Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

CPI da Emae cobra da empresa pública e do Estado despoluição completa da Billings

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Trabalhos na Câmara de S.Bernardo sobre a autarquia estão em fase final


Daniel Tossato
do Diário do Grande ABC

19/02/2020 | 23:30


Presidente da CPI da Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia) em São Bernardo, o vereador Jorge Araújo (Podemos) afirmou que a intenção do bloco é a de pressionar a empresa pública e o governo do Estado para realizarem ações que visem a despoluição do braço da Represa Billings que fica na cidade.

Segundo o parlamentar, se no início a represa foi idealizada para a criação de energia elétrica, foi a Billings que auxiliou a Capital durante a crise hídrica que assolou parte da Região Metropolitana em 2014, e que, por causa disso, merece mais atenção e receber tratamento específico de água.

“Queremos que a Emae se responsabilize pela despoluição da Billings. Acredito que haja outras entidades que também são corresponsáveis pela represa. Na nossa última oitiva recebemos a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), a Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo), a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Queremos que a Emae passe a fazer a conscientização das pessoas, comece a buscar junto ao governo do Estado um remanejamento de pessoas, um planejamento de prédios, como CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), e que haja reurbanização no local”, declarou Araújo.

Uma das questões que fizeram com o que o vereador acredite que a Emae possa realizar ações para a despoluição da Billings é, segundo o parlamentar, que a autarquia estadual está planejando despoluir o Rio Pinheiros, na Capital. “A responsável pelo Rio Pinheiros é a Emae. O que adianta despoluir o Pinheiros e continuar poluindo a Billings?”, questionou.

Um dos grandes problemas apontados pelo vereador e que atinge diretamente a qualidade da água na Billings é a situação utilizada nos rios Tietê e Pinheiros em épocas de cheia. Quando há enchentes na Capital, a Emae realiza transposição dos cursos de água para a Billings, para evitar que esses rios, que cortam a cidade de São Paulo, transbordem e causem mais transtornos na cidade.

Durante viagem realizada com especialistas nas águas da Represa Biliings, o vereador captou imagens com seu celular que revelam uma grande camada de lixo e plástico boiando em uma parte do reservatório.

O relatório da CPI deverá ser entregue depois do Carnaval e vai conter mais de 100 páginas. A papelada foi organizada com os estudos realizados por especialistas ouvidos pelos participantes da CPI e poderá ser apreciado pelo Legislativo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

CPI da Emae cobra da empresa pública e do Estado despoluição completa da Billings

Trabalhos na Câmara de S.Bernardo sobre a autarquia estão em fase final

Daniel Tossato
do Diário do Grande ABC

19/02/2020 | 23:30


Presidente da CPI da Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia) em São Bernardo, o vereador Jorge Araújo (Podemos) afirmou que a intenção do bloco é a de pressionar a empresa pública e o governo do Estado para realizarem ações que visem a despoluição do braço da Represa Billings que fica na cidade.

Segundo o parlamentar, se no início a represa foi idealizada para a criação de energia elétrica, foi a Billings que auxiliou a Capital durante a crise hídrica que assolou parte da Região Metropolitana em 2014, e que, por causa disso, merece mais atenção e receber tratamento específico de água.

“Queremos que a Emae se responsabilize pela despoluição da Billings. Acredito que haja outras entidades que também são corresponsáveis pela represa. Na nossa última oitiva recebemos a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), a Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo), a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Queremos que a Emae passe a fazer a conscientização das pessoas, comece a buscar junto ao governo do Estado um remanejamento de pessoas, um planejamento de prédios, como CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), e que haja reurbanização no local”, declarou Araújo.

Uma das questões que fizeram com o que o vereador acredite que a Emae possa realizar ações para a despoluição da Billings é, segundo o parlamentar, que a autarquia estadual está planejando despoluir o Rio Pinheiros, na Capital. “A responsável pelo Rio Pinheiros é a Emae. O que adianta despoluir o Pinheiros e continuar poluindo a Billings?”, questionou.

Um dos grandes problemas apontados pelo vereador e que atinge diretamente a qualidade da água na Billings é a situação utilizada nos rios Tietê e Pinheiros em épocas de cheia. Quando há enchentes na Capital, a Emae realiza transposição dos cursos de água para a Billings, para evitar que esses rios, que cortam a cidade de São Paulo, transbordem e causem mais transtornos na cidade.

Durante viagem realizada com especialistas nas águas da Represa Biliings, o vereador captou imagens com seu celular que revelam uma grande camada de lixo e plástico boiando em uma parte do reservatório.

O relatório da CPI deverá ser entregue depois do Carnaval e vai conter mais de 100 páginas. A papelada foi organizada com os estudos realizados por especialistas ouvidos pelos participantes da CPI e poderá ser apreciado pelo Legislativo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;