Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Carvalho é o pai do ciclismo no Grande ABC


Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

17/05/2003 | 21:15


A história começou no fim dos anos 40, nas ruas do bairro de Indianópolis, em São Paulo. Desenrolou-se por todo o Brasil e por outros países, teve boa parte dela escrita no Grande ABC e sempre apresentou como personagem principal José de Carvalho, 69 anos, tendo uma bicicleta como coadjuvante. Como ciclista, ele ganhou alguns dos mais importantes títulos do Brasil. Tornou-se técnico da equipe Pirelli/Santo André; depois, do time de São Caetano; agora, como treinador da nova equipe de São Bernardo (Brasul/Transzero), inicia um novo capítulo da história do ciclismo da região.

Em mais de 50 anos de carreira, Carvalho ganhou títulos e, principalmente, formou campeões, entre eles o atual presidente da Federação Paulista de Ciclismo, Marcos Mazzaron. Mas isso não foi tudo. Até mesmo a sua esposa, Tersia, morta há dois anos, ele conheceu graças à magrela. Tersia estava entre as muitas pessoas que assistiam a uma prova, atualmente extinta, realizada no dia 1º de Maio pelas principais ruas de Santo André. “A (rua) Oliveira Lima ficava cheia de gente para nos ver passar”, afirma.

A união Carvalho/ciclismo começou quando ele tinha 18 anos e comprou sua primeira bicicleta. O Clube União de Indianópolis, na capital, organizou uma prova. Ele se inscreveu e, mesmo com o pouco conhecimento que tinha da modalidade, terminou entre os primeiros. “Eu saí feito um louco. Não sabia nem o que fazia direito e acabei em sexto entre mais de 60 ciclistas.”

Em 1950, Carvalho tornou-se federado. Sua primeira prova foi disputada em Santo André. Ida e volta da igreja do Carmo a Mauá. Em dois anos, já estava na primeira divisão. “Trabalhava de dia e treinava em torno de 70 km à noite, mas percebi que, para ser um profissional, deveria ter dedicação integral.”

A oportunidade de dedicar-se exclusivamente ao esporte surgiu em Santo André. A família Vaccari – que, até hoje, tem loja de bicicletas na cidade – ofereceu a oportunidade de conciliar trabalho e treinos e os títulos apareceram. Ele foi campeão brasileiro em 1954 e 1961, paulista em 1953 e 1958, sul-americano em Caracas (1955) na perseguição por equipes 4 x 4.000 e vencedor da prova Rio/São Paulo em 1954.

A carreira como treinador da Pirelli começou em 1963. Carvalho comandou mais de 500 atletas e formou vários campeões, como Murilo Fischer, hoje na Itália; Antonio Carlos Silvestre, campeão Sul e Pan-americano; e os irmãos Renato e Renan Ferraro.

Para o futuro, o plano do veterano é fortalecer a equipe de São Bernardo. Mas isso vem com o tempo. “Nossa meta é para o ano que vem. Existe a expectativa de conseguirmos novos patrocinadores. Vamos completar a equipe e virar um time de ponta.” É esperar para conferir.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Carvalho é o pai do ciclismo no Grande ABC

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

17/05/2003 | 21:15


A história começou no fim dos anos 40, nas ruas do bairro de Indianópolis, em São Paulo. Desenrolou-se por todo o Brasil e por outros países, teve boa parte dela escrita no Grande ABC e sempre apresentou como personagem principal José de Carvalho, 69 anos, tendo uma bicicleta como coadjuvante. Como ciclista, ele ganhou alguns dos mais importantes títulos do Brasil. Tornou-se técnico da equipe Pirelli/Santo André; depois, do time de São Caetano; agora, como treinador da nova equipe de São Bernardo (Brasul/Transzero), inicia um novo capítulo da história do ciclismo da região.

Em mais de 50 anos de carreira, Carvalho ganhou títulos e, principalmente, formou campeões, entre eles o atual presidente da Federação Paulista de Ciclismo, Marcos Mazzaron. Mas isso não foi tudo. Até mesmo a sua esposa, Tersia, morta há dois anos, ele conheceu graças à magrela. Tersia estava entre as muitas pessoas que assistiam a uma prova, atualmente extinta, realizada no dia 1º de Maio pelas principais ruas de Santo André. “A (rua) Oliveira Lima ficava cheia de gente para nos ver passar”, afirma.

A união Carvalho/ciclismo começou quando ele tinha 18 anos e comprou sua primeira bicicleta. O Clube União de Indianópolis, na capital, organizou uma prova. Ele se inscreveu e, mesmo com o pouco conhecimento que tinha da modalidade, terminou entre os primeiros. “Eu saí feito um louco. Não sabia nem o que fazia direito e acabei em sexto entre mais de 60 ciclistas.”

Em 1950, Carvalho tornou-se federado. Sua primeira prova foi disputada em Santo André. Ida e volta da igreja do Carmo a Mauá. Em dois anos, já estava na primeira divisão. “Trabalhava de dia e treinava em torno de 70 km à noite, mas percebi que, para ser um profissional, deveria ter dedicação integral.”

A oportunidade de dedicar-se exclusivamente ao esporte surgiu em Santo André. A família Vaccari – que, até hoje, tem loja de bicicletas na cidade – ofereceu a oportunidade de conciliar trabalho e treinos e os títulos apareceram. Ele foi campeão brasileiro em 1954 e 1961, paulista em 1953 e 1958, sul-americano em Caracas (1955) na perseguição por equipes 4 x 4.000 e vencedor da prova Rio/São Paulo em 1954.

A carreira como treinador da Pirelli começou em 1963. Carvalho comandou mais de 500 atletas e formou vários campeões, como Murilo Fischer, hoje na Itália; Antonio Carlos Silvestre, campeão Sul e Pan-americano; e os irmãos Renato e Renan Ferraro.

Para o futuro, o plano do veterano é fortalecer a equipe de São Bernardo. Mas isso vem com o tempo. “Nossa meta é para o ano que vem. Existe a expectativa de conseguirmos novos patrocinadores. Vamos completar a equipe e virar um time de ponta.” É esperar para conferir.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;