Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Casos de coronavírus se espalham e doença bate à porta do Grande ABC

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

UFABC tem suspeita e familiar de servidor de São Bernardo testou positivo, mas nenhum deles mora na região


Aline Melo
Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

13/03/2020 | 00:01


O Grande ABC investiga 20 casos de contaminação do novo coronavírus (Covid-19) e havia descartado 29 suspeitos até o fechamento desta edição. Conforme balanço divulgado ontem pelo Ministério da Saúde, o País tem 1.422 pacientes investigados e 77 com diagnóstico positivo, sendo a maioria no Estado de São Paulo (42). À noite, o Hospital Albert Einstein revelou que outros 60 casos foram confirmados e os dados ainda não foram repassados à pasta.

A Prefeitura de São Bernardo confirmou que a mulher do secretario de Meio Ambiente e Proteção Animal, que não teve o nome revelado, foi diagnosticada com a infecção. Ela é moradora da Capital, portanto, o caso não foi notificado no município. O servidor foi afastado e os demais funcionários do setor foram orientados pela Vigilância Epidemiológica e estão sendo monitorados.

A UFABC (Universidade Federal do ABC) divulgou que há um caso suspeito de contaminação do coronavírus. Trata-se de um aluno do campus São Bernardo, mas que não reside na região. Ele aguarda a confirmação dos exames em isolamento domiciliar, conforme recomendação da vigilância epidemiológica. A universidade foi notificada na noite de quarta-feira, mesmo dia em que a OMS (Organização Mundial da Saúde) elevou a doença ao estágio de pandemia.

A instituição manteve as aulas e criou comitê técnico de informações estratégicas e respostas rápidas à emergência em vigilância e saúde. Além de manter orientações de prevenção de higiene, a universidade publicou recomendações, tais como evitar uso do ar-condicionado, mantendo janelas abertas; quarentena voluntária de 14 dias em casos de servidores e estudantes que tenham retornado de viagem internacional recentemente e o cancelamento de atividades extracurriculares.

ESCOLAS
Seis das sete prefeituras – apenas Mauá não respondeu – informaram que não cogitam suspender aulas ou adiantar as férias na rede de ensino municipal em razão do Covid-19. “Cada caso é um caso, mas não há motivo para suspender as aulas se não há casos confirmados entre os alunos ou familiares”, explicou Adriana de Brito, gestora do curso de biomedicina da USCS (Universidade Municipal de São Caetano).

A Secretaria da Educação do Estado, a Undime-SP (União Municipal dos Dirigentes de Educação), a Secretatia Municipal da Educação (Capital) e o CEE-SP (Conselho Estadual de Educação) reforçaram a orientação de que todas as escolas públicas sigam as recomendações dos órgãos oficiais de saúde para prevenção da transmissão do coronavírus. A nota destacou que eventual suspensão de aulas será orientada pela Pasta.

GOVERNO DO ESTADO
O governo do Estado promoveu, ontem, entrevista coletiva para atualizar ações de enfrentamento. A recomendação para as pessoas com mais de 50 anos, diabéticos, hipertensos ou portadores de doenças autoimune, é que evitem qualquer tipo de aglomeração. Em casos necessários, como uso de transporte público, que tomem medidas como cobrir a boca com lenços descartáveis para espirrar e tossir, além de lavar as mãos antes e ao fim da viagem.

Coordenador do centro de contingência do vírus em São Paulo, o infectologista e reitor da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC), David Uip, reforçou que o Estado está preparado para enfrentar o possível aumento nos casos positivos e que aguarda autorização e compromisso de custeio do Ministério da Saúde para a criação de 1.000 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), que poderão ser transformados em leitos de isolamento, se necessário.

O governador João Doria (PSDB) frisou que não há orientação para desmarcar eventos públicos. O Estado está adquirindo 20 mil kits diagnósticos para utilização em pacientes em estado grave. Também foi anunciado que a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo) vai liberar de maneira mais ágil recursos para pesquisas sobre o vírus. 

Shoppings se ajustam pela prevenção

Seguindo orientações da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), os shoppings da região estão ajustando procedimentos visando prevenir a contaminação do coronavírus. Entre as recomendações estão aumentar a frequência de higienização e limpeza de superfícies compartilhadas, como torneiras e corrimãos, e a disponibilização de álcool gel para funcionários e clientes.

Em São Bernardo, o Shopping Metrópole, o Golden Square e o São Bernardo Plaza, e em Mauá, o Mauá Plaza, afirmam que realizam conscientização de lojistas e clientes por meio de cartazes e folhetos distribuídos pelos estabelecimentos. Eles também instalaram mais pontos de álcool gel próximo às praças de alimentação e aos banheiros, assim como intensificaram a limpeza de áreas comuns.
O Grand Plaza, em Santo André, assinala que monitora de forma permanente os desdobramentos em relação ao avanço do Covid-19 e se mantém atento às recomendações das autoridades de Saúde. Na mesma cidade, o Atrium e o Shopping ABC e o Praça da Moça, em Diadema, informam apenas que seguem as diretrizes da Abrasce.

RESTAURANTES
Segundo o Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), não há necessidade de fechar bares, restaurantes e outros estabelecimentos como está sendo feito na Itália, por exemplo. As orientações de prevenção são as mesmas de higiene e limpeza. “Ainda é preciso ter um controle mais próximo da equipe de trabalho, caso alguém manifeste qualquer sintoma. Estamos atentos para a necessidade de formalizar outras orientações”, explica Beto Moreira, presidente da entidade.

“O que impacta diretamente é o cuidado da população em observar os sintomas e utilizar os métodos de prevenção, como higienização das mãos e utilização de lenços descartáveis ao tossir ou espirrar”, assinala Adriana de Brito, gestora do curso de biomedicina da USCS (Universidade Municipal de São Caetano).
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;