Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Flamengo é absolvido por gritos homofóbicos em clássico com o Fluminense



20/02/2020 | 21:07


O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro absolveu o Flamengo em razão dos gritos homofóbicos entoados pelos torcedores flamenguistas durante o clássico com o Fluminense, pela semifinal da Taça Guanabara, no dia 12 de fevereiro. O clube foi apenas multado por infração em outro artigo do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

O Flamengo foi julgado (e absolvido) com base no artigo 243-G, que fala em praticar "ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". O clube corria risco de perder três pontos.

A punição de multa de R$ 50 mil foi por infração no artigo 191, que trata de "deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento, de regulamento, geral ou especial, de competição".

No julgamento, o Flamengo foi absolvido por maioria, já que, no entendimento dos auditores, não se tratou de homofobia porque o grito foi dirigido para uma pessoa especifica. Durante o clássico, gritos de "time de v..." foram ouvidos das arquibancadas do Maracanã onde estavam flamenguistas.

Na quarta-feira, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTI+, ONG de combate cotidiano aos preconceitos de orientação e/ou expressão sexual e de identidade de gênero, ingressou como terceiro interessado no processo, mas teve o pedido indeferido pelo auditor presidente da Quarta Comissão Disciplinar, Marcello Zorzenon.

Após o jogo, vencida pelo Flamengo por 3 a 2, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, foi às redes sociais cobrar uma posição da Procuradoria do TJD-RJ pelo comportamento da torcida do rival. O dirigente, no entanto, não entrou com um pedido para ingressar como terceiro interessado no processo.

A decisão dos auditores da Quarta comissão do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro ainda cabe recurso.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;