Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Transporte coletivo não pode parar


Do Diário do Grande ABC

23/03/2020 | 17:41


 A Fenaserhtt (Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirizado) e o Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra do Estado de São Paulo) estão definitivamente engajados nesse esforço nacional de proteção da população brasileira contra a grave ameaça do novo coronavírus. Estão tomando em seus próprios ambientes todas as medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde, órgãos estaduais e municipais para proteger as pessoas, pois entende que a preocupação maior neste momento é com a saúde.

No entanto, o Brasil não pode ficar paralisado totalmente, sob o risco de provocar consequências mais drásticas do que o próprio vírus. Nesse sentido, algumas medidas anunciadas por governos estaduais e municipais, além de totalmente inócuas, levarão a colapso no País. A principal delas é a possível paralisação do transporte coletivo, público e privado, que atenta contra a inteligência. A grande maioria do pessoal da área da saúde (prioritária neste momento) e todo o pessoal terceirizado, repositores de mercadorias em supermercados, porteiros, bombeiros civis, bem como o da limpeza e tantos serviços essenciais se utilizam dos transportes coletivos.

Num momento em que um dos vetores do combate à doença é a limpeza, imagine-se o caos urbano do lixo jogado nas ruas, da falta de pessoal nos prédios, nos hospitais, postos de saúde etc. De tão insensatas, medidas radicais como essa poderão levar a agravamento da situação, em vez de colaborar com os esforços de todos no sentido de combater a dispersão do vírus. Por isso, apelamos ao bom senso dos administradores públicos. Paralisar o transporte público é simplesmente absurdo.

O momento é muito delicado também para as empresas, que já começam a paralisar seus serviços em razão da redução da demanda. Apesar das medidas anunciadas pelo governo, a ameaça do desemprego persiste, e é assustadora. A habitual burocracia dos entes públicos precisa ser vencida para não alongar muito o anunciado apoio governamental para manter a economia em funcionamento. Por isso, é da maior importância que o Ministério da Economia e o Congresso sejam mais rápidos nas decisões sobre flexibilizações trabalhistas, como suspensão temporária do contrato de trabalho, férias coletivas, prorrogação de pagamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), Sistema S, além de acelerar os pedidos protocolados na Superintendência Regional do Trabalho no Estado de São Paulo.

Vander Morales é presidente do Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra do Estado de São Paulo) e da Fenaserhtt (Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirizado).

PALAVRA DO LEITOR
Moradores de rua
Pelo amor de Deus! O poder público precisa socorrer os moradores de rua. Orientem-nos. Coloquem eles em algum lugar seguro, como ginásios poliesportivos, escolas, teatros, templos religiosos, enfim, está tudo fechado mesmo. Mediquem-os, abasteçam-os com álcool gel e máscaras, socorram-nos. Eles são seres humanos como quaisquer outros. Aliviem a dor dessas pessoas. Já são muito sofridas. Vamos fazer algo pelo próximo.
Monique Montanaro
Diadema

Curandeiros
Edir Macedo, o dono da Igreja Universal e da TV Record, entre outras, desacreditou da gravidade da situação e disse para seus fiéis que não devem se preocupar com o novo coronavírus porque é apenas ‘tática de satanás, que trabalha com o medo e com o pavor. E quando as pessoas ficam apavoradas elas ficam fracas e débeis’. Logo depois ele apagou o vídeo com essa infeliz declaração. Sugiro que, como castigo, ele, pastor Valdomiro Santiago, Silas Malafaia e RR Soares sejam enviados pelo mundo para curar essa doença e só retornem ao Brasil quando ninguém mais no planeta estiver contaminado. Se não curarem, que paguem dízimo para cada pessoa doente. Chega de enganar o povo!
Gudrian Halász
São Bernardo

