Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grande ABC chega a 22 casos confirmados e suspeita de morte

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vítima fatal de São Caetano aguarda comprovação do teste para Covid-19; cidades buscam alternativas para evitar aglomerações


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

21/03/2020 | 00:01


 O Grande ABC alcançou ontem 22 casos confirmados da Covid-19, dois a mais do que o informado pelas Prefeituras das sete cidades na quinta-feira. São dez em São Caetano, seis em Santo André, cinco em São Bernardo e um em Mauá. Por outro lado, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra ainda não contabilizam pacientes infectados. Todos os municípios, entretanto, registram suspeitos: 802 no total, aumento de 205 com relação ao boletim anterior – até o fechamento desta edição.

São Caetano investiga uma morte ocorrida ontem, em hospital do município. A única informação é que se trata de mulher, 75 anos. O primeiro teste deu negativo, mas seria realizada contraprova. Comunicado divulgado no início da noite por escola bilingue da cidade revelou a morte do pai de um aluno do maternal. De acordo com dados fornecidos pela Prefeitura, entretanto, a família mora em São Paulo. A vítima seria portadora de hipertensão e diabetes. Ele morreu na quarta-feira e o resultado positivo para o novo coronavírus saiu ontem.

MEDIDAS
A partir de hoje, todos os equipamentos esportivos, bibliotecas e parques vão fechar em Santo André e São Bernardo, esta que terá também os fechamentos da Cidade das Crianças e da Praça Lauro Gomes. Outro local são-bernardense que terá acesso impedido – com rondas ostensivas durante tempo indeterminado –, é a Prainha do Riacho Grande. “Estamos vivendo um momento sem comparação em todo o mundo. Temos de tomar atitudes difíceis em todas as áreas com o intuito de proteger vidas. Precisamos evitar a aglomeração de pessoas e a dissipação do novo coronavírus”, declarou o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

“O momento é difícil para todo mundo. Não tem manual ou fórmula certa a seguir. O que tem da nossa parte é empenho, dedicação, transparência total e diálogo, mas só pela internet”, frisou o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), que anunciou início da campanha de vacinação contra a gripe será realizada nas escolas municipais andreenses a partir de segunda-feira. Na primeira fase da campanha, a imunização terá como público-alvo idosos e profissionais de saúde.

“Temos de trabalhar firmemente a questão da transmissibilidade do vírus, que está ligado ao deslocamento das pessoas. Por mais difícil que seja de compreender, ainda temos muita gente circulando nas ruas, muita gente que não está acreditando na situação epidemiológica que estamos vivendo no Brasil, trazendo não só desdém a uma grave situação, como colocando em risco a vida de terceiros”, opinou o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB).

A partir de segunda-feira o transporte público terá diminuição gradativa até a paralisação por completo, no dia 29. A Prefeitura de São Bernardo disponibilizará opção de deslocamento exclusiva aos funcionários de laboratórios, lares para idosos e entidades assistenciais.

Brasil alcança 11 mortos, sendo 9 deles em São Paulo

A Secretaria de Saúde de São Paulo divulgou ontem quatro novas mortes pelo novo coronavírus no Estado, chegando a 11 os óbitos pelo Brasil. Outras cinco vítimas também morreram em solo paulista e duas no Rio de Janeiro. No País, os casos confirmados de Covid-19 aumentaram 45% entre anteontem e ontem. O mais recente balanço do Ministério da Saúde aponta que o Brasil tem 904 casos, 345 deles em São Paulo – o Estado ainda tem 9.023 suspeitos.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, os números seguirão subindo durante os próximos meses. “A gente deve entrar em abril e iniciar a subida rápida (de infecções). Essa subida vai durar o mês de abril, o mês de maio e o mês de junho, quando ela vai começar a ter uma tendência de desaceleração de subida”, afirmou, ontem. “O mês de julho, deve começar um platô. Em agosto, esse platô vai começar a mostrar tendência de queda. Em setembro é uma queda profunda, tal qual foi uma queda de março na China. Esse é o cenário que o mundo ocidental está trabalhando”, completou.

Portaria publicada em edição extra do Diário Oficial da União de ontem determinou estado de transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o Brasil. Tal ação unifica as ações em todos os Estados brasileiros e torna mais restritivas as medidas de contenção do novo coronavírus, entre elas a limitação da circulação de pessoas acima de 60 anos. A medida garante ainda para famílias de pessoas com sintomas de gripe – independentemente da idade – a possibilidade de atestado médico.

DIVERGÊNCIAS
Como nos últimos dias, os números de casos divulgados pelo Estado e pelo governo federal divergiram. Segundo a médica Nicolle Queiroz, cardiologista integrante do corpo clínico do Hospital Albert Einstein e do Hospital São Luiz, existe explicação para a situação. “A diferença de dados se deve à demora no recebimento do resultado dos testes, que varia de algumas horas a até vários dias, dependendo do laboratório. Assim que os hospitais recebem o positivo, a informação é lançado em um sistema do governo estadual e só depois repassado para o Ministério da Saúde. Nesse momento, o esforço das equipes médicas é atender aos pacientes. Independente da atualização dos números, a evolução dos casos está dentro do esperado pela comunidade médica”, esclareceu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC chega a 22 casos confirmados e suspeita de morte

Vítima fatal de São Caetano aguarda comprovação do teste para Covid-19; cidades buscam alternativas para evitar aglomerações

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

21/03/2020 | 00:01


 O Grande ABC alcançou ontem 22 casos confirmados da Covid-19, dois a mais do que o informado pelas Prefeituras das sete cidades na quinta-feira. São dez em São Caetano, seis em Santo André, cinco em São Bernardo e um em Mauá. Por outro lado, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra ainda não contabilizam pacientes infectados. Todos os municípios, entretanto, registram suspeitos: 802 no total, aumento de 205 com relação ao boletim anterior – até o fechamento desta edição.

São Caetano investiga uma morte ocorrida ontem, em hospital do município. A única informação é que se trata de mulher, 75 anos. O primeiro teste deu negativo, mas seria realizada contraprova. Comunicado divulgado no início da noite por escola bilingue da cidade revelou a morte do pai de um aluno do maternal. De acordo com dados fornecidos pela Prefeitura, entretanto, a família mora em São Paulo. A vítima seria portadora de hipertensão e diabetes. Ele morreu na quarta-feira e o resultado positivo para o novo coronavírus saiu ontem.

MEDIDAS
A partir de hoje, todos os equipamentos esportivos, bibliotecas e parques vão fechar em Santo André e São Bernardo, esta que terá também os fechamentos da Cidade das Crianças e da Praça Lauro Gomes. Outro local são-bernardense que terá acesso impedido – com rondas ostensivas durante tempo indeterminado –, é a Prainha do Riacho Grande. “Estamos vivendo um momento sem comparação em todo o mundo. Temos de tomar atitudes difíceis em todas as áreas com o intuito de proteger vidas. Precisamos evitar a aglomeração de pessoas e a dissipação do novo coronavírus”, declarou o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

“O momento é difícil para todo mundo. Não tem manual ou fórmula certa a seguir. O que tem da nossa parte é empenho, dedicação, transparência total e diálogo, mas só pela internet”, frisou o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), que anunciou início da campanha de vacinação contra a gripe será realizada nas escolas municipais andreenses a partir de segunda-feira. Na primeira fase da campanha, a imunização terá como público-alvo idosos e profissionais de saúde.

“Temos de trabalhar firmemente a questão da transmissibilidade do vírus, que está ligado ao deslocamento das pessoas. Por mais difícil que seja de compreender, ainda temos muita gente circulando nas ruas, muita gente que não está acreditando na situação epidemiológica que estamos vivendo no Brasil, trazendo não só desdém a uma grave situação, como colocando em risco a vida de terceiros”, opinou o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB).

A partir de segunda-feira o transporte público terá diminuição gradativa até a paralisação por completo, no dia 29. A Prefeitura de São Bernardo disponibilizará opção de deslocamento exclusiva aos funcionários de laboratórios, lares para idosos e entidades assistenciais.

Brasil alcança 11 mortos, sendo 9 deles em São Paulo

A Secretaria de Saúde de São Paulo divulgou ontem quatro novas mortes pelo novo coronavírus no Estado, chegando a 11 os óbitos pelo Brasil. Outras cinco vítimas também morreram em solo paulista e duas no Rio de Janeiro. No País, os casos confirmados de Covid-19 aumentaram 45% entre anteontem e ontem. O mais recente balanço do Ministério da Saúde aponta que o Brasil tem 904 casos, 345 deles em São Paulo – o Estado ainda tem 9.023 suspeitos.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, os números seguirão subindo durante os próximos meses. “A gente deve entrar em abril e iniciar a subida rápida (de infecções). Essa subida vai durar o mês de abril, o mês de maio e o mês de junho, quando ela vai começar a ter uma tendência de desaceleração de subida”, afirmou, ontem. “O mês de julho, deve começar um platô. Em agosto, esse platô vai começar a mostrar tendência de queda. Em setembro é uma queda profunda, tal qual foi uma queda de março na China. Esse é o cenário que o mundo ocidental está trabalhando”, completou.

Portaria publicada em edição extra do Diário Oficial da União de ontem determinou estado de transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o Brasil. Tal ação unifica as ações em todos os Estados brasileiros e torna mais restritivas as medidas de contenção do novo coronavírus, entre elas a limitação da circulação de pessoas acima de 60 anos. A medida garante ainda para famílias de pessoas com sintomas de gripe – independentemente da idade – a possibilidade de atestado médico.

DIVERGÊNCIAS
Como nos últimos dias, os números de casos divulgados pelo Estado e pelo governo federal divergiram. Segundo a médica Nicolle Queiroz, cardiologista integrante do corpo clínico do Hospital Albert Einstein e do Hospital São Luiz, existe explicação para a situação. “A diferença de dados se deve à demora no recebimento do resultado dos testes, que varia de algumas horas a até vários dias, dependendo do laboratório. Assim que os hospitais recebem o positivo, a informação é lançado em um sistema do governo estadual e só depois repassado para o Ministério da Saúde. Nesse momento, o esforço das equipes médicas é atender aos pacientes. Independente da atualização dos números, a evolução dos casos está dentro do esperado pela comunidade médica”, esclareceu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;