Fechar
Publicidade

Sábado, 29 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Social-democratas pressionam para que Merkel fique no poder até o ano que vem

World Economic Forum/Ciaran McCrickard/Fotos Públicas  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/02/2020 | 06:42


O Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) indicou ontem que pode abandonar a coalizão com os conservadores da chanceler Angela Merkelse ela for forçada a sair, aumentando a pressão para evitar uma eleição antecipada no momento em que a sigla da chanceler procura um novo líder.

A União Democrata-Cristã (CDU) ficou sem candidato para a eleição do ano que vem, após a desistência de Annegret Kramp-Karrenbauer, a preferida de Merkel.

Muitos parlamentares querem evitar o transtorno de uma eleição enquanto a Alemanha ocupará a presidência temporária da União Europeia, a partir do segundo semestre deste ano. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Social-democratas pressionam para que Merkel fique no poder até o ano que vem


13/02/2020 | 06:42


O Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) indicou ontem que pode abandonar a coalizão com os conservadores da chanceler Angela Merkelse ela for forçada a sair, aumentando a pressão para evitar uma eleição antecipada no momento em que a sigla da chanceler procura um novo líder.

A União Democrata-Cristã (CDU) ficou sem candidato para a eleição do ano que vem, após a desistência de Annegret Kramp-Karrenbauer, a preferida de Merkel.

Muitos parlamentares querem evitar o transtorno de uma eleição enquanto a Alemanha ocupará a presidência temporária da União Europeia, a partir do segundo semestre deste ano. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;