Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Mulher na irmandade e na sociedade


Do Diário do Grande ABC

06/03/2020 | 23:59


O Dia Internacional da mulher, celebrado amanhã, dia 8 de março, tem como origem a segunda metade do século XIX e as primeiras décadas do século XX, quando se desencadeou série de fatos, lutas e reivindicações das mulheres (em especial nos Estados Unidos e Europa) por melhores condições de trabalho, direitos sociais e políticos. A data foi oficializada em 1975, ano em que a ONU (Organização das Nações Unidas) intitulou como Ano Internacional da Mulher e o 8 de março como o dia a se lembrar das conquistas políticas e sociais.

No Gosp (Grande Oriente de São Paulo), a mulher se faz presente em várias frentes. Inicialmente, não podemos nos esquecer de nossas esposas (que, na maçonaria, são identificadas como cunhadas), e nossas filhas (as sobrinhas), que nos apoiam e nos incentivam em nosso intuito de manter a potência maçônica sempre atuante e forte.

Apesar de não poderem participar das sessões ritualísticas tradicionais, engana-se quem pensa que as mulheres são vistas sob ótica distante ou até com indiferença pela maçonaria.

Nas lojas do Gosp, realizamos diversas sessões mistas com o intuito de reforçar a importância e homenagear cunhadas e sobrinhas por todo o seu apoio, sua dedicação e atuação na maçonaria.

Sim, atuação! Cunhadas e sobrinhas também participam de diversas atividades realizadas pelo Gosp por meio das chamadas entidades paramaçônicas, que possuem seus regimes e administrações próprias, porém, sob os princípios maçônicos.

As paramaçônicas têm como fermento principal de suas ações a atuação de cunhadas e sobrinhas, que auxiliam na preparação de jovens para assumir as responsabilidades e preceitos de honestidade, lealdade e amor fraterno, criação de líderes, além de realizarem diversas ações de cunho social.

Outro exemplo que vale a pena ser salientado é a participação de diversas lojas do Gosp na campanha do Outubro Rosa. Seja por meio de caminhadas, palestras ou exames, sempre há o cuidado e a preocupação de conscientizar as mulheres da importância do diagnóstico precoce da doença.

Assim, como grão-mestre do Grande Oriente de São Paulo, estendo minha admiração a todas as mulheres e parabenizo-as por este dia tão importante e que nos faz refletir sobre tudo o que elas têm feito em prol de nossa irmandade e de nossa sociedade.

Que o Grande Arquiteto do universo possa iluminar a consciência de todos os homens de boa vontade para que valorizem suas companheiras dando-lhes o devido reconhecimento.


Raimundo Hermes Barbosa é grão-mestre do Gosp (Grande Oriente de São Paulo).

PALAVRA DO LEITOR

Não deu certo!
Dólar a R$ 5? Euro quase R$ 6? Paulo Guedes, pegue seu chapéu, se desculpe com o povo brasileiro e caia fora! É um favor que fará ao Brasil.
Moyses Cheid Junior
São Bernardo

Meus centavos
Em relação à carta do leitor Claudio Luiz da Silva (Sem troco, ontem), ocorreu também comigo, no Sonda de São Bernardo. Fui pagar as despesas e a moça do caixa não aceitou faltando R$ 0,02. A partir daí sempre exigi meu troco corretamente e eles me devolvem centavos a mais por não terem R$ 0,02 ou R$ 0,03. Portanto, que voltem as moedas de R$ 0,05!
Ailton Lima
São Bernardo

Rotativo
É inadmissível o prefeito Orlando Morando implantar estacionamento rotativo pago em todas as ruas residenciais de São Bernardo! São 2.000 vagas criadas, que prejudicam, no mínimo, 2.000 famílias, que não têm mais direito de estacionar os carros na porta de suas casas. Como as vias não são comerciais, ficam às moscas, porque ninguém pode estacionar. Eram 2.600 vagas no Centro e, agora, com as vagas residenciais, esse número passou para 4.600. Pior que, além de prejudicar moradores, também atrapalhou 110 jovens que vendiam talonários e perderam o emprego. A empresa que administra é a Estapar, que cobra R$ 2 a hora e repassa para a Prefeitura somente R$ 0,10. Para deficientes e idosos são somente 5% das vagas. Em Santo André é permitido estacionar em qualquer vaga, desde que tenha o devido cartão. Prefeito Orlando Morando, sugiro que reveja essa sua atitude, que prejudica os moradores em vez de colaborar. E não esqueça que este ano é de eleições municipais.
Fernando Augusto Ramalho
São Bernardo

