Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Já pode soltar rojões lá no Jaçatuba


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

25/02/2020 | 00:01


A modéstia é o que impede o Santo André de comemorar a classificação antecipada às quartas de final do Campeonato Paulista e a vaga na Série D do Campeonato Brasileiro. Com impensáveis 18 pontos conquistados de 21 possíveis, o time já tem o aval dos matemáticos para soltar rojões no Jaçatuba. O site chancedegol.com.br crava que a chance de avançar ao mata-mata pela primeira vez desde que o Estadual ganhou este formato é de 99,4%. Afinal, são 15 pontos em disputa e vantagem de sete para o Novorizontino, terceiro colocado do Grupo B e rival direto na luta por lugar no quarto nível do Nacional de 2021. E o time do Interior faz apenas mais dois jogos em casa, contra Corinthians e Santos.

A missão do Ramalhão a partir de agora é tentar sustentar a primeira colocação da chave e garantir vantagem de decidir as quartas de final, possivelmente contra o Palmeiras, no Bruno Daniel, em jogo único. Apenas dois pontos separam o Ramalhão do Verdão, clubes com as duas melhores campanhas do Estadual no geral e que provavelmente já estariam matematicamente classificados se estivessem em outros grupos.

Os mais exigentes entendem que o Santo André tem mais sorte do que juízo, afinal, em pelo menos quatro jogos o time venceu graças a atuações espetaculares do goleiro Fernando Henrique. Mas o clube contratou o experiente jogador, 36 anos, e com passagens por grandes clubes justamente para isso, não é verdade? No Interior, torcedores e, pasmem, até jornalistas insistem em dizer que a campanha do Ramalhão está manchada por erros de arbitragem a seu favor. Oi? Sim, falhas existiram contra São Paulo e Red Bull Bragantino, mas desmerecer campanha quase perfeita por um lance ou outro, casuais, e quase imperceptíveis sem o recurso da imagem, me parece mais choro de perdedores.

Prefiro valorizar o trabalho de Paulo Roberto e da sua comissão técnica. Sempre dizemos que o Paulistão não permite falhas na montagem do elenco e eles foram cirúrgicos. Mesmo indo ao mercado mais tarde, tendo contratado 21 jogadores e ter começado o trabalho do zero, o resultado em campo evidencia a qualidade de observação do treinador e de sua equipe. O time está tão redondo que, mesmo com ótimas opções no banco de reservas, não havia a mínima necessidade de substituição no jogo de domingo contra o Bragantino. Tanto que a primeira troca aconteceu somente aos 37 minutos do segundo tempo, apenas para renovar o fôlego do meio de campo.

Amanhã, o Ramalhão terá pela frente o Corinthians, rival que derrotou nas duas últimas vezes em que se encontraram: 2 a 0, em 2017, em Itaquera, e 2 a 1, em 2018, no Bruno Daniel. É o tipo de jogo que encaixa com a proposta da equipe de Paulo Roberto, de dar a bola ao adversário e esperar o momento certo para encaixar o fulminante contra-ataque. Perspectivas são ótimas. E quem diria que estaria tão confiante assim em nova zebra. Não sei se isso tudo é um sonho, se for, não me acorde, por favor.

PRUDÊNCIA NUNCA É DEMAIS
A medida em que se aproxima a classificação do Santo André e o time se mantém à frente do Palmeiras no grupo, aumenta a pressão sobre o possível mando de campo no jogo único das quartas de final. O regulamento do Paulistão é feito para privilegiar os grandes e tenho certeza que não passava pela cabeça dos dirigentes da Federação Paulista situação como essa. Qualquer vacilo e o Ramalhão pode perder o benefício.

Vacilo como ocorreu domingo, quando andreenses apedrejaram van com torcedores do Bragantino. Lamentável que isso ainda ocorra. Só serve para afastar as pessoas do estádio e os responsáveis devem ser severamente punidos. Não é possível responsabilizar o clube porque aconteceu na parte externa do Bruno Daniel. A falha foi da Polícia Militar ou dos apoiadores do time visitante, que não pediram escolta. Mesmo assim, o Ramalhão foi cobrado pela Federação Paulista. Olho aberto!

HAJA PACIÊNCIA
A diretoria do Santo André não esperava público tão grande na partida contra o Bragantino, só isso explica a enorme fila que torcedores encararam para comprar ingresso. Quando a bola rolou, eram ao menos 150 metros de fila para entrar no Bruno Daniel. Certamente muitos foram embora assistir pela televisão. E outra, se todos tivessem entrado, ficaria perto de esgotar o limite da arquibancada Leste, que é de 3.500 torcedores – o público chegou a 2.639. Já é hora de começar a pensar em abrir os dois lados.

TIRO SAIU PELA CULATRA
Uma pena ver o Inamar parcialmente vazio na partida entre Água Santa e Corinthians, sábado – foram 3.558 pagantes. Uma vitória tão importante como foi a do Netuno, em jogo tão esperado pela cidade de Diadema merecia lotação máxima. Isso só não aconteceu porque pouca gente tem condição de pagar R$ 120 em ingresso para assistir a um jogo de futebol. Espero que a diretoria do time diademense tenha aprendido a lição.

PALPITÃO
Semana vai pressionar técnicos que pareciam absolutos. Vamos aos chutes. Paulistão: Corinthians 0 x 2 Santo André, Guarani 2 x 1 Água Santa, Santos 0 x 3 Palmeiras, São Paulo 2 x 0 Ponte Preta. Série A-2: São Caetano 1 x 1 Portuguesa e Juventus 1 x 2 São Bernardo FC. Série A-3: EC São Bernardo 2 x 0 Rio Preto. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Já pode soltar rojões lá no Jaçatuba

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

25/02/2020 | 00:01


A modéstia é o que impede o Santo André de comemorar a classificação antecipada às quartas de final do Campeonato Paulista e a vaga na Série D do Campeonato Brasileiro. Com impensáveis 18 pontos conquistados de 21 possíveis, o time já tem o aval dos matemáticos para soltar rojões no Jaçatuba. O site chancedegol.com.br crava que a chance de avançar ao mata-mata pela primeira vez desde que o Estadual ganhou este formato é de 99,4%. Afinal, são 15 pontos em disputa e vantagem de sete para o Novorizontino, terceiro colocado do Grupo B e rival direto na luta por lugar no quarto nível do Nacional de 2021. E o time do Interior faz apenas mais dois jogos em casa, contra Corinthians e Santos.

A missão do Ramalhão a partir de agora é tentar sustentar a primeira colocação da chave e garantir vantagem de decidir as quartas de final, possivelmente contra o Palmeiras, no Bruno Daniel, em jogo único. Apenas dois pontos separam o Ramalhão do Verdão, clubes com as duas melhores campanhas do Estadual no geral e que provavelmente já estariam matematicamente classificados se estivessem em outros grupos.

Os mais exigentes entendem que o Santo André tem mais sorte do que juízo, afinal, em pelo menos quatro jogos o time venceu graças a atuações espetaculares do goleiro Fernando Henrique. Mas o clube contratou o experiente jogador, 36 anos, e com passagens por grandes clubes justamente para isso, não é verdade? No Interior, torcedores e, pasmem, até jornalistas insistem em dizer que a campanha do Ramalhão está manchada por erros de arbitragem a seu favor. Oi? Sim, falhas existiram contra São Paulo e Red Bull Bragantino, mas desmerecer campanha quase perfeita por um lance ou outro, casuais, e quase imperceptíveis sem o recurso da imagem, me parece mais choro de perdedores.

Prefiro valorizar o trabalho de Paulo Roberto e da sua comissão técnica. Sempre dizemos que o Paulistão não permite falhas na montagem do elenco e eles foram cirúrgicos. Mesmo indo ao mercado mais tarde, tendo contratado 21 jogadores e ter começado o trabalho do zero, o resultado em campo evidencia a qualidade de observação do treinador e de sua equipe. O time está tão redondo que, mesmo com ótimas opções no banco de reservas, não havia a mínima necessidade de substituição no jogo de domingo contra o Bragantino. Tanto que a primeira troca aconteceu somente aos 37 minutos do segundo tempo, apenas para renovar o fôlego do meio de campo.

Amanhã, o Ramalhão terá pela frente o Corinthians, rival que derrotou nas duas últimas vezes em que se encontraram: 2 a 0, em 2017, em Itaquera, e 2 a 1, em 2018, no Bruno Daniel. É o tipo de jogo que encaixa com a proposta da equipe de Paulo Roberto, de dar a bola ao adversário e esperar o momento certo para encaixar o fulminante contra-ataque. Perspectivas são ótimas. E quem diria que estaria tão confiante assim em nova zebra. Não sei se isso tudo é um sonho, se for, não me acorde, por favor.

PRUDÊNCIA NUNCA É DEMAIS
A medida em que se aproxima a classificação do Santo André e o time se mantém à frente do Palmeiras no grupo, aumenta a pressão sobre o possível mando de campo no jogo único das quartas de final. O regulamento do Paulistão é feito para privilegiar os grandes e tenho certeza que não passava pela cabeça dos dirigentes da Federação Paulista situação como essa. Qualquer vacilo e o Ramalhão pode perder o benefício.

Vacilo como ocorreu domingo, quando andreenses apedrejaram van com torcedores do Bragantino. Lamentável que isso ainda ocorra. Só serve para afastar as pessoas do estádio e os responsáveis devem ser severamente punidos. Não é possível responsabilizar o clube porque aconteceu na parte externa do Bruno Daniel. A falha foi da Polícia Militar ou dos apoiadores do time visitante, que não pediram escolta. Mesmo assim, o Ramalhão foi cobrado pela Federação Paulista. Olho aberto!

HAJA PACIÊNCIA
A diretoria do Santo André não esperava público tão grande na partida contra o Bragantino, só isso explica a enorme fila que torcedores encararam para comprar ingresso. Quando a bola rolou, eram ao menos 150 metros de fila para entrar no Bruno Daniel. Certamente muitos foram embora assistir pela televisão. E outra, se todos tivessem entrado, ficaria perto de esgotar o limite da arquibancada Leste, que é de 3.500 torcedores – o público chegou a 2.639. Já é hora de começar a pensar em abrir os dois lados.

TIRO SAIU PELA CULATRA
Uma pena ver o Inamar parcialmente vazio na partida entre Água Santa e Corinthians, sábado – foram 3.558 pagantes. Uma vitória tão importante como foi a do Netuno, em jogo tão esperado pela cidade de Diadema merecia lotação máxima. Isso só não aconteceu porque pouca gente tem condição de pagar R$ 120 em ingresso para assistir a um jogo de futebol. Espero que a diretoria do time diademense tenha aprendido a lição.

PALPITÃO
Semana vai pressionar técnicos que pareciam absolutos. Vamos aos chutes. Paulistão: Corinthians 0 x 2 Santo André, Guarani 2 x 1 Água Santa, Santos 0 x 3 Palmeiras, São Paulo 2 x 0 Ponte Preta. Série A-2: São Caetano 1 x 1 Portuguesa e Juventus 1 x 2 São Bernardo FC. Série A-3: EC São Bernardo 2 x 0 Rio Preto. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;