Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Movimento nas feiras caiu
50% na última semana

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Com orientação de isolamento, clientela deixou de ir às compras; sindicato é contra suspensão


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

25/03/2020 | 12:32


Após início da quarentena preventiva ao novo coronavírus, as prefeituras começaram a suspender temporariamente as feiras livres, como é o caso de Santo André (desde segunda-feira), São Bernardo (a partir de sábado) e Ribeirão Pires (a partir de sexta-feira). Entretanto, desde a última semana, quando orientação de isolamento já estava sendo dada, o movimento nas barracas caiu cerca de 50%, conforme o Sindicato dos Feirantes ABDMRP (Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires).

“É difícil estimar as perdas para o setor, interfere não só na renda familiar dos feirantes, mas também na perda de produtos que já estavam comprados”, explicou Odair Roberto Loureiro, presidente do sindicato. “É lógico que temos que pensar na vida das pessoas em primeiro lugar, os idosos não podem vir (à feira), porém, os filhos e netos podem, assim como está sendo feito nos supermercados. A feira é um meio importante de abastecimento e tem locais onde é essencial.”

Para Loureiro, solução seria  manter as feiras livres em rodízio, ou seja, montar apenas uma barraca de cada segmento por semana. “Se eu monto minha barraca (de banana, frutas, verduras ou carnes, por exemplo) na feira de determinado bairro hoje, meu concorrente monta na mesma feira na semana que vem, isso permitiria maior distanciamento entre as barracas e não sofreríamos tanto prejuízo até a situação normalizar”, afirmou. Como ainda não há certeza de quando o cenário mudará, o representante da categoria diz que não é possível estimar prejuízos financeiros e se haverá demissões.

A feirante Simone Lopes de Amorim, proprietária de banca de frutas em São Caetano, também observou que a procura caiu pela metade nos últimos dias e que, embora a orientação seja para que os idosos não saiam de casa, muitos ainda circulam entre as barracas. “Vemos muitos filhos e outros familiares vindo comprar para os mais velhos, mas alguns (idosos) insistem em vir (à feira) porque querem sair de casa”, assinalou.

Na cidade, não há decreto para suspensão das feiras, o que é um alívio para Simone. “Temos contas para pagar e não é só a renda da minha família que é afetada, mas também a dos três funcionários que mantemos”, detalhou. Na barraca, todos os colaboradores estão adotando precauções para evitar contaminação pelo novo coronavírus, tais como uso de luvas, máscara e álcool gel.

Proprietário de barraca de verduras em São Bernardo, onde as feiras estão permitidas até sexta-feira, Jânio Aureliano de Santana afirmou que não gostaria de parar de trabalhar, contudo, entende a necessidade da medida. “Ficamos com medo da doença. Percebemos que muitas pessoas não sabem da gravidade da Covid-19 e não tomam os cuidados necessários”, relatou.

Na semana passada, as vendas na banca de Aureliano aumentaram em 30%. “As pessoas começaram a ficar em casa e acabaram indo fazer feira, comprando um pouco a mais para guardar, até porque, nesta semana, a procura normalizou”, disse. Com ele, trabalham a esposa e quatro funcionários. “Ainda não deu tempo de planejarmos nada, ainda estou pagando pelo conserto de um caminhão que bati no início do ano. Poucos feirantes estão tranquilos (financeiramente) nesta situação, a maioria está na luta.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;