Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Amanhã é o Dia Mundial do Sono


Do Diário do Grande ABC

11/03/2020 | 23:59


Qualidade de vida pode ser melhorada com sono saudável. Por outro lado, quando o sono falha, a saúde diminui. Essa é a conclusão da Sociedade Mundial do Sono, que afirma que ‘sono profundo é função primordial para bem-estar físico e mental do ser humano’. Por conta disso, é celebrado, em 13 de março, o Dia Mundial do Sono. Data visa destacar a importância do repouso adequado como pilar da saúde, garantindo, assim, melhor compreensão cognitiva em relação à tomada de decisões e resolução de problemas. Campanha está na 13ª edição e, neste ano, traz como slogan Melhor Sono, Melhor Vida, Melhor Planeta. Afinal, sono de melhor qualidade reduz risco de acidentes de trabalho e de trânsito, promove secreção de melatonina e protege o relógio circadiano natural, que pode impedir envelhecimento prematuro. Portanto, se desejamos contribuir para sobrevivência do planeta, iniciativa importante é prolongar nosso tempo de sono.

Estender período de sono também melhora performances mentais e corporais durante o dia. Na última década houve grandes avanços na compreensão dos mecanismos neurais, vinculando a importante relação entre sono e saúde cognitiva. Evidências crescentes indicam que o sono é processo ativo, no qual memórias codificadas recentemente são consolidadas e transferidas para armazenamento a longo prazo. Falta de sono reparador pode ter diferentes causas, como apneia obstrutiva do sono, insônia, distúrbios do movimento (síndrome das pernas inquietas e bruxismo), entre outras.

Dentre todas, a mais frequente é apneia. Estima-se que, somente na cidade de São Paulo, cerca de 40% da população adulta apresente o problema. Síndrome da apneia obstrutiva do sono tem como principais sintomas ronco e sonolência excessiva diurna. Boa notícia é que há tratamento, basta que o indivíduo procure por profissional especializado que, por meio da realização de exame de polissonografia, conseguirá avaliar a situação e dar solução que melhore a qualidade de vida da pessoa.

De acordo com a Associação Mundial de Medicina do Sono, são três os elementos de boa qualidade do sono: duração, que deve ser suficiente para a pessoa estar descansada e alerta no dia seguinte; continuidade, período de sono não deve conter interrupções; e profundidade: o sono deve ser profundo para se tornar restaurador. Vale ressaltar que o sono pode restaurar a função cerebral em muitos aspectos, como aprendizado, memória e humor. Já distúrbios do sono podem causar comprometimento do suprimento de oxigênio da pessoa, perturbar seu sistema imunológico ou danificar sua estrutura cerebral.

Bruno Duarte é coordenador do departamento de medicina do sono da Aborl-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial).

PALAVRA DO LEITOR

Ataques
Leio todos os dias esta Palavra do Leitor deste conceituado Diário. Os mesmos de sempre atacando presidente que está trabalhando para pôr nosso País nos trilhos. O Brasil depende do Congresso, do Senado e agora até do STF (Supremo Tribunal Federal) e os senhores e senhoras miram apenas no presidente. Gostaria de ver esses leitores postando que o presidente roubou, fez conchavos com Rodrigo Maia ou Davi Alcolumbre. Parem de espernear e vamos ajudar para termos País melhor para nossos filhos e netos.
Ailton Lima
São Bernardo

Fantasia?
Infelizmente temos presidente que não leva a sério o Brasil. Sente-se super-homem! Deus, que se acha imune a críticas, e não leva em consideração que o prejuízo para o País é de toda ordem, como cravado está no medíocre PIB (Produto Interno Bruto) de 1,1% em 2019. E nesta onda do coronavírus, que tem levado pânico pelo mundo, Bolsonaro, de forma irresponsável, disse que a disseminação da doença está superdimensionada: ‘Não é tudo isso que a imprensa (que odeia) propaga’ (Política, ontem). Misericórdia! O que dirá então o presidente agora, que a OMS (Organização Mundial da Saúde) acaba de declarar estado de pandemia (enfermidade epidêmica amplamente disseminada) pelo coronavírus?
Paulo Panossian
São Carlos (SP)

Desvalorização
Ao Movimento Todos pela Educação: depois de tantos anos dedicados a debater políticas educacionais, quais foram as mudanças efetivas que esse grupo trouxe à educação? Sinceramente, conhecendo de perto a sala de aula não se vê melhora alguma. Nossos alunos terminam o fundamental II sem saber ler e escrever. Pioraram a disciplina e o respeito aos professores. Poucos são aqueles que querem enfrentar sala de aula, pois a desvalorização à classe é cada vez mais notória. Sugiro a esse movimento que procure assistir às aulas em diversas escolas, preferencialmente públicas e à noite, e veja o nível em que se encontram. Se já foi, qual o diagnóstico? E se for o de sempre, alunos violentos, ‘vítimas da sociedade’, a falta de professores e consequentemente sem aulas, escolas destruídas, ou seja, onde deveria ter tudo, tudo falta, qual a saída? Há mais de 50 anos espero o discurso virar prática. Não é um ministro que muda a educação, mas todo o País, quando entender que sem educação não sairemos do quinto mundo. E, se um dia sairmos, poderemos dizer: a educação mudou o Brasil.
Izabel Avallone
Capital

Sabesp
Não dá para entender o tamanho físico do papel gasto nas contas de água que a Sabesp disponibiliza em Santo André de casa em casa para demonstrar o consumo em si. São nada mais, nada menos, que 81 centímetros de comprimento de papel. Isso mesmo, quase um metro de papel por conta. Isso é exagero. Não sei se isso acontece em todas as cidades em que a empresa fornece água, mas imagina quanto desperdício de papel está ocorrendo sem necessidade. No meu entender, com este tamanho todo, dá para fazer o demonstrativo de pelo menos três contas de água. Haja árvores para sustentar a Sabesp, hein!
Mauri Fontes
Santo André

Estamos juntas!
Diante da reportagem neste Diário que se refere à pré-candidatura da deputada Vanessa Damo a prefeita da nossa Mauá (Política, dia 9), fiquei feliz e bastante animada, pois sempre acompanhei sua trajetória e a admirei e apoiei em todas suas campanhas. Achei muito injusta a penalidade de inelegibilidade que sofreu por erro de coordenação de sua última campanha. E quero, inclusive, deixar aqui o repúdio a alguns setores da nossa Justiça brasileira, que infelizmente é tão dura em alguns casos em detrimento a outros. Como mulher, conclamo a todas moradoras da cidade para estarmos juntas nesse projeto de nova e próspera Mauá. Precisamos ter por perto outras que nos ajudem a cumprir nosso objetivo. Deus abençoe esse projeto.
Rosângela Caris
Mauá 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Amanhã é o Dia Mundial do Sono

Do Diário do Grande ABC

11/03/2020 | 23:59


Qualidade de vida pode ser melhorada com sono saudável. Por outro lado, quando o sono falha, a saúde diminui. Essa é a conclusão da Sociedade Mundial do Sono, que afirma que ‘sono profundo é função primordial para bem-estar físico e mental do ser humano’. Por conta disso, é celebrado, em 13 de março, o Dia Mundial do Sono. Data visa destacar a importância do repouso adequado como pilar da saúde, garantindo, assim, melhor compreensão cognitiva em relação à tomada de decisões e resolução de problemas. Campanha está na 13ª edição e, neste ano, traz como slogan Melhor Sono, Melhor Vida, Melhor Planeta. Afinal, sono de melhor qualidade reduz risco de acidentes de trabalho e de trânsito, promove secreção de melatonina e protege o relógio circadiano natural, que pode impedir envelhecimento prematuro. Portanto, se desejamos contribuir para sobrevivência do planeta, iniciativa importante é prolongar nosso tempo de sono.

Estender período de sono também melhora performances mentais e corporais durante o dia. Na última década houve grandes avanços na compreensão dos mecanismos neurais, vinculando a importante relação entre sono e saúde cognitiva. Evidências crescentes indicam que o sono é processo ativo, no qual memórias codificadas recentemente são consolidadas e transferidas para armazenamento a longo prazo. Falta de sono reparador pode ter diferentes causas, como apneia obstrutiva do sono, insônia, distúrbios do movimento (síndrome das pernas inquietas e bruxismo), entre outras.

Dentre todas, a mais frequente é apneia. Estima-se que, somente na cidade de São Paulo, cerca de 40% da população adulta apresente o problema. Síndrome da apneia obstrutiva do sono tem como principais sintomas ronco e sonolência excessiva diurna. Boa notícia é que há tratamento, basta que o indivíduo procure por profissional especializado que, por meio da realização de exame de polissonografia, conseguirá avaliar a situação e dar solução que melhore a qualidade de vida da pessoa.

De acordo com a Associação Mundial de Medicina do Sono, são três os elementos de boa qualidade do sono: duração, que deve ser suficiente para a pessoa estar descansada e alerta no dia seguinte; continuidade, período de sono não deve conter interrupções; e profundidade: o sono deve ser profundo para se tornar restaurador. Vale ressaltar que o sono pode restaurar a função cerebral em muitos aspectos, como aprendizado, memória e humor. Já distúrbios do sono podem causar comprometimento do suprimento de oxigênio da pessoa, perturbar seu sistema imunológico ou danificar sua estrutura cerebral.

Bruno Duarte é coordenador do departamento de medicina do sono da Aborl-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial).

PALAVRA DO LEITOR

Ataques
Leio todos os dias esta Palavra do Leitor deste conceituado Diário. Os mesmos de sempre atacando presidente que está trabalhando para pôr nosso País nos trilhos. O Brasil depende do Congresso, do Senado e agora até do STF (Supremo Tribunal Federal) e os senhores e senhoras miram apenas no presidente. Gostaria de ver esses leitores postando que o presidente roubou, fez conchavos com Rodrigo Maia ou Davi Alcolumbre. Parem de espernear e vamos ajudar para termos País melhor para nossos filhos e netos.
Ailton Lima
São Bernardo

Fantasia?
Infelizmente temos presidente que não leva a sério o Brasil. Sente-se super-homem! Deus, que se acha imune a críticas, e não leva em consideração que o prejuízo para o País é de toda ordem, como cravado está no medíocre PIB (Produto Interno Bruto) de 1,1% em 2019. E nesta onda do coronavírus, que tem levado pânico pelo mundo, Bolsonaro, de forma irresponsável, disse que a disseminação da doença está superdimensionada: ‘Não é tudo isso que a imprensa (que odeia) propaga’ (Política, ontem). Misericórdia! O que dirá então o presidente agora, que a OMS (Organização Mundial da Saúde) acaba de declarar estado de pandemia (enfermidade epidêmica amplamente disseminada) pelo coronavírus?
Paulo Panossian
São Carlos (SP)

Desvalorização
Ao Movimento Todos pela Educação: depois de tantos anos dedicados a debater políticas educacionais, quais foram as mudanças efetivas que esse grupo trouxe à educação? Sinceramente, conhecendo de perto a sala de aula não se vê melhora alguma. Nossos alunos terminam o fundamental II sem saber ler e escrever. Pioraram a disciplina e o respeito aos professores. Poucos são aqueles que querem enfrentar sala de aula, pois a desvalorização à classe é cada vez mais notória. Sugiro a esse movimento que procure assistir às aulas em diversas escolas, preferencialmente públicas e à noite, e veja o nível em que se encontram. Se já foi, qual o diagnóstico? E se for o de sempre, alunos violentos, ‘vítimas da sociedade’, a falta de professores e consequentemente sem aulas, escolas destruídas, ou seja, onde deveria ter tudo, tudo falta, qual a saída? Há mais de 50 anos espero o discurso virar prática. Não é um ministro que muda a educação, mas todo o País, quando entender que sem educação não sairemos do quinto mundo. E, se um dia sairmos, poderemos dizer: a educação mudou o Brasil.
Izabel Avallone
Capital

Sabesp
Não dá para entender o tamanho físico do papel gasto nas contas de água que a Sabesp disponibiliza em Santo André de casa em casa para demonstrar o consumo em si. São nada mais, nada menos, que 81 centímetros de comprimento de papel. Isso mesmo, quase um metro de papel por conta. Isso é exagero. Não sei se isso acontece em todas as cidades em que a empresa fornece água, mas imagina quanto desperdício de papel está ocorrendo sem necessidade. No meu entender, com este tamanho todo, dá para fazer o demonstrativo de pelo menos três contas de água. Haja árvores para sustentar a Sabesp, hein!
Mauri Fontes
Santo André

Estamos juntas!
Diante da reportagem neste Diário que se refere à pré-candidatura da deputada Vanessa Damo a prefeita da nossa Mauá (Política, dia 9), fiquei feliz e bastante animada, pois sempre acompanhei sua trajetória e a admirei e apoiei em todas suas campanhas. Achei muito injusta a penalidade de inelegibilidade que sofreu por erro de coordenação de sua última campanha. E quero, inclusive, deixar aqui o repúdio a alguns setores da nossa Justiça brasileira, que infelizmente é tão dura em alguns casos em detrimento a outros. Como mulher, conclamo a todas moradoras da cidade para estarmos juntas nesse projeto de nova e próspera Mauá. Precisamos ter por perto outras que nos ajudem a cumprir nosso objetivo. Deus abençoe esse projeto.
Rosângela Caris
Mauá 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;