Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Políticos da região se dividem sobre adiamento das eleições

Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ainda de forma preliminar, Congresso inicia discussão sobre eventual mudança no pleito municipal


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

22/03/2020 | 07:00


 As incertezas provocadas em torno do período de proliferação do novo coronavírus no País – e o tamanho de suas consequências – têm fomentado no Congresso Nacional, ainda de forma preliminar, debate sobre eventual adiamento das eleições municipais de outubro. No Grande ABC, políticos ouvidos pelo Diário se dividiram quanto à possibilidade de dilação da data do pleito.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, considera que o ápice do contágio no Brasil está previsto para acontecer entre os meses de abril e junho, o que causou preocupação na casa de leis. Isso porque o período é bem próximo do prazo de realização das convenções partidárias. Entre os pontos em discussão estaria criar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para unificar a eleição de 2020 com a de 2022. Outra seria transferir a data para dezembro.

O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), avaliou que o momento não é propício para o debate sobre suspensão das eleições. Por outro lado, o tucano reconheceu que, dependendo do tamanho do impacto de transmissão do vírus, o bom andamento do processo eleitoral estaria prejudicado.

“Não é prioridade discutir isso (o possível adiamento das eleições). A prioridade é a questão da preservação das vidas e das medidas que nós, gestores, estamos tomando para proteger as pessoas deste vírus. No entanto, é preocupante, porque é um processo organizado no País e a crise sanitária pode prejudicar os prazos para o andamento do processo”, alegou Paulo Serra.

Os prefeitos de São Bernardo, Orlando Morando, e de São Caetano, José Auricchio Júnior, ambos do PSDB, corroboram com a tese que o atual momento no País não é o de debater o calendário eleitoral. “A prioridade agora são as ações de prevenção ao novo coronavírus e as medidas que ajudarão a cidade a minimizar tragédias”, sustentou Morando. Auricchio declarou que debater eleições nesta ocasião é “irresponsabilidade, oportunismo e um desrespeito ao cidadão brasileiro.”

Já para o deputado federal – com domicílio eleitoral em São Bernardo – Alex Manente (Cidadania), que admite já ter tratado, anteriormente, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), para apresentar projeto de lei unificando as eleições, o pleito deveria, de fato, passar para 2022. “Isso deixaria a eleição mais barata, uma vez que gastaríamos dinheiro apenas de quatro em quatro anos e também já poderíamos utilizar o fundo eleitoral de R$ 3 bilhões no combate ao novo coronavírus.”

Prefeito de São Bernardo em duas oportunidades, Luiz Marinho (PT) alegou que o debate ainda “é muito prematuro” e que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) terá autonomia para conduzir a questão. “Acredito que poderemos analisar melhor o contexto disso em maio. Caso ainda queiram (na ocasião) suspender as eleições para 2022 será um golpe na democracia”, afirmou.

Ex-vereador e pré-candidato à Prefeitura de Santo André, Ailton Lima (PSB) ponderou que não há motivo para pânico e, colocando-se contrário à ideia, disse que quem antecipar essa discussão “está agindo de forma cruel e cretina.”



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;