Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Algoritmo do Spotify revela quais são as músicas mais tristes da história

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bianca Bellucci
Do 33Giga

04/02/2020 | 10:48


O Spotify tem um algoritmo que consegue quantificar o tanto de tristeza e alegria que existem em uma música. Na prática, a tecnologia atribui uma pontuação que varia entre 0 e 1. As faixas com valência alta soam positivas (felizes, alegres, eufóricas), enquanto as de valência baixa são mais negativas (tristes, depressivas, raivosas). Outros parâmetros usados são energia e dançabilidade.

A cientista de dados Miriam Quick aproveitou estes dados aplicados a mais de 35 milhões de músicas presentes no serviço de streaming para descobrir qual delas é a mais triste. Para este estudo, ela cruzou a base do Spotify com todas as 1.080 canções que atingiram o Número Um nas listas da Billboard desde 1958. A vencedora foi The First Time Ever I Saw Your Face, de Roberta Flack.

Leia mais:
Daddy’s Car e Mister Shadow: escute as canções compostas pela inteligência artificial da Sony
Radiohead: algoritmo aponta qual é a música mais triste da banda
Compressorhead: conheça a banda de rock formada por robôs

Abaixo, você confere o top 5 das músicas mais tristes da história, de acordo com o algoritmo do Spotify e a pesquisa de Miriam Quick:

1. The First Time Ever I Saw Your Face – Roberta Flack
2. Three Times a Lady – Commodores
3. Are You Lonesome Tonight? – Elvis Presley
4. Mr. Custer – Larry Verne
5. Still – Commodores

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Já que o assunto é música, relembre alguns artistas virtuais que fizeram (e ainda fazem) sucesso:

 
 
<
>


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Algoritmo do Spotify revela quais são as músicas mais tristes da história

Bianca Bellucci
Do 33Giga

04/02/2020 | 10:48


O Spotify tem um algoritmo que consegue quantificar o tanto de tristeza e alegria que existem em uma música. Na prática, a tecnologia atribui uma pontuação que varia entre 0 e 1. As faixas com valência alta soam positivas (felizes, alegres, eufóricas), enquanto as de valência baixa são mais negativas (tristes, depressivas, raivosas). Outros parâmetros usados são energia e dançabilidade.

A cientista de dados Miriam Quick aproveitou estes dados aplicados a mais de 35 milhões de músicas presentes no serviço de streaming para descobrir qual delas é a mais triste. Para este estudo, ela cruzou a base do Spotify com todas as 1.080 canções que atingiram o Número Um nas listas da Billboard desde 1958. A vencedora foi The First Time Ever I Saw Your Face, de Roberta Flack.

Leia mais:
Daddy’s Car e Mister Shadow: escute as canções compostas pela inteligência artificial da Sony
Radiohead: algoritmo aponta qual é a música mais triste da banda
Compressorhead: conheça a banda de rock formada por robôs

Abaixo, você confere o top 5 das músicas mais tristes da história, de acordo com o algoritmo do Spotify e a pesquisa de Miriam Quick:

1. The First Time Ever I Saw Your Face – Roberta Flack
2. Three Times a Lady – Commodores
3. Are You Lonesome Tonight? – Elvis Presley
4. Mr. Custer – Larry Verne
5. Still – Commodores

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Já que o assunto é música, relembre alguns artistas virtuais que fizeram (e ainda fazem) sucesso:

 
 
<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;