Faixa de pedreste<EM>
Comunico que já fiz várias solicitações junto à Ecovias e à Prefeitura de São Bernardo referentes à implantação de faixa de pedestres na Rua José, antes da saída para o Viaduto Luigi Camilo Amedeo Lazzuri, no bairro Estoril. Os moradores locais e os da Vila Tozzi, Jardim Borda do Campo e outros fazem a travessia no local, que não tem a faixa. É muito perigoso, por isso, solicito à Prefeitura e à concessionária Ecovias, que ficam jogando a responsabilidade uma para a outra e não resolvem nada. Agora, chegando próximo à eleição, não venham pedir voto se não fizerem nada no bairro.
Carlos Roberto dos Santos
São Bernardo

Péssimo!
Como assíduo leitor desta coluna, fico feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz por saber que as pessoas estão acordando, chegando à conclusão de que votaram errado, criticando Bolsonaro. E triste por ainda ler cartas com elogios. Os que ainda defendem não conseguem enxergar o que é tão óbvio e tão claro: não temos presidente! Temos uma pessoa que brinca de estar no poder. Tem um missivista (solitário), coitado, que chama os críticos de ‘viúvas (Picuinhas, dia 19). Ele não consegue defender nem apresentar resultados práticos de seu péssimo presidente e ataca o PT, já há tanto tempo fora do cenário. Não sou petista, mas, amigo, entenda que ninguém está defendendo partido nenhum e sim criticando presidente incapaz, improdutivo, perdido. Não torça para político, torça pelo Brasil. E para o bem do Brasil é preciso que a população acorde e Bolsonaro seja defenestrado. Simples assim.
Murilo Sontaro
São Bernardo

Proveitos do Natal
Parabenizo a sagacidade do ilustrador Fernandes com a charge em relação à CPI do Natal Iluminado em São Caetano (Opinião, dia 18). É deveras pertinente, porque o que está acontecendo é isso mesmo, o senhor Walter Estevam mais uma vez não comparece e brinca com o pessoal da comissão (Política). Ele faz o que bem quer, põe no bolso o vereador e presidente da CPI, Tite Campanella, que não tem forças nem poder para pôr fim a esse imbróglio. Se eventos estão sendo cancelados ou adiados por causa da pandemia do coronavírus, como esse senhor pode alegar que foi a outro compromisso? Evidente que está mentindo! Walter Estevam vai empurrando do jeito que melhor o convém até que caia no esquecimento, e isso é o que mais acontece nesses casos, com ninguém sendo punido muito menos devolvendo o dinheiro mal usado. Façam-no devolver o R$ 1,2 milhão, porque esse dinheiro será muito útil no combate ao coronavírus.
Adriano Scarabitto
São Caetano

Péssimo
O fato de criticar o atual presidente pelo péssimo estado que está nosso País não quer dizer que são apenas os petistas que falam mal dele (Picuinhas, dia 19). Eu, por exemplo, não sou petista nem partidário, porém, sou realista e consigo enxergar a ‘floresta e não apenas a árvore’, e observo que nosso Brasil está caminhando ladeira abaixo. Sem falar que as declarações totalmente desnecessárias que Bolsonaro profere o fazem se perder sozinho neste governo sem controle, onde um diz uma coisa e o outro muda tudo. E, para finalizar, nesta coluna mesmo, recentemente teve leitor afirmando que votou neste presidente e já se arrependeu (Impensado, dia 18). Sendo assim, antes tarde do que nunca!
Thiago Scarabelli Sangregorio
São Bernardo

Minha Mauá
Infelizmente, na maioria dos municípios do nosso País, nós, os munícipes, não elegemos ninguém. Na verdade, meia dúzia de empresários conduz o pleito. Funciona como se fosse uma licitação, onde as empresas são, na realidade, dos mesmos donos. Seria por isso que os vereadores da minha Mauá já querem protelar as eleições até 2022? Proferem falácias no púlpito da Câmara, mas estão todos de mãos dadas com o prefeito corrupto, que, por ‘milagre’, foi premiado pela Justiça para continuar este mandato vergonhoso que acontece na cidade. Mas graças a Deus que da justiça divina ninguém escapa. Vamos descansar em Deus e Ele mesmo pelejará por nós. Deus abençoe Mauá, cidade rica, no entanto, tão sofrida.
Rosângela Caris



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Transporte coletivo não pode parar

Do Diário do Grande ABC

23/03/2020 | 17:41


 A Fenaserhtt (Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirizado) e o Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra do Estado de São Paulo) estão definitivamente engajados nesse esforço nacional de proteção da população brasileira contra a grave ameaça do novo coronavírus. Estão tomando em seus próprios ambientes todas as medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde, órgãos estaduais e municipais para proteger as pessoas, pois entende que a preocupação maior neste momento é com a saúde.

