parecesse frio, sem o acompanhamento do público. Mas depois, durante a gravação, todos sabiam cantar as músicas como se fossem 'Talismã' e 'Pense em Mim'. Eu fiquei arrepiado". O álbum foi gravado no fim de abril.

Com 25 anos de carreira e 27 milhões de álbuns vendidos, o cantor acredita que a nova roupagem do estilo musical, que ganhou o nome de sertanejo universitário, não deve sufocar as duplas mais antigas que junto com Leandro e Leonardo estouraram nas décadas de 1980 e 1990.

"Tem de haver mudança. É necessária. E na época em que eu entrei na música com o Leandro houve uma mudança. Quem mandava na época era João Mineiro e Marciano, Milionário e José Rico, Trio Parada Dura e Chitãozinho e Xororó. O povo apostava que Leandro e Leonardo gravaria um ou dois discos e depois sumiria, mas nós mostramos que viemos para ficar."

A abertura do leque e o surgimento de novas duplas são considerados naturais. "Não é que o povo não queira mais Leandro e Leonardo ou Zezé di Camargo e Luciano. Hoje tem duplas novas para curtirem e eu fico feliz porque dá uma sequência à música sertaneja". Além disso, Leonardo afirma que o sertanejo universitário trouxe bons cantores, mas também "muita coisa ruim".

"Os bons vão ficar, como por exemplo Victor e Léo, que fazem um trabalho muito sério, sempre respeitando o público escolhendo um repertório muito bom." Ele também cita como promissoras as duplas Fernando e Sorocaba e Maria Cecília e Rodolfo e Jorge e Mateus. "Maria Cecília e Rodolfo, apesar de eu achar que não cantam lá isso tudo, têm um repertório muito bom e caíram no gosto do público, que é quem manda."

TRIBUTO - No ano passado, Leonardo anunciou o desejo de lançar um CD em homenagem ao irmão morto há dez anos. "O projeto não vingou. Acho que estava muito em cima e os artistas que seriam convidados estavam com as datas comprometidas". Em julho, completam-se 11 anos sem Leandro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Leonardo lança DVD sem hits da carreira

Cristiane Bomfim
Do Diário do Grande ABC

26/05/2009 | 07:00


Com previsão de lançamento para o fim de julho, o DVD "Ao Vivo" do cantor Leonardo não trará grandes hits da carreira, como "Pense em Mim", "Talismã" e "Entre Tapas e Beijos". A escolha do repertório, feita pelos fãs, desde a época em que ele formava dupla com o irmão Leandro, surpreendeu o sertanejo.

"É o lado B da minha carreira. Eu fui gravar o DVD meio chateado porque a gente faz os shows em cima dessas músicas que foram sucessos. Eu fiquei com um pouco de medo de que o trabalho parecesse frio, sem o acompanhamento do público. Mas depois, durante a gravação, todos sabiam cantar as músicas como se fossem 'Talismã' e 'Pense em Mim'. Eu fiquei arrepiado". O álbum foi gravado no fim de abril.

Com 25 anos de carreira e 27 milhões de álbuns vendidos, o cantor acredita que a nova roupagem do estilo musical, que ganhou o nome de sertanejo universitário, não deve sufocar as duplas mais antigas que junto com Leandro e Leonardo estouraram nas décadas de 1980 e 1990.

"Tem de haver mudança. É necessária. E na época em que eu entrei na música com o Leandro houve uma mudança. Quem mandava na época era João Mineiro e Marciano, Milionário e José Rico, Trio Parada Dura e Chitãozinho e Xororó. O povo apostava que Leandro e Leonardo gravaria um ou dois discos e depois sumiria, mas nós mostramos que viemos para ficar."

A abertura do leque e o surgimento de novas duplas são considerados naturais. "Não é que o povo não queira mais Leandro e Leonardo ou Zezé di Camargo e Luciano. Hoje tem duplas novas para curtirem e eu fico feliz porque dá uma sequência à música sertaneja". Além disso, Leonardo afirma que o sertanejo universitário trouxe bons cantores, mas também "muita coisa ruim".

"Os bons vão ficar, como por exemplo Victor e Léo, que fazem um trabalho muito sério, sempre respeitando o público escolhendo um repertório muito bom." Ele também cita como promissoras as duplas Fernando e Sorocaba e Maria Cecília e Rodolfo e Jorge e Mateus. "Maria Cecília e Rodolfo, apesar de eu achar que não cantam lá isso tudo, têm um repertório muito bom e caíram no gosto do público, que é quem manda."

TRIBUTO - No ano passado, Leonardo anunciou o desejo de lançar um CD em homenagem ao irmão morto há dez anos. "O projeto não vingou. Acho que estava muito em cima e os artistas que seriam convidados estavam com as datas comprometidas". Em julho, completam-se 11 anos sem Leandro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;