Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Peça que estréia no Teatro Unimed
fala sobre a Capital paulista

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Regina Braga teve dificuldades em compilar tanta história boa em pouco amis de uma hora de espetáculo


Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

25/02/2020 | 22:30


Não é fácil compilar a história da Capital em pouco mais de uma hora de encenação. Esta foi a constatação da atriz Regina Braga, que preparou o roteiro do espetáculo cênico musical São Paulo, que estreia dia 12 no Teatro Unimed, em São Paulo. “É dificílimo resumir e fazer uma seleção de tudo que pesquisamos. Se eu quisesse podia fazer o São Paulo 2, 3, 4... O que sobrou de coisa boa não tem como mensurar”, revela a atriz, que, por meio de músicas – estará junto de três músicos –, textos e poesias, falará no palco sobre a trajetória da cidade mais famosa do País. A direção é de Isabel Teixeira.

A peça é dividida em três movimentos. No primeiro, ‘a Terra’, o foco é dirigido aos eventos que deram origem à cidade, da chegada dos colonizadores à formação da vila que ficaria por séculos conhecida como ‘capital da solidão’. No segundo, ‘o homem”, é apresentada a diversidade dos habitantes da cidade. Como resumiu o escritor e compositor José Miguel Wisnik, “uma das principais maneiras de ser paulista é não ser de São Paulo”. No terceiro, ‘o boom’, sobre o crescimento explosivo, a dramaturgia adquire novo ritmo, conduzido pela narrativa de quem convive com a cidade de hoje.

O projeto, ressalta, é antigo. Mas nunca tinha tempo para fazer, porque ‘dá um trabalho louco’. “Você começa a pesquisar e fica superinteressada. Tem uma história, por exemplo, que acabamos não colocando, do século XVII, de uma briga entre duas famílias, a Camargo e a Pires, que ditaram os rumos da história de São Paulo”, adianta a atriz.
Regina nasceu em Belo Horizonte, veio para São Paulo já adulta e se apaixonou pela cidade. “Nós contamos a história desde a primeira subida de serra que houve aqui, com textos históricos como a Carta do Anchieta, de Castro Alves, são textos lindos.”

O musical reúne também escritos de Roberto Pompeu de Toledo, Alcântara Machado, Mário de Andrade, Paulo Prado, José de Anchieta, Castro Alves, Guilherme de Almeida, Itamar Assumpção, Plínio Marcos, Paulo Bonfim, Drauzio Varella e outros, entremeados por músicas de Paulo Vanzolini, Adoniran Barbosa, Luiz Tatit, Chico Cesar, Renato Teixeira e outros compositores que cantaram cenas do cotidiano e as vicissitudes dos habitantes da cidade.

NOVELA

Além deste projeto, que fica em cartaz até 5 de abril, Regina se prepara para papel que fará na próxima novela das 21h da Rede Globo, Um Lugar ao Sol, que está sendo escrita por Lícia Manzo e tem direção de Maurício Farias. “Vou ser um personagem superinteressante, uma psicanalista muito famosa, que escreve livros e tem umas coisas muito contemporâneas. Estou ansiosa para estreia.” A trama deve ir ao ar em maio, após o fim de Amor de Mãe.

São Paulo – Musical. No Teatro Unimed – Alameda Santos, 2.159. De 12 de março a 5 de abril, toda quinta, sexta e sábado, às 21h. e, domingo, às 18h. Ingressos: R$ 90 (R$ 45 meia-entrada), à venda em www.teatrounimed.com.br. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Peça que estréia no Teatro Unimed
fala sobre a Capital paulista

Regina Braga teve dificuldades em compilar tanta história boa em pouco amis de uma hora de espetáculo

Miriam Gimenes
Do Diário do Grande ABC

25/02/2020 | 22:30


Não é fácil compilar a história da Capital em pouco mais de uma hora de encenação. Esta foi a constatação da atriz Regina Braga, que preparou o roteiro do espetáculo cênico musical São Paulo, que estreia dia 12 no Teatro Unimed, em São Paulo. “É dificílimo resumir e fazer uma seleção de tudo que pesquisamos. Se eu quisesse podia fazer o São Paulo 2, 3, 4... O que sobrou de coisa boa não tem como mensurar”, revela a atriz, que, por meio de músicas – estará junto de três músicos –, textos e poesias, falará no palco sobre a trajetória da cidade mais famosa do País. A direção é de Isabel Teixeira.

A peça é dividida em três movimentos. No primeiro, ‘a Terra’, o foco é dirigido aos eventos que deram origem à cidade, da chegada dos colonizadores à formação da vila que ficaria por séculos conhecida como ‘capital da solidão’. No segundo, ‘o homem”, é apresentada a diversidade dos habitantes da cidade. Como resumiu o escritor e compositor José Miguel Wisnik, “uma das principais maneiras de ser paulista é não ser de São Paulo”. No terceiro, ‘o boom’, sobre o crescimento explosivo, a dramaturgia adquire novo ritmo, conduzido pela narrativa de quem convive com a cidade de hoje.

O projeto, ressalta, é antigo. Mas nunca tinha tempo para fazer, porque ‘dá um trabalho louco’. “Você começa a pesquisar e fica superinteressada. Tem uma história, por exemplo, que acabamos não colocando, do século XVII, de uma briga entre duas famílias, a Camargo e a Pires, que ditaram os rumos da história de São Paulo”, adianta a atriz.
Regina nasceu em Belo Horizonte, veio para São Paulo já adulta e se apaixonou pela cidade. “Nós contamos a história desde a primeira subida de serra que houve aqui, com textos históricos como a Carta do Anchieta, de Castro Alves, são textos lindos.”

O musical reúne também escritos de Roberto Pompeu de Toledo, Alcântara Machado, Mário de Andrade, Paulo Prado, José de Anchieta, Castro Alves, Guilherme de Almeida, Itamar Assumpção, Plínio Marcos, Paulo Bonfim, Drauzio Varella e outros, entremeados por músicas de Paulo Vanzolini, Adoniran Barbosa, Luiz Tatit, Chico Cesar, Renato Teixeira e outros compositores que cantaram cenas do cotidiano e as vicissitudes dos habitantes da cidade.

NOVELA

Além deste projeto, que fica em cartaz até 5 de abril, Regina se prepara para papel que fará na próxima novela das 21h da Rede Globo, Um Lugar ao Sol, que está sendo escrita por Lícia Manzo e tem direção de Maurício Farias. “Vou ser um personagem superinteressante, uma psicanalista muito famosa, que escreve livros e tem umas coisas muito contemporâneas. Estou ansiosa para estreia.” A trama deve ir ao ar em maio, após o fim de Amor de Mãe.

São Paulo – Musical. No Teatro Unimed – Alameda Santos, 2.159. De 12 de março a 5 de abril, toda quinta, sexta e sábado, às 21h. e, domingo, às 18h. Ingressos: R$ 90 (R$ 45 meia-entrada), à venda em www.teatrounimed.com.br. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;