Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Trecho de rua desmorona parcialmente em Mauá

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Parte do muro e do asfalto da Rua Luiz Binoti caiu dentro de um terreno em obras


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

15/02/2020 | 19:14


Parte do asfalto e de um muro da Rua Luiz Binoti, na Vila Guarani, em Mauá, desmoronou nos primeiros minutos deste sábado (15). O material caiu para dentro de um terreno no número 1.498 da Avenida Barão de Mauá, onde está sendo construído um condomínio residencial. Durante a tarde de sexta-feira (14), acionada pelos moradores que notaram aumento das rachaduras, a Defesa Civil esteve no local e cobriu a rua com uma lona e alguns blocos.

 A Defesa Civil esteve novamente no endereço neste sábado e isolou com tapumes a área, além de interromper a circulação de veículos em um trecho da via. Moradores estão assustados com a possibilidade de novo deslizamento e consequências para seus imóveis.


No número 85, a preocupação maior é com a saúde de Humberto Crespo Zavanella, 64 anos, que é cadeirante e sai diariamente para tratamento de hemodálise. A residência está bem em frente ao local do deslizamento e os veículos dos moradores não podem chegar até o portão, nem é possível chamar um carro de aplicativo ou táxi. O idoso é sogro do vigilante Clayton da Silva, 37. "A gente precisa de uma solução imediata e uma resposta se é seguro para a gente permanecer aqui", pontuou.

Segundo os moradores da rua, a obra, que está sendo realizada pela MY Construtora Eireli teve início há cerca de cinco meses. Os relatos dão conta que a rua foi começando a apresentar diversas rachaduras com o passar dos dias. "Ja chegaram a ficar estacionados aqui, onde a terra cedeu, quatro caminhões de concreto. É muito peso", afirmou a professora Leslie Garcia, 39.

Vizinha do local do incidente, a doméstica Regina Sena, 67, teme que o imóvel onde reside seja afetado. "Eu já vinha notando algumas rachaduras, mas agora a gente tem que medo que a casa caia", afirmou.

Diário entrou em contato com um representante da construtora que esteve no local, Reginaldo Motos, que ficou de indicar outra pessoa para falar com a reportagem, mas que após esse primeiro contato, não atendeu mais ao telefone. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Mauá informou que tompu conhecimento da situação e que lamenta o ocorrido. A administração relatou, por meio de nota, que vai notificar a empresa e embargar a obra até que sejam realizadas as reparações necessárias para restauração dos danos causados, tanto da rua, como da vizinhança, além da restauração total da segurança do local.

"A Defesa Civil do município está na área e já realizou as interdições necessárias e acesso ao local, prezando pela segurança. Realizaremos com rigor a apuração da responsabilidades e eventuais punições dos responsáveis e também o acompanhamento de todo o processo para ressarcimento dos eventuais prejuízos causados à todos", concluiu o comunicado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Trecho de rua desmorona parcialmente em Mauá

Parte do muro e do asfalto da Rua Luiz Binoti caiu dentro de um terreno em obras

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

15/02/2020 | 19:14


Parte do asfalto e de um muro da Rua Luiz Binoti, na Vila Guarani, em Mauá, desmoronou nos primeiros minutos deste sábado (15). O material caiu para dentro de um terreno no número 1.498 da Avenida Barão de Mauá, onde está sendo construído um condomínio residencial. Durante a tarde de sexta-feira (14), acionada pelos moradores que notaram aumento das rachaduras, a Defesa Civil esteve no local e cobriu a rua com uma lona e alguns blocos.

 A Defesa Civil esteve novamente no endereço neste sábado e isolou com tapumes a área, além de interromper a circulação de veículos em um trecho da via. Moradores estão assustados com a possibilidade de novo deslizamento e consequências para seus imóveis.


No número 85, a preocupação maior é com a saúde de Humberto Crespo Zavanella, 64 anos, que é cadeirante e sai diariamente para tratamento de hemodálise. A residência está bem em frente ao local do deslizamento e os veículos dos moradores não podem chegar até o portão, nem é possível chamar um carro de aplicativo ou táxi. O idoso é sogro do vigilante Clayton da Silva, 37. "A gente precisa de uma solução imediata e uma resposta se é seguro para a gente permanecer aqui", pontuou.

Segundo os moradores da rua, a obra, que está sendo realizada pela MY Construtora Eireli teve início há cerca de cinco meses. Os relatos dão conta que a rua foi começando a apresentar diversas rachaduras com o passar dos dias. "Ja chegaram a ficar estacionados aqui, onde a terra cedeu, quatro caminhões de concreto. É muito peso", afirmou a professora Leslie Garcia, 39.

Vizinha do local do incidente, a doméstica Regina Sena, 67, teme que o imóvel onde reside seja afetado. "Eu já vinha notando algumas rachaduras, mas agora a gente tem que medo que a casa caia", afirmou.

Diário entrou em contato com um representante da construtora que esteve no local, Reginaldo Motos, que ficou de indicar outra pessoa para falar com a reportagem, mas que após esse primeiro contato, não atendeu mais ao telefone. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Mauá informou que tompu conhecimento da situação e que lamenta o ocorrido. A administração relatou, por meio de nota, que vai notificar a empresa e embargar a obra até que sejam realizadas as reparações necessárias para restauração dos danos causados, tanto da rua, como da vizinhança, além da restauração total da segurança do local.

"A Defesa Civil do município está na área e já realizou as interdições necessárias e acesso ao local, prezando pela segurança. Realizaremos com rigor a apuração da responsabilidades e eventuais punições dos responsáveis e também o acompanhamento de todo o processo para ressarcimento dos eventuais prejuízos causados à todos", concluiu o comunicado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;