Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Pinacoteca de São Caetano está preparando o espaço para a exposição de Israel Kislansky

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

A mostra marca o seu talento escultório, já que é especialista em modelagem cerâmica e fundição


Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

27/02/2020 | 23:00


A Pinacoteca de São Caetano, gerenciada pela Fundação Pró-Memória, se prepara para receber grande exposição, a partir do dia 5, às 19h30: As Bacantes, de Israel Kislansky. Composta por 77 trabalhos realizados pelo artista baiano radicado em São Paulo, a mostra marca o seu talento escultório, já que é especialista em modelagem cerâmica e fundição.

Kislansky diz que a coleção, que será exposta pela primeira vez, demorou dez anos para ser concluída. “Após uma viagem à Europa iniciei um processo de trazer para o Brasil uma série de tecnologias ligadas à fundição de obra de arte. Realizei projeto dentro do Senai, a criação de um centro técnico especializado em fundição e passei lá cerca de cinco anos”, lembra. Neste meio-tempo, junto com os alunos do curso, fez algumas viagens à França, local onde teve o contato com a técnica. Também produziu o livro Fundição Artística, primeira publicação técnica especializada em fundição de obras de arte em metal no Brasil.

O artista, dotado de experiência, também restaurou parte do Monumento do Ipiranga, que abriga, em seu subsolo, a cripta imperial, no Parque da Independência.

E, neste meio-tempo, foi fazendo a sua coleção pessoal. Figuras que, segundo ele, o acompanharam durante um ‘longo percurso’. “As obras são inspiradas nessas figuras femininas, chamadas ‘as bacantes’, mulheres que fazem parte do cortejo de Dionísio (deus grego), e que têm um sentido muito especial. O Dionísio é, antes de tudo, o deus da vitalidade, não apenas a imagem que a gente tem de um deus ligado ao sexo. Então, neste sentido, essas mulheres representam justamente o respeito à vitalidade”, explica.

As obras que poderão ser vistas na mostra são feitas em cerâmica, bronze, desenhos, gesso, ceras e moldes. “Também será apresentado um percurso educativo. Quem for ver a coleção vai poder acompanhar o processo de execução dela através de um roteiro didático”, adianta o artista. As peças fundidas, ressalta, chegam a pesar 150 quilos e levaram cerca de um ano, cada uma, para ficarem prontas.

“Observando suas esculturas, experimentamos um turbilhão de emoções, constatamos o equilíbrio, a mansidão e a serenidade de rostos compondo a discordância de corpos serpenteantes, manifestando um bailado sensual, um encantamento. A gestualidade pujante aglutina a finalidade de forjar sua obra a uma expressão única”, analisa a curadora da exposição e coordenadora da Pinacoteca, a arte-educadora Nayr Duarte, que divide os cargos com Fabiana Cavalcante.

As Bacantes – Exposição. Na Pinacoteca de São Caetano – Avenida Dr. Augusto de Toledo, 255. De 5 de março até 20 de abril, de segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h. A entrada é gratuita. Mais informações em 4223-4780. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pinacoteca de São Caetano está preparando o espaço para a exposição de Israel Kislansky

A mostra marca o seu talento escultório, já que é especialista em modelagem cerâmica e fundição

Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

27/02/2020 | 23:00


A Pinacoteca de São Caetano, gerenciada pela Fundação Pró-Memória, se prepara para receber grande exposição, a partir do dia 5, às 19h30: As Bacantes, de Israel Kislansky. Composta por 77 trabalhos realizados pelo artista baiano radicado em São Paulo, a mostra marca o seu talento escultório, já que é especialista em modelagem cerâmica e fundição.

Kislansky diz que a coleção, que será exposta pela primeira vez, demorou dez anos para ser concluída. “Após uma viagem à Europa iniciei um processo de trazer para o Brasil uma série de tecnologias ligadas à fundição de obra de arte. Realizei projeto dentro do Senai, a criação de um centro técnico especializado em fundição e passei lá cerca de cinco anos”, lembra. Neste meio-tempo, junto com os alunos do curso, fez algumas viagens à França, local onde teve o contato com a técnica. Também produziu o livro Fundição Artística, primeira publicação técnica especializada em fundição de obras de arte em metal no Brasil.

O artista, dotado de experiência, também restaurou parte do Monumento do Ipiranga, que abriga, em seu subsolo, a cripta imperial, no Parque da Independência.

E, neste meio-tempo, foi fazendo a sua coleção pessoal. Figuras que, segundo ele, o acompanharam durante um ‘longo percurso’. “As obras são inspiradas nessas figuras femininas, chamadas ‘as bacantes’, mulheres que fazem parte do cortejo de Dionísio (deus grego), e que têm um sentido muito especial. O Dionísio é, antes de tudo, o deus da vitalidade, não apenas a imagem que a gente tem de um deus ligado ao sexo. Então, neste sentido, essas mulheres representam justamente o respeito à vitalidade”, explica.

As obras que poderão ser vistas na mostra são feitas em cerâmica, bronze, desenhos, gesso, ceras e moldes. “Também será apresentado um percurso educativo. Quem for ver a coleção vai poder acompanhar o processo de execução dela através de um roteiro didático”, adianta o artista. As peças fundidas, ressalta, chegam a pesar 150 quilos e levaram cerca de um ano, cada uma, para ficarem prontas.

“Observando suas esculturas, experimentamos um turbilhão de emoções, constatamos o equilíbrio, a mansidão e a serenidade de rostos compondo a discordância de corpos serpenteantes, manifestando um bailado sensual, um encantamento. A gestualidade pujante aglutina a finalidade de forjar sua obra a uma expressão única”, analisa a curadora da exposição e coordenadora da Pinacoteca, a arte-educadora Nayr Duarte, que divide os cargos com Fabiana Cavalcante.

As Bacantes – Exposição. Na Pinacoteca de São Caetano – Avenida Dr. Augusto de Toledo, 255. De 5 de março até 20 de abril, de segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h. A entrada é gratuita. Mais informações em 4223-4780. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;