Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Manchester United bate Chelsea e encerra jejum de mais de sete anos no Inglês



17/02/2020 | 19:05


O Manchester United encerrou um jejum de mais de sete anos no Campeonato Inglês. Nesta segunda-feira, o time do técnico Ole Solskjaer superou o Chelsea por 2 a 0, no Stamford Bridge, em Londres, e conquistou uma vitória como visitante na competição que não acontecia desde o dia 28 de outubro de 2012.

Neste período, foram quatro vitórias do Chelsea e dois empates. O Manchester United até venceu duas vezes em 2019 na casa do adversário, mas pela Copa da Liga Inglesa (2 a 1, no dia 30 de outubro) e pela Copa da Inglaterra (2 a 0, em 18 de fevereiro).

Os gols foram marcados por Martial, no primeiro tempo, e Maguire, no segundo. Com o resultado, o Manchester United ocupa o sétimo lugar com 38 pontos, três atrás do Chelsea, o quarto, e primeiro time na zona de classificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões. O Liverpool lidera com 76 pontos.

O primeiro tempo do clássico foi equilibrado. A diferença foi o aproveitamento dos atacantes. O belga Michy Batshuayi teve duas boas oportunidades e não marcou pelo Chelsea. O francês Martial desperdiçou uma chance e, na outra, abriu o placar para o Manchester United.

O Chelsea sofreu uma baixa logo aos 10 minutos. Kante se machucou e foi substituído por Mason Mount. E foi justamente o reserva que criou uma ótima situação aos 25 minutos. Batshuayi recebeu passe rasteiro na área e chutou para fora de pé esquerdo. O belga teve outra oportunidade aos 48, mas novamente finalizou para fora.

Martial teve sua primeira chance aos 36 minutos. O atacante tabelou com Brandon Williams, entrou na área e chutou cruzado para fora. Na segunda oportunidade, aos 44, gol. Aaron Wan-Bissaka recebeu de Fred pela direita, tirou Willian da jogada e cruzou com perfeição para Martial, que desviou de cabeça para superar o goleiro Willy Caballero.

O Chelsea voltou com tudo para o segundo tempo e empatou o jogo aos 10 minutos. O gol, no entanto, foi anulado pelo árbitro Anthony Taylor após consulta ao vídeo. O VAR indicou falta de Azpilicueta em Brandon Williams antes de Zouma marcar. O problema é que o espanhol só fez falta porque antes foi empurrado por Fred.

O Manchester aproveitou e ampliou o placar aos 20 minutos. Pouco depois de colocar uma bola na trave em cobrança de falta, o português Bruno Fernandes bateu escanteio na área com efeito e Maguire se antecipou ao alemão Antonio Rudiger para cabecear sem chance para Caballero.

O VAR entrou mais uma vez em ação aos 31 minutos. E novamente para anular um gol do Chelsea. Mason Mount cruzou da direita e Giroud, que havia entrado no lugar de Batshuayi, tocou de cabeça para superar De Gea. O atacante francês estava em posição de impedimento e o lance foi invalidado.

O Chelsea ainda tentou até o final diminuir o placar e colocar fogo no jogo, mas não conseguiu. A melhor chance foi de Mason Mount, que cobrou uma falta na trave do Manchester United, aos 43 minutos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Manchester United bate Chelsea e encerra jejum de mais de sete anos no Inglês


17/02/2020 | 19:05


O Manchester United encerrou um jejum de mais de sete anos no Campeonato Inglês. Nesta segunda-feira, o time do técnico Ole Solskjaer superou o Chelsea por 2 a 0, no Stamford Bridge, em Londres, e conquistou uma vitória como visitante na competição que não acontecia desde o dia 28 de outubro de 2012.

Neste período, foram quatro vitórias do Chelsea e dois empates. O Manchester United até venceu duas vezes em 2019 na casa do adversário, mas pela Copa da Liga Inglesa (2 a 1, no dia 30 de outubro) e pela Copa da Inglaterra (2 a 0, em 18 de fevereiro).

Os gols foram marcados por Martial, no primeiro tempo, e Maguire, no segundo. Com o resultado, o Manchester United ocupa o sétimo lugar com 38 pontos, três atrás do Chelsea, o quarto, e primeiro time na zona de classificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões. O Liverpool lidera com 76 pontos.

O primeiro tempo do clássico foi equilibrado. A diferença foi o aproveitamento dos atacantes. O belga Michy Batshuayi teve duas boas oportunidades e não marcou pelo Chelsea. O francês Martial desperdiçou uma chance e, na outra, abriu o placar para o Manchester United.

O Chelsea sofreu uma baixa logo aos 10 minutos. Kante se machucou e foi substituído por Mason Mount. E foi justamente o reserva que criou uma ótima situação aos 25 minutos. Batshuayi recebeu passe rasteiro na área e chutou para fora de pé esquerdo. O belga teve outra oportunidade aos 48, mas novamente finalizou para fora.

Martial teve sua primeira chance aos 36 minutos. O atacante tabelou com Brandon Williams, entrou na área e chutou cruzado para fora. Na segunda oportunidade, aos 44, gol. Aaron Wan-Bissaka recebeu de Fred pela direita, tirou Willian da jogada e cruzou com perfeição para Martial, que desviou de cabeça para superar o goleiro Willy Caballero.

O Chelsea voltou com tudo para o segundo tempo e empatou o jogo aos 10 minutos. O gol, no entanto, foi anulado pelo árbitro Anthony Taylor após consulta ao vídeo. O VAR indicou falta de Azpilicueta em Brandon Williams antes de Zouma marcar. O problema é que o espanhol só fez falta porque antes foi empurrado por Fred.

O Manchester aproveitou e ampliou o placar aos 20 minutos. Pouco depois de colocar uma bola na trave em cobrança de falta, o português Bruno Fernandes bateu escanteio na área com efeito e Maguire se antecipou ao alemão Antonio Rudiger para cabecear sem chance para Caballero.

O VAR entrou mais uma vez em ação aos 31 minutos. E novamente para anular um gol do Chelsea. Mason Mount cruzou da direita e Giroud, que havia entrado no lugar de Batshuayi, tocou de cabeça para superar De Gea. O atacante francês estava em posição de impedimento e o lance foi invalidado.

O Chelsea ainda tentou até o final diminuir o placar e colocar fogo no jogo, mas não conseguiu. A melhor chance foi de Mason Mount, que cobrou uma falta na trave do Manchester United, aos 43 minutos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;