Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Estoque de bancos de sangue preocupa em época de coronavírus

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

No Grande ABC, doações caíram quase à metade nesta semana; protocolo para coleta mudou em razão do avanço da Covid-19


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

19/03/2020 | 00:01


A situação do estoque dos bancos de sangue preocupa profissionais da saúde. Para se ter ideia, na região, a média de coleta diária do Hospital Mário Covas, em Santo André, e do Hemocentro de São Bernardo é de 80 bolsas. Na terça-feira, os postos receberam 39 e 49 doações, respectivamente, segundo a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), responsável por quatro pontos de coleta no Grande ABC (dois em Santo André, um em São Bernardo e um em São Caetano).

“(A doação) Diminuiu desde a semana passada, mas piorou nesta semana”, observou Solange Rios, gerente administrativa da regional do Grande ABC da Colsan. “Apesar de cancelarem as cirurgias eletivas a partir de segunda-feira, ainda temos pacientes internados e em tratamento, que seguem precisando de transfusão, como os pacientes com leucemia”, explicou.

Na avaliação de Solange, o reflexo começará a ser sentido na próxima semana e, dificilmente, o objetivo de coletar 6.000 bolsas no mês será atingido. “A Covid-19 não é transmitida por transfusão e os próprios doadores estão com medo, mas estamos nos prevenindo com máscaras desde o cadastro até a triagem e coleta.”

Durante coletiva realizada na terça-feira, David Uip, coordenador do comitê estadual para crise do novo coronavírus do Estado e reitor da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC), pediu ajuda à população. “O banco com melhor condição tem sangue para uma semana, isso é extremamente grave para o que vamos enfrentar”, afirmou.

Podem doar pessoas em boas condições de saúde entre 16 e 69 anos e que pesem mais de 50 quilos. É necessário comparecer ao ponto de coleta munido de documento de identidade original com foto. A recomendação é evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação. 

Contudo, devido ao novo coronavírus, o Ministério da Saúde incluiu critérios de triagem. O primeiro é que o doador proveniente de regiões com transmissão local fica inapto para doar por 30 dias após o retorno destas áreas. Mesmo período deve ser aguardado pelos candidatos que tiveram contato com pacientes suspeitos ou diagnosticados com a Covid-19. Já quem testou positivo para a doença deve aguardar 90 dias após recuperação clínica completa. Para aqueles que tiveram contato próximo com pessoas que vieram de locais com casos autóctones, a doação é liberada após 14 dias do contato.

Solange informou que, a partir de segunda-feira, as coletas no Centro Hospitalar Santo André estão suspensas, visando evitar o contato de doadores com demais doentes. Opção na cidade é o Hospital Mário Covas, cuja entrada para doação de sangue não é a mesma do pronto-socorro. Para consultar todos os postos, acesse http://www.colsan.org.br/site/doador/locais-para-doacao-de-sangue.html.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;