Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Diferença sutil entre o básico e o quase completo

Andre Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

27/02/2020 | 23:53


Há momentos em que o básico é suficiente. E outros em que um ‘algo a mais’ faz toda a diferença. Em se tratando de carro, itens de conforto, acessórios e potência do motor agregam valor ao modelo, justificam desembolsar um pouco mais de dinheiro na compra e pesam na decisão do consumidor.
Nas últimas semanas passaram pela garagem do Diário dois exemplares do Cronos. Um Drive 1.3, de entrada, e outro Drive 1.8 AT, a mais em conta das versões com câmbio automático e que pode ser colocada em uma categoria intermediária. A diferença de valores entre ambos é de exatamente R$ 11 mil. Aí cabe ao feliz comprador avaliar os dois carros, fazer as contas e ver qual deles encaixa melhor no bolso.
Por R$ 58.990 é possível levar para casa Drive 1.3. O sedã é impulsionado pelo motor Firefly quatro cilindros 1.3 de 109 cv de potência e 14,2 kgfm de torque (ambos com 100% etanol) e câmbio manual de cinco marchas. Na linha 2020, traz alarme como item de série, além de ar-condicionado, direção elétrica, chave com telecomando, rádio com conexões Bluetooth e USB.
O Drive 1.8 AT custa R$ 69.990 e conta com câmbio automático, sistema iTPMS de monitoramento da pressão dos pneus, vidros elétricos dianteiros, controles eletrônicos de tração e estabilidade, trava elétrica, volante regulável em altura, sistema de partida a frio sem tanquinho e display de 3,5 polegadas e alta resolução no painel de instrumentos.
Com um pouco mais de dinheiro dá para melhorar o pacote, instalando um kit com retrovisores elétricos, vidros elétricos traseiros, ar digital e câmera de ré. Ou uma outra opção, com faróis de neblina, rodas de liga de 16’’, banco bipartido, piloto automático, volante de couro e câmbio borboleta.
É sempre bom lembrar que entre os dois ainda há duas versões do Cronos, a 1.3 MT, que custa R$ 61.990 e agrega mais itens de conforto que o básico, e a 1.3 GSR (R$ 66.690), com câmbio automatizado. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diferença sutil entre o básico e o quase completo

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

27/02/2020 | 23:53


Há momentos em que o básico é suficiente. E outros em que um ‘algo a mais’ faz toda a diferença. Em se tratando de carro, itens de conforto, acessórios e potência do motor agregam valor ao modelo, justificam desembolsar um pouco mais de dinheiro na compra e pesam na decisão do consumidor.
Nas últimas semanas passaram pela garagem do Diário dois exemplares do Cronos. Um Drive 1.3, de entrada, e outro Drive 1.8 AT, a mais em conta das versões com câmbio automático e que pode ser colocada em uma categoria intermediária. A diferença de valores entre ambos é de exatamente R$ 11 mil. Aí cabe ao feliz comprador avaliar os dois carros, fazer as contas e ver qual deles encaixa melhor no bolso.
Por R$ 58.990 é possível levar para casa Drive 1.3. O sedã é impulsionado pelo motor Firefly quatro cilindros 1.3 de 109 cv de potência e 14,2 kgfm de torque (ambos com 100% etanol) e câmbio manual de cinco marchas. Na linha 2020, traz alarme como item de série, além de ar-condicionado, direção elétrica, chave com telecomando, rádio com conexões Bluetooth e USB.
O Drive 1.8 AT custa R$ 69.990 e conta com câmbio automático, sistema iTPMS de monitoramento da pressão dos pneus, vidros elétricos dianteiros, controles eletrônicos de tração e estabilidade, trava elétrica, volante regulável em altura, sistema de partida a frio sem tanquinho e display de 3,5 polegadas e alta resolução no painel de instrumentos.
Com um pouco mais de dinheiro dá para melhorar o pacote, instalando um kit com retrovisores elétricos, vidros elétricos traseiros, ar digital e câmera de ré. Ou uma outra opção, com faróis de neblina, rodas de liga de 16’’, banco bipartido, piloto automático, volante de couro e câmbio borboleta.
É sempre bom lembrar que entre os dois ainda há duas versões do Cronos, a 1.3 MT, que custa R$ 61.990 e agrega mais itens de conforto que o básico, e a 1.3 GSR (R$ 66.690), com câmbio automatizado. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;