Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

GM usa R$ 500 milhões para modernizar


Leone Farias
Enviado a Gravataí (RS)

24/02/2005 | 14:02


A General Motors do Brasil investirá neste ano R$ 500 milhões em programas de modernização tecnológica das seis unidades da montadora no país, entre as quais São Caetano – as demais ficam em Gravataí (RS), São José dos Campos (SP), Cruz Alta (RS), Sorocaba (SP) e Mogi das Cruzes (SP). Uma das prioridades do novo pacote de investimentos será o desenvolvimento de motorização para combustíveis alternativos, como o GNV (Gás Natural Veicular).

O anúncio foi feito quarta-feira em Gravataí (RS) pelo vice-presidente da GM, José Carlos Pinheiro Neto, durante evento comemorativo do aniversário de 80 anos da montadora no país. Ele não detalhou quanto do montante receberá a fábrica do Grande ABC.

Os R$ 500 milhões a serem aplicados em modernização vão se somar aos já anunciados US$ 240 milhões (cerca de R$ 630 milhões) que a empresa vai gastar para ampliar a fábrica de Gravataí (RS) e aos R$ 500 milhões destinados ao projeto do novo Vectra, que será produzido em São Caetano a partir deste ano. No total, o cronograma da GM prevê R$ 1,63 bilhão de investimento em 2005.

Parte do investimento anunciado quarta-feira será direcionado para o desenvolvimento de novos motores porque a empresa considera “bastante promissoras” as perspectivas do mercado para os veículos multicombustível (álcool, gasolina e GNV). A montadora com sede em São Caetano foi a pioneira no país na tecnologia ao lançar em setembro de 2004 o primeiro multicombustível saído de fábrica, o Astra MultiPower. “Ninguém segura mais o crescimento desse mercado”, afirma Pinheiro Neto. Segundo ele a empresa deverá estender para outros modelos a tecnologia, que atualmente abrange apenas o Astra na versão Sedã. “O MultiPower teve uma resposta excepcional. Queremos tirar o estigma de que o veículo é só para taxistas”, disse. O carro surpreendeu a GM devido ao número de pedidos que recebeu quando do lançamento, o que chegou a provocar fila de espera de até dois meses.

Novo carro – Como parte do investimento na fábrica de Gravataí, a empresa deverá lançar até o início de 2007 o novo veículo popular que utilizará a plataforma do Celta. Possivelmente, será o Celta Sedã. O vice-presidente da GM não confirma, mas também não nega essa possibilidade. Também está nos planos da montadora um veículo para competir de igual para igual com o Ford EcoSport. “Todas as montadoras estão pensando no EcoSport. Esse mercado do SUV (sigla em inglês de utilitário esportivo) compacto é importante quando analisamos as tendências no mundo”, afirma o presidente da GM do Brasil, Ray Young. Segundo ele, o mercado dos carros compactos no Brasil é importante. Daí o foco da empresa nos novos produtos.

Já o novo Vectra, que será produzido em São Caetano para substituir o Vectra atual, brigará na categoria de carro de luxo no mercado interno. A empresa também planeja lançar o veículo no mercado europeu.

Exportações – Pinheiro Neto afirmou que, por enquanto, ainda projeta repetir neste ano a marca recorde de US$ 1,6 bilhão em exportações registrada no ano passado. Mas, para isso, espera mudanças na taxa cambial. Segundo ele, já há dificuldade de competitividade da empresa no exterior com o dólar a R$ 2,60. “O câmbio a R$ 3,00 seria o equilíbrio”, afirma Young. Ele afirma que ainda não houve perda de contratos, mas que a lucratividade caiu, já que as encomendas vendidas hoje, foram fechadas há três meses.

Em relação ao mercado interno, o presidente afirmou que espera crescimento de 5%, mas há preocupação com os juros. “A Selic a quase 20% é problema, já que 70% dos nossos carros são vendidos com financiamento”.

O repórter Leone Farias viajou para Gravataí (RS) a convite da GM.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;