Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 30 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sto.André antecipa 13º para aliviar crise da Covid-19

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Decisão do governo fará com que pagamento da primeira parcela seja quitado no dia 30


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

26/03/2020 | 00:01


O governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), decidiu concretizar proposta de antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores públicos municipais sob a tentativa de aliviar os efeitos da crise em torno do avanço do novo coronavírus na cidade. Com a medida do Paço, acertada logo após decreto oficial que ampliou os procedimentos preventivos de ‘quarentena’ junto ao funcionalismo, a quitação deve ser efetivada até terça-feira, ainda no fim de primeiro trimestre do ano.

A prestação inicial do benefício, que estava programada para ocorrer no desfecho de junho, representa transferência de cerca de R$ 22 milhões dos cofres para destinação à folha de pagamento. São aproximadamente 14 mil servidores das administrações diretas e indiretas de Santo André, entre ativos e inativos.

O tucano confirmou ontem a informação alegando que essa “é mais uma medida adotada para minimizar os impactos econômicos que a quarentena vai surtir na economia”. “Importante ressaltar que quanto mais eficiente for a necessária quarentena que estamos fazendo, (friso) que é necessária, mais rápido a nossa vida voltará ao normal. Mais rápido os empregos serão retomados, mais rápido a geração de renda vai voltando a seu ritmo. Enquanto isso, e a gente passa por esse período que pode durar 15, 20 dias, dependendo do que cada um faça, da nossa consciência, a gente vai buscando (meios), como fizemos com o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), ISS (Imposto Sobre Serviços), conta de água. (Além disso) Solicitamos, e o Estado também solicitou (isenção) à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).”

Paulo Serra pontuou que a antecipação do pagamento do 13º objetiva “injetar recurso na economia”, que tende a sofrer abalo diante do fechamento de comércios e paralisação parcial ou total de serviços neste período. “(Dessa forma) A parte da economia que ainda funciona, pelo menos, (pode) ter aquecimento com essa verba que a gente acaba injetando (no setor). Essa é a ideia, neste conceito, (embora) o principal ainda neste momento é a questão da ampliação do sistema de saúde para atender os casos do coronavírus”, reforçou.

O chefe do Executivo lembrou que o Paço tem tomado ações para aumentar a capacidade de leitos no município para atender toda a demanda neste momento delicado do País, cenário que não impede adotar saídas para enfrentar a instabilidade na economia. “Temos montado, por exemplo, hospital (de campanha) no (Estádio) Bruno (Daniel) e (ginásio Pedro) Dell''''Antonia. E devemos ter também na universidade federal (do ABC). Essa é a nossa prioridade, mas é claro que a questão econômica é importante, e não tem problema algum tratar de ambas ao mesmo tempo, sabendo que o momento agora é de cuidar das pessoas e da vida.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sto.André antecipa 13º para aliviar crise da Covid-19

Decisão do governo fará com que pagamento da primeira parcela seja quitado no dia 30

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

26/03/2020 | 00:01


O governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), decidiu concretizar proposta de antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores públicos municipais sob a tentativa de aliviar os efeitos da crise em torno do avanço do novo coronavírus na cidade. Com a medida do Paço, acertada logo após decreto oficial que ampliou os procedimentos preventivos de ‘quarentena’ junto ao funcionalismo, a quitação deve ser efetivada até terça-feira, ainda no fim de primeiro trimestre do ano.

A prestação inicial do benefício, que estava programada para ocorrer no desfecho de junho, representa transferência de cerca de R$ 22 milhões dos cofres para destinação à folha de pagamento. São aproximadamente 14 mil servidores das administrações diretas e indiretas de Santo André, entre ativos e inativos.

O tucano confirmou ontem a informação alegando que essa “é mais uma medida adotada para minimizar os impactos econômicos que a quarentena vai surtir na economia”. “Importante ressaltar que quanto mais eficiente for a necessária quarentena que estamos fazendo, (friso) que é necessária, mais rápido a nossa vida voltará ao normal. Mais rápido os empregos serão retomados, mais rápido a geração de renda vai voltando a seu ritmo. Enquanto isso, e a gente passa por esse período que pode durar 15, 20 dias, dependendo do que cada um faça, da nossa consciência, a gente vai buscando (meios), como fizemos com o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), ISS (Imposto Sobre Serviços), conta de água. (Além disso) Solicitamos, e o Estado também solicitou (isenção) à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).”

Paulo Serra pontuou que a antecipação do pagamento do 13º objetiva “injetar recurso na economia”, que tende a sofrer abalo diante do fechamento de comércios e paralisação parcial ou total de serviços neste período. “(Dessa forma) A parte da economia que ainda funciona, pelo menos, (pode) ter aquecimento com essa verba que a gente acaba injetando (no setor). Essa é a ideia, neste conceito, (embora) o principal ainda neste momento é a questão da ampliação do sistema de saúde para atender os casos do coronavírus”, reforçou.

O chefe do Executivo lembrou que o Paço tem tomado ações para aumentar a capacidade de leitos no município para atender toda a demanda neste momento delicado do País, cenário que não impede adotar saídas para enfrentar a instabilidade na economia. “Temos montado, por exemplo, hospital (de campanha) no (Estádio) Bruno (Daniel) e (ginásio Pedro) Dell''''Antonia. E devemos ter também na universidade federal (do ABC). Essa é a nossa prioridade, mas é claro que a questão econômica é importante, e não tem problema algum tratar de ambas ao mesmo tempo, sabendo que o momento agora é de cuidar das pessoas e da vida.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;