No entanto, o Brasil não pode ficar paralisado totalmente, sob o risco de provocar consequências mais drásticas do que o próprio vírus. Nesse sentido, algumas medidas anunciadas por governos estaduais e municipais, além de totalmente inócuas, levarão a colapso no País. A principal delas é a possível paralisação do transporte coletivo, público e privado, que atenta contra a inteligência. A grande maioria do pessoal da área da saúde (prioritária neste momento) e todo o pessoal terceirizado, repositores de mercadorias em supermercados, porteiros, bombeiros civis, bem como o da limpeza e tantos serviços essenciais se utilizam dos transportes coletivos.

Num momento em que um dos vetores do combate à doença é a limpeza, imagine-se o caos urbano do lixo jogado nas ruas, da falta de pessoal nos prédios, nos hospitais, postos de saúde etc. De tão insensatas, medidas radicais como essa poderão levar a agravamento da situação, em vez de colaborar com os esforços de todos no sentido de combater a dispersão do vírus. Por isso, apelamos ao bom senso dos administradores públicos. Paralisar o transporte público é simplesmente absurdo.

O momento é muito delicado também para as empresas, que já começam a paralisar seus serviços em razão da redução da demanda. Apesar das medidas anunciadas pelo governo, a ameaça do desemprego persiste, e é assustadora. A habitual burocracia dos entes públicos precisa ser vencida para não alongar muito o anunciado apoio governamental para manter a economia em funcionamento. Por isso, é da maior importância que o Ministério da Economia e o Congresso sejam mais rápidos nas decisões sobre flexibilizações trabalhistas, como suspensão temporária do contrato de trabalho, férias coletivas, prorrogação de pagamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), Sistema S, além de acelerar os pedidos protocolados na Superintendência Regional do Trabalho no Estado de São Paulo.

Vander Morales é presidente do Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra do Estado de São Paulo) e da Fenaserhtt (Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirizado).

PALAVRA DO LEITOR
Moradores de rua
Pelo amor de Deus! O poder público precisa socorrer os moradores de rua. Orientem-nos. Coloquem eles em algum lugar seguro, como ginásios poliesportivos, escolas, teatros, templos religiosos, enfim, está tudo fechado mesmo. Mediquem-os, abasteçam-os com álcool gel e máscaras, socorram-nos. Eles são seres humanos como quaisquer outros. Aliviem a dor dessas pessoas. Já são muito sofridas. Vamos fazer algo pelo próximo.
Monique Montanaro
Diadema

Curandeiros
Edir Macedo, o dono da Igreja Universal e da TV Record, entre outras, desacreditou da gravidade da situação e disse para seus fiéis que não devem se preocupar com o novo coronavírus porque é apenas ‘tática de satanás, que trabalha com o medo e com o pavor. E quando as pessoas ficam apavoradas elas ficam fracas e débeis’. Logo depois ele apagou o vídeo com essa infeliz declaração. Sugiro que, como castigo, ele, pastor Valdomiro Santiago, Silas Malafaia e RR Soares sejam enviados pelo mundo para curar essa doença e só retornem ao Brasil quando ninguém mais no planeta estiver contaminado. Se não curarem, que paguem dízimo para cada pessoa doente. Chega de enganar o povo!
Gudrian Halász
São Bernardo

Faixa de pedreste<EM>
Comunico que já fiz várias solicitações junto à Ecovias e à Prefeitura de São Bernardo referentes à implantação de faixa de pedestres na Rua José, antes da saída para o Viaduto Luigi Camilo Amedeo Lazzuri, no bairro Estoril. Os moradores locais e os da Vila Tozzi, Jardim Borda do Campo e outros fazem a travessia no local, que não tem a faixa. É muito perigoso, por isso, solicito à Prefeitura e à concessionária Ecovias, que ficam jogando a responsabilidade uma para a outra e não resolvem nada. Agora, chegando próximo à eleição, não venham pedir voto se não fizerem nada no bairro.
Carlos Roberto dos Santos
São Bernardo

Péssimo!
Como assíduo leitor desta coluna, fico feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz por saber que as pessoas estão acordando, chegando à conclusão de que votaram errado, criticando Bolsonaro. E triste por ainda ler cartas com elogios. Os que ainda defendem não conseguem enxergar o que é tão óbvio e tão claro: não temos presidente! Temos uma pessoa que brinca de estar no poder. Tem um missivista (solitário), coitado, que chama os críticos de ‘viúvas (Picuinhas, dia 19). Ele não consegue defender nem apresentar resultados práticos de seu péssimo presidente e ataca o PT, já há tanto tempo fora do cenário. Não sou petista, mas, amigo, entenda que ninguém está defendendo partido nenhum e sim criticando presidente incapaz, improdutivo, perdido. Não torça para político, torça pelo Brasil. E para o bem do Brasil é preciso que a população acorde e Bolsonaro seja defenestrado. Simples assim.
Murilo Sontaro
São Bernardo

Proveitos do Natal
Parabenizo a sagacidade do ilustrador Fernandes com a charge em relação à CPI do Natal Iluminado em São Caetano (Opinião, dia 18). É deveras pertinente, porque o que está acontecendo é isso mesmo, o senhor Walter Estevam mais uma vez não comparece e brinca com o pessoal da comissão (Política). Ele faz o que bem quer, põe no bolso o vereador e presidente da CPI, Tite Campanella, que não tem forças nem poder para pôr fim a esse imbróglio. Se eventos estão sendo cancelados ou adiados por causa da pandemia do coronavírus, como esse senhor pode alegar que foi a outro compromisso? Evidente que está mentindo! Walter Estevam vai empurrando do jeito que melhor o convém até que caia no esquecimento, e isso é o que mais acontece nesses casos, com ninguém sendo punido muito menos devolvendo o dinheiro mal usado. Façam-no devolver o R$ 1,2 milhão, porque esse dinheiro será muito útil no combate ao coronavírus.
Adriano Scarabitto
São Caetano

Péssimo
O fato de criticar o atual presidente pelo péssimo estado que está nosso País não quer dizer que são apenas os petistas que falam mal dele (Picuinhas, dia 19). Eu, por exemplo, não sou petista nem partidário, porém, sou realista e consigo enxergar a ‘floresta e não apenas a árvore’, e observo que nosso Brasil está caminhando ladeira abaixo. Sem falar que as declarações totalmente desnecessárias que Bolsonaro profere o fazem se perder sozinho neste governo sem controle, onde um diz uma coisa e o outro muda tudo. E, para finalizar, nesta coluna mesmo, recentemente teve leitor afirmando que votou neste presidente e já se arrependeu (Impensado, dia 18). Sendo assim, antes tarde do que nunca!
Thiago Scarabelli Sangregorio
São Bernardo

Minha Mauá
Infelizmente, na maioria dos municípios do nosso País, nós, os munícipes, não elegemos ninguém. Na verdade, meia dúzia de empresários conduz o pleito. Funciona como se fosse uma licitação, onde as empresas são, na realidade, dos mesmos donos. Seria por isso que os vereadores da minha Mauá já querem protelar as eleições até 2022? Proferem falácias no púlpito da Câmara, mas estão todos de mãos dadas com o prefeito corrupto, que, por ‘milagre’, foi premiado pela Justiça para continuar este mandato vergonhoso que acontece na cidade. Mas graças a Deus que da justiça divina ninguém escapa. Vamos descansar em Deus e Ele mesmo pelejará por nós. Deus abençoe Mauá, cidade rica, no entanto, tão sofrida.
Rosângela Caris

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;