Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Harvey Weinstein é declarado culpado por estupro e assédio sexual



24/02/2020 | 18:10


Após dois anos em que o processo corre na justiça, Harvey Weinstein foi declarado culpado nesta segunda-feira, dia 24, pelos crimes de estupro e assédio sexual. De acordo com informações do site E! News, o júri, composto por sete homens e cinco mulheres, demorou cinco dias para chegar em um veredito. Ele será sentenciado e receberá sua pena no dia 11 de março, e pode pegar de cinco a 25 anos de prisão.

Harvey foi condenado por dois dos cinco crimes pelos quais estava respondendo no julgamento de Nova York, nos Estados Unidos: por assédio contra Mimi Haleyi em 2006 e estupro contra Jessica Mann em 2013. Ele foi considerado inocente de dois casos de abuso sexual e um caso de estupro.

Além do julgamento em Nova York, um outro processo corre em Los Angeles, na Califórnia. Nele, Harvey enfrenta mais quatro acusações de estupro, assédio e abuso sexual. Após o veredito do júri, o advogado do produtor pediu para que ele pagasse uma fiança pelos crimes, o que foi negado pelo juiz. Tina Tchen, presidente da Time's Up Foundation, movimento que ajudou que o caso de Harvey viesse á público, falou sobre o assunto:

- Esse julgamento - e não apenas a decisão do júri hoje - marca uma nova era da justiça, não apenas para as quebradoras do silêncio, que se pronunciaram sob um grande risco pessoal, mas para todos os sobreviventes de assédio, abuso e agressão no trabalho.

Desde que o nome de Harvey veio à tona, várias mulheres acusaram o produtor de assédio e abuso, além de revelarem que ele as coagia dizendo que elas perderiam a carreira se não ficassem com ele. Agora, durante o programa 60 Minutes, a modelo Ambra Batullana Gutierrez trouxe à público um áudio de uma conversa com o produtor, em que ele diz:

- Se você não confiar em mim, nós não temos porquê fazer nada, e você perderá grande oportunidades.

Ela contou que foi chamada para uma reunião com Harvey quando chegou em Nova York, aos 22 anos de idade, e que ele tentou beijá-la e tocou seus seios. Ambra, então, foi até a polícia, que pediu para que ela voltasse a se encontrar com ele e gravasse a conversa. Após isso, ela entrou com um processo contra o produtor, mas foi desacreditada e intimidada e acabou assinando um acordo de confidencialidade avaliado em um milhão de dólares em 2017, que dizia que os áudios gravados por ela não poderiam ser trazidos à tona.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Harvey Weinstein é declarado culpado por estupro e assédio sexual


24/02/2020 | 18:10


Após dois anos em que o processo corre na justiça, Harvey Weinstein foi declarado culpado nesta segunda-feira, dia 24, pelos crimes de estupro e assédio sexual. De acordo com informações do site E! News, o júri, composto por sete homens e cinco mulheres, demorou cinco dias para chegar em um veredito. Ele será sentenciado e receberá sua pena no dia 11 de março, e pode pegar de cinco a 25 anos de prisão.

Harvey foi condenado por dois dos cinco crimes pelos quais estava respondendo no julgamento de Nova York, nos Estados Unidos: por assédio contra Mimi Haleyi em 2006 e estupro contra Jessica Mann em 2013. Ele foi considerado inocente de dois casos de abuso sexual e um caso de estupro.

Além do julgamento em Nova York, um outro processo corre em Los Angeles, na Califórnia. Nele, Harvey enfrenta mais quatro acusações de estupro, assédio e abuso sexual. Após o veredito do júri, o advogado do produtor pediu para que ele pagasse uma fiança pelos crimes, o que foi negado pelo juiz. Tina Tchen, presidente da Time's Up Foundation, movimento que ajudou que o caso de Harvey viesse á público, falou sobre o assunto:

- Esse julgamento - e não apenas a decisão do júri hoje - marca uma nova era da justiça, não apenas para as quebradoras do silêncio, que se pronunciaram sob um grande risco pessoal, mas para todos os sobreviventes de assédio, abuso e agressão no trabalho.

Desde que o nome de Harvey veio à tona, várias mulheres acusaram o produtor de assédio e abuso, além de revelarem que ele as coagia dizendo que elas perderiam a carreira se não ficassem com ele. Agora, durante o programa 60 Minutes, a modelo Ambra Batullana Gutierrez trouxe à público um áudio de uma conversa com o produtor, em que ele diz:

- Se você não confiar em mim, nós não temos porquê fazer nada, e você perderá grande oportunidades.

Ela contou que foi chamada para uma reunião com Harvey quando chegou em Nova York, aos 22 anos de idade, e que ele tentou beijá-la e tocou seus seios. Ambra, então, foi até a polícia, que pediu para que ela voltasse a se encontrar com ele e gravasse a conversa. Após isso, ela entrou com um processo contra o produtor, mas foi desacreditada e intimidada e acabou assinando um acordo de confidencialidade avaliado em um milhão de dólares em 2017, que dizia que os áudios gravados por ela não poderiam ser trazidos à tona.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;