Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Escolas públicas já recebem poucos alunos

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em Santo André, pais têm sido orientados a deixar filhos em casa


Aline Melo

16/03/2020 | 13:34


No primeiro dia letivo após o anúncio do governo do Estado e de algumas prefeituras da região - Santo André, São Caetano e Ribeirão Pires - sobre a suspensão gradual das aulas, já é pequeno o número de alunos nas escolas públicas do Grande ABC. São Bernardo começa a suspender a rotina escolar à partir do dia 20 de março. Diadema, Mauá e Rio Grande da Serra ainda não anunciaram mudanças.

Na EE Agnaldo Sebastião Vieira, na Vila Guimar, nenhum aluno permaneceu na unidade escolar no período da manhã. A escola conta com turmas do ensino médio no período da manhã e os adolescentes foram orientados a retonar para suas casas. No mesmo bairro, na EMEIEF (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Odylo Costa Filho, apenas seis alunos assistiram aulas no período da manhã. De acordo com funcionários, cerca de 20 pais estiveram na unidade e maioria optou por levar os filhos para casa.

Por volta de 13 horas, quando entra a turma da tarde, os pais foram novamente orientados pela equipe escolar e a maioria não deixou os alunos. A dona de casa Diana Flor da Silva, 34 anos, afirmou que não sabia da suspensão gradual das aulas, mas decidiu ficar com os filhos, Leandro, 6 e Vítor, 11. Elaine Sueli Monteiro, 37, dona de casa, também estava voltando para a residência com os filhos Rafael e Rafaela, 9, e João, 11. "Já sabia que a prefeitura anunciou a suspensão, vim mais para me informar", explicou. A munícipe elogiou a medida da administração municipal. "Acho necessário não expor as crianças. A gente gosta de parques, mas esses dias, vai ser televisão e videogame", completou.

A segurança Patricia Guedes, 39, estava levando para casa o filho Jhon, 9. A moradora discordou da medida e avaliou como exagero. "Não acho que seja para tudo isso. Não vou deixar ele porque tem poucos alunos, se mais pais tivessem deixado ele também ia assistir aula", completou. A dona de casa Valdilene Alves de Oliveira, 36, aguarda no ponto o ônibus para levar os filhos Ana Carolyne, 7 e Alexsander, 4, para a EMEIEF Prof. Antonio Virgílio Zaniboni, no Jardim do Estádio. A filha de 14, Taíssa, havia acabado de sair da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). "Hoje foi o último dia dela e também vai ser o último dia deles. Vou levar e já avisar que eles não vão mais, até a prefeitura avisar que retomaram as aulas. A gente tem que se cuidar", concluiu.

Até o momento, a orientação da Secretaria de Estado da Educação e das Prefeituras de Santo André, São Caetano e Ribeirão Pires é a de que a participação nas aulas seja facultativa até o final da semana e suspensas à partir do dia 23 de março até pelo menos o dia 31. Em São Bernardo, o período de adaptação começa no dia 17.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Escolas públicas já recebem poucos alunos

Em Santo André, pais têm sido orientados a deixar filhos em casa

Aline Melo

16/03/2020 | 13:34


No primeiro dia letivo após o anúncio do governo do Estado e de algumas prefeituras da região - Santo André, São Caetano e Ribeirão Pires - sobre a suspensão gradual das aulas, já é pequeno o número de alunos nas escolas públicas do Grande ABC. São Bernardo começa a suspender a rotina escolar à partir do dia 20 de março. Diadema, Mauá e Rio Grande da Serra ainda não anunciaram mudanças.

Na EE Agnaldo Sebastião Vieira, na Vila Guimar, nenhum aluno permaneceu na unidade escolar no período da manhã. A escola conta com turmas do ensino médio no período da manhã e os adolescentes foram orientados a retonar para suas casas. No mesmo bairro, na EMEIEF (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Odylo Costa Filho, apenas seis alunos assistiram aulas no período da manhã. De acordo com funcionários, cerca de 20 pais estiveram na unidade e maioria optou por levar os filhos para casa.

Por volta de 13 horas, quando entra a turma da tarde, os pais foram novamente orientados pela equipe escolar e a maioria não deixou os alunos. A dona de casa Diana Flor da Silva, 34 anos, afirmou que não sabia da suspensão gradual das aulas, mas decidiu ficar com os filhos, Leandro, 6 e Vítor, 11. Elaine Sueli Monteiro, 37, dona de casa, também estava voltando para a residência com os filhos Rafael e Rafaela, 9, e João, 11. "Já sabia que a prefeitura anunciou a suspensão, vim mais para me informar", explicou. A munícipe elogiou a medida da administração municipal. "Acho necessário não expor as crianças. A gente gosta de parques, mas esses dias, vai ser televisão e videogame", completou.

A segurança Patricia Guedes, 39, estava levando para casa o filho Jhon, 9. A moradora discordou da medida e avaliou como exagero. "Não acho que seja para tudo isso. Não vou deixar ele porque tem poucos alunos, se mais pais tivessem deixado ele também ia assistir aula", completou. A dona de casa Valdilene Alves de Oliveira, 36, aguarda no ponto o ônibus para levar os filhos Ana Carolyne, 7 e Alexsander, 4, para a EMEIEF Prof. Antonio Virgílio Zaniboni, no Jardim do Estádio. A filha de 14, Taíssa, havia acabado de sair da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). "Hoje foi o último dia dela e também vai ser o último dia deles. Vou levar e já avisar que eles não vão mais, até a prefeitura avisar que retomaram as aulas. A gente tem que se cuidar", concluiu.

Até o momento, a orientação da Secretaria de Estado da Educação e das Prefeituras de Santo André, São Caetano e Ribeirão Pires é a de que a participação nas aulas seja facultativa até o final da semana e suspensas à partir do dia 23 de março até pelo menos o dia 31. Em São Bernardo, o período de adaptação começa no dia 17.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;