Reconhecimento
A tragédia ocorrida com as fortes chuvas na Baixada Santista faz repensar o quanto é importante a mobilização das pessoas no seu entorno e o trabalho valoroso dos bombeiros, sendo que infelizmente um deles, no cumprimento do dever, acabou falecendo. É difícil nessa hora encontrar palavras. Gostaria de também agradecer ao pronto atendimento que tive na UPA Rudge Ramos, em São Bernardo. Fui muito bem atendido nos setores de curativos, farmácia, recepção e pela equipe médica de plantão. É importante ressaltar a qualidade desses profissionais, que estão sempre dispostos a ajudar quem precisa. Não importa a cidade, o importante é reconhecer que temos profissionais na área de segurança e saúde que tratam as pessoas com respeito, dignidade e amor ao trabalho.
José Aires Barbosa Santos
São Bernardo

Insegurança
O índice nacional de homicídios, com base nos dados oficiais dos 26 Estados e o Distrito Federal, nos mostrou que no ano passado houve 41.635 assassinatos no País. Em 2018 esse número foi de 51.558. Em 12 meses tivemos quase 10 mil mortes a menos, é algo a se comemorar. Foi atingido, em pouco tempo de trabalho, o menor número de crimes violentos de toda a série histórica do fórum brasileiro de segurança pública, que coleta os dados desde 2007. Apesar de a sensação da população ser outra em relação à insegurança. Até a imprensa reconhece essa façanha do atual governo. Com isso a economia cresce, com a redução dos crimes, com a maior confiança dos investidores na seriedade deste governo. E a redução das mortes aumenta a força de trabalho. Já os gastos com a saúde, provocados pela redução do número de vítimas de crimes violentos, também cai. Isso sem contar na qualidade de vida e no bem-estar de toda Nação.
Turíbio Liberatto
São Caetano

Injustiça
Injustiça falar mal do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC quanto às enchentes na região (Tudo de novo!, dia 1º). O Consórcio fez estudo e apontou onde alaga. Cabe aos motoristas evitarem as áreas alagadas. Por exemplo, em frente ao Carrefour, na Vila América, em Santo André, sentido Mauá, quem quiser que dê a volta pela Avenida dos Estados, pela Zona Leste, vai de avião, helicóptero, enfim, se vira! Fazer estudo não quer dizer que tem de resolver. O que não podemos é esperar que o ‘cabidão de empregos’ resolva tudo. Dá um trabalho danado arrumar ‘boquinha’ para todo mundo. Já fizeram (os integrantes do colegiado de prefeitos) estudos, estão cansados. Descansem, amigos!
Thômaz Fernandes
Ribeirão Pires 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mulher na irmandade e na sociedade

Do Diário do Grande ABC

06/03/2020 | 23:59


O Dia Internacional da mulher, celebrado amanhã, dia 8 de março, tem como origem a segunda metade do século XIX e as primeiras décadas do século XX, quando se desencadeou série de fatos, lutas e reivindicações das mulheres (em especial nos Estados Unidos e Europa) por melhores condições de trabalho, direitos sociais e políticos. A data foi oficializada em 1975, ano em que a ONU (Organização das Nações Unidas) intitulou como Ano Internacional da Mulher e o 8 de março como o dia a se lembrar das conquistas políticas e sociais.

No Gosp (Grande Oriente de São Paulo), a mulher se faz presente em várias frentes. Inicialmente, não podemos nos esquecer de nossas esposas (que, na maçonaria, são identificadas como cunhadas), e nossas filhas (as sobrinhas), que nos apoiam e nos incentivam em nosso intuito de manter a potência maçônica sempre atuante e forte.

Apesar de não poderem participar das sessões ritualísticas tradicionais, engana-se quem pensa que as mulheres são vistas sob ótica distante ou até com indiferença pela maçonaria.

Nas lojas do Gosp, realizamos diversas sessões mistas com o intuito de reforçar a importância e homenagear cunhadas e sobrinhas por todo o seu apoio, sua dedicação e atuação na maçonaria.

Sim, atuação! Cunhadas e sobrinhas também participam de diversas atividades realizadas pelo Gosp por meio das chamadas entidades paramaçônicas, que possuem seus regimes e administrações próprias, porém, sob os princípios maçônicos.

As paramaçônicas têm como fermento principal de suas ações a atuação de cunhadas e sobrinhas, que auxiliam na preparação de jovens para assumir as responsabilidades e preceitos de honestidade, lealdade e amor fraterno, criação de líderes, além de realizarem diversas ações de cunho social.

Outro exemplo que vale a pena ser salientado é a participação de diversas lojas do Gosp na campanha do Outubro Rosa. Seja por meio de caminhadas, palestras ou exames, sempre há o cuidado e a preocupação de conscientizar as mulheres da importância do diagnóstico precoce da doença.

Assim, como grão-mestre do Grande Oriente de São Paulo, estendo minha admiração a todas as mulheres e parabenizo-as por este dia tão importante e que nos faz refletir sobre tudo o que elas têm feito em prol de nossa irmandade e de nossa sociedade.

Que o Grande Arquiteto do universo possa iluminar a consciência de todos os homens de boa vontade para que valorizem suas companheiras dando-lhes o devido reconhecimento.


Raimundo Hermes Barbosa é grão-mestre do Gosp (Grande Oriente de São Paulo).

PALAVRA DO LEITOR

Não deu certo!
Dólar a R$ 5? Euro quase R$ 6? Paulo Guedes, pegue seu chapéu, se desculpe com o povo brasileiro e caia fora! É um favor que fará ao Brasil.
Moyses Cheid Junior
São Bernardo

Meus centavos
Em relação à carta do leitor Claudio Luiz da Silva (Sem troco, ontem), ocorreu também comigo, no Sonda de São Bernardo. Fui pagar as despesas e a moça do caixa não aceitou faltando R$ 0,02. A partir daí sempre exigi meu troco corretamente e eles me devolvem centavos a mais por não terem R$ 0,02 ou R$ 0,03. Portanto, que voltem as moedas de R$ 0,05!
Ailton Lima
São Bernardo

Rotativo
É inadmissível o prefeito Orlando Morando implantar estacionamento rotativo pago em todas as ruas residenciais de São Bernardo! São 2.000 vagas criadas, que prejudicam, no mínimo, 2.000 famílias, que não têm mais direito de estacionar os carros na porta de suas casas. Como as vias não são comerciais, ficam às moscas, porque ninguém pode estacionar. Eram 2.600 vagas no Centro e, agora, com as vagas residenciais, esse número passou para 4.600. Pior que, além de prejudicar moradores, também atrapalhou 110 jovens que vendiam talonários e perderam o emprego. A empresa que administra é a Estapar, que cobra R$ 2 a hora e repassa para a Prefeitura somente R$ 0,10. Para deficientes e idosos são somente 5% das vagas. Em Santo André é permitido estacionar em qualquer vaga, desde que tenha o devido cartão. Prefeito Orlando Morando, sugiro que reveja essa sua atitude, que prejudica os moradores em vez de colaborar. E não esqueça que este ano é de eleições municipais.
Fernando Augusto Ramalho
São Bernardo

Reconhecimento
A tragédia ocorrida com as fortes chuvas na Baixada Santista faz repensar o quanto é importante a mobilização das pessoas no seu entorno e o trabalho valoroso dos bombeiros, sendo que infelizmente um deles, no cumprimento do dever, acabou falecendo. É difícil nessa hora encontrar palavras. Gostaria de também agradecer ao pronto atendimento que tive na UPA Rudge Ramos, em São Bernardo. Fui muito bem atendido nos setores de curativos, farmácia, recepção e pela equipe médica de plantão. É importante ressaltar a qualidade desses profissionais, que estão sempre dispostos a ajudar quem precisa. Não importa a cidade, o importante é reconhecer que temos profissionais na área de segurança e saúde que tratam as pessoas com respeito, dignidade e amor ao trabalho.
José Aires Barbosa Santos
São Bernardo

Insegurança
O índice nacional de homicídios, com base nos dados oficiais dos 26 Estados e o Distrito Federal, nos mostrou que no ano passado houve 41.635 assassinatos no País. Em 2018 esse número foi de 51.558. Em 12 meses tivemos quase 10 mil mortes a menos, é algo a se comemorar. Foi atingido, em pouco tempo de trabalho, o menor número de crimes violentos de toda a série histórica do fórum brasileiro de segurança pública, que coleta os dados desde 2007. Apesar de a sensação da população ser outra em relação à insegurança. Até a imprensa reconhece essa façanha do atual governo. Com isso a economia cresce, com a redução dos crimes, com a maior confiança dos investidores na seriedade deste governo. E a redução das mortes aumenta a força de trabalho. Já os gastos com a saúde, provocados pela redução do número de vítimas de crimes violentos, também cai. Isso sem contar na qualidade de vida e no bem-estar de toda Nação.
Turíbio Liberatto
São Caetano

Injustiça
Injustiça falar mal do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC quanto às enchentes na região (Tudo de novo!, dia 1º). O Consórcio fez estudo e apontou onde alaga. Cabe aos motoristas evitarem as áreas alagadas. Por exemplo, em frente ao Carrefour, na Vila América, em Santo André, sentido Mauá, quem quiser que dê a volta pela Avenida dos Estados, pela Zona Leste, vai de avião, helicóptero, enfim, se vira! Fazer estudo não quer dizer que tem de resolver. O que não podemos é esperar que o ‘cabidão de empregos’ resolva tudo. Dá um trabalho danado arrumar ‘boquinha’ para todo mundo. Já fizeram (os integrantes do colegiado de prefeitos) estudos, estão cansados. Descansem, amigos!
Thômaz Fernandes
Ribeirão Pires